Dom Pixote

Um dos mais famosos estúdios de desenhos animados, Hanna-Barbera, durante sua trajetória, desenvolveu várias animações; a maioria delas protagonizadas por animais antropomórficos (com características e aspectos humanos), sendo grande parte destes personagens caninos, como o famoso Dom Pixote (Huckleberry Hound no original).

Embora o personagem tenha sido idealizado em 1944, a estreia de Huckleberry Hound Show só ocorreu mesmo em 2 de outubro de 1958, sendo encerrada em 24 de abril de 1962, quando a dupla William Hanna e Joseph Barbera já tinham seu próprio estúdio. Aliás, este foi o primeiro programa animado produzido exclusivamente para a televisão e fez HB ter uma grande projeção na história das animações. O desenho reprisou muito na TV norte-americana durante os anos seguintes.

A série narrava as aventuras do cão de caça puro sangue Dom Pixote. O mais curioso era sua aparência: um cachorro azul. Para quem não sabe, sua colorização foi acidental, mas a característica tornou-se a marca registrada do personagem. Além disso, ele tinha um sotaque interiorano, um jeito manso de falar e uma personalidade calma e sempre bem intencionada. Ainda que alguém o tirasse do sério, ele mantinha seu jeito tranquilo, tentando resolver as situações que aconteciam durante a história com moderação. Em cada episódio, ele se envolvia em alguma situação complicada diferente – caça a leões, jogo de baseball, prendendo bandidos no velho oeste e tantas outras aventuras imagináveis.

Mas sem dúvida, uma das razões pela qual ele é mais lembrado é o fato de entoar em quase todos os episódios um clássico da música folclórica norte-americana, Oh My Darling Clementine (conhecida em português como Oh Querida Clementina), na maior parte das vezes irritando quem estava à sua volta devido à cantoria desafinada. Outro bordão famoso do personagem era a frase “Tenho que admitir que…” que completava com algo que estivesse acontecendo no momento.

A série contou com diversas participações de personagens pertencentes a outras produções da Hanna-Barbera, como os vilões Irmãos Dalton (Dalton’s Gang). Dom Pixote, além da sua própria animação, também participou de animações estreladas pelo personagem Zé Colmeia e Ho Ho Límpicos (na qual aparecia competindo na equipe Os Abelhudos), e estrelou seu próprio telefilme, The Good, the Bad and Huckleberry Hound (paródia do clássico The Good, the Bad and the Ugly do diretor Sérgio Leoni e protagonizado por Clinton Eastwood).

No Brasil, foi reprisado com bastante frequência e transmitido por diversas emissoras, como TV Tupi, TV Rio, Rede Globo, TV Bandeirantes, SBT e nos canais por assinatura  Boomerang e Tooncast. A animação foi dublada nos estúdios AIC/São Paulo e Sincrovídeo.

Adryz Herven

4 comentários em “Dom Pixote”

  1. Dom Pixote foi dublado pelo falecido Older Cazarré, irmão do também dublador Olney Cazarré e tio-avô do ator Juliano Cazarré. Older também emprestou a sua voz para o Zé Colmeia e o carteiro Jaiminho em Chaves.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s