Hunky Dory (1971) – David Bowie

Data de Lançamento: 17 de dezembro de 1971
Faixas: 11 faixas
Duração: 39:04
Estilo: Glam Rock, Art Rock, Art Pop e Pop Rock
Produção: David Bowie e Ken Scott
Gravadora: RCA

Lado A:
Changes
Oh! You Pretty Things
Eight Line Poem
Life On Mars?
Kooks
Quicksand

Lado B
Fill Your Heart
Andy Warhol
Song For Bob Dylan
Queen Bitch
The Bewlay Brothers

Continuar lendo Hunky Dory (1971) – David Bowie

[Versões e Regravações] O Que Me Importa – Adriana / Cury Heluy

Original:

Em 1970, o compositor José de Ribamar Cury Heluy (ou simplesmente Cury, como é conhecido), escreveu uma música a pedido da cantora Wanderléa para poder impulsionar o compacto que ela gravaria na sequência. Tratava-se da balada O Que Me Importa. Embora a cantora tenha se encantado pela canção, o diretor da CBS deu preferência a uma música da dupla Dom & Ravel para integrar o compacto. A questão é que a tal faixa não fez tanto sucesso, a ponto de Wanderléa trocar de gravadora. Um ano depois, Cury entregou a música para a cantora Adriana que, mesmo já conhecida desde 1969, atingiu o ápice de sua carreira com esse hit que foi executado à exaustão em todas as rádios do país, resultando em um excelente índice de vendagens para o compacto de O Que Me Importa e, como se não bastasse, a canção ainda faturou o prêmio de melhor música do sistema Globo de Rádio e TV.

A música é narrada do ponto de vista de uma pessoa emocionalmente ferida que diz para aquela responsável pelo seu sofrimento que não adianta mais lamentar pelo amor dela, uma vez que era tarde para corresponder e valorizar o que ela sentia, já que sua vida tinha acabado. Essa frase final, “a vida terminou”, pode significar morte ou, até mesmo, ser uma metáfora de que a narradora resolveu mudar e recomeçar do zero, não fazendo mais questão de conquistar o amor de quem sempre a rejeitou. Continuar lendo [Versões e Regravações] O Que Me Importa – Adriana / Cury Heluy

Vencedores do Troféu HQMIX 2021

Troféu HQ Mix - Livro teórico – Wikipédia, a enciclopédia livre

Hoje, 19 de novembro, foram revelados os vencedores do Troféu HQMIX 2021.  O mais tradicional prêmio brasileiro dedicado à nona arte vem sendo entregue, desde 1989, a artistas de destaque do mercado nacional de quadrinhos. Já havíamos publicado por aqui a lista dos indicados e, agora, a organização do prêmio, que se encontra atualmente em sua 33 ª edição, divulgou os nomes que levam para casa o troféu Bruxinha, personagem da desenhista e escritora Eva Furnari, que foi esculpido pelo artista Wilson Iguti.

A estatueta da premiação não é característica e, a cada ano, o prêmio entregue muda de aparência e estilo, assumindo a forma de algum personagem memorável do nosso mercado de HQs. A homenageada dessa edição é a Bruxinha Atrapalhada, personagem que ilustrou as páginas da Folhinha de São Paulo, segmento infantil do jornal Folha de São Paulo, durante as décadas de 1980 e 1990. Continuar lendo Vencedores do Troféu HQMIX 2021

I’m Afraid of Americans – David Bowie

Dirigido por Nick Goffey e Dominic Hawley e produzido por John Madsen da Oil Factory Films, o clipe já inicia com uma cena destacando o táxi no primeiro plano e trazendo o personagem de David Bowie ao fundo. É possível vê-lo de corpo inteiro, frente a uma banca de jornais e revistas, de costas para a câmera. A lente registra elementos urbanos tradicionais para compor esse primeiro quadro do videoclipe – veículos diversos cruzando o asfalto e pedestres atravessando a rua e a calçada, tendo como plano de fundo edifícios, árvores e placas de sinalização em uma típica área suburbana. A câmera se aproxima de Bowie pelas costas enquanto ouvimos os primeiros acordes da faixa industrial I’m Afraid of Americans, que já confere uma atmosfera de tensão ao vídeo, devido ao som pulsante e a potência dos sintetizadores aliada aos vocais quase sussurrantes de David Bowie. 

Encarregado do excelente arranjo instrumental e dos vocais de fundo, Trent Reznor (vocalista do Nine Inch Nails) também estrela o clipe, interpretando o taxista Johnny. Nessas primeiras sequências, David está lendo o jornal quando olha por cima do ombro e dá de cara com o personagem de Reznor, com uma expressão nada amigável no rosto, o encarando. David lança um breve olhar assustado para ele, então começa a andar de modo a se afastar do estranho que o observa. Começa uma jornada de perseguição pela cidade, com David cantando, caminhando e correndo pelas ruas, enquanto a música toca e ele tenta escapar do  taxista perturbado. Ao mesmo tempo, passa a testemunhar e temer o estranho comportamento dos transeuntes ao redor. O clímax no final do vídeo é, me perdoem o clichê, a cereja do topo do bolo, com direito à Parada de Dia dos Mortos.  Continuar lendo I’m Afraid of Americans – David Bowie

Nas Prateleiras: Lançamentos de HQs – Novembro (2021)

Aficionados por HQs, se preparem para incrementar suas coleções. Novembro apresenta uma enorme diversidade de títulos em quadrinhos. A começar pela Comix Zone que lança a premiada Preferência do Sistema de autoria de Ugo Bienvenu, um dos maiores escritores de ficção científica contemporânea. Pela Conrad sai a ousada graphic novel O Partido dos Panteras Negras de David F. Walker e Marcus Kwame Anderson.

A Darkside capricha nos lançamentos e publica Eu, Lixeiro de Derf Backderf, inspirada nas próprias experiências do autor quando exercia o ofício de coletor de lixo, logo antes de sua bem-sucedida carreira como quadrinista. A editora ainda traz o quinto volume do mangá A Menina do Outro Lado de Nagabe. E falando em mangá, a caveirinha lança, também, o terceiro volume de Death Disco do aclamado mangaká e cineasta Atsushi Kaneko.

As Aventuras de Sherlock Holmes, do mesmo mesmo criador da criminóloga Júlia Kendall, Giancarlo Berardi, é um dos destaques da Mythos. Já a Nemo publica a conclusão de A Marcha, vencedor do prêmio Eisner de Melhor História em Quadrinhos Baseada em Fatos e primeiro quadrinho da história a vencer o National Book Award.

Pela Panini, sai uma edição especial de aniversário de 80 anos do Arqueiro Verde, de autoria de Jeff Lemire, Andrea Sorrentino, entre outros. Aproveitando o embalo da estreia de Eternos nos cinemas e o recente sucesso do streaming da Disney+, a série de animação What If…?, a editora publica Os Eternos por Neil Gaiman & John Romita Jr. e What If…? – As Grandes Sagas Marvel de Ed Brubaker, Greg Pak, Christos Gage, entre outros autores.

A Pipoca & Nanquim lança o segundo de quatro volumes de Horácio Completo que reúne, pela primeira vez, todos os tabloides escritos e desenhados unicamente por seu criador, Mauricio de Sousa, e publicados em jornais ao longo de mais de trinta anos.

E a Skript publica uma edição de luxo de O Chamado de Mpoue, HQ escrita pela francesa Blanche Lancezeur e com a impactante arte do camaronês Martini Ngola, cuja origem e formação cultural e religiosa serviram de inspiração para a construção narrativa da HQ. A editora ainda apresenta uma edição especial da vencedora do Troféu HQMIX de Melhor Publicação Independente de Grupo, São Paulo Dos Mortos: Templo.

Confira capas e sinopses dos principais lançamentos de mangás, graphic novels e edições de revistas avulsas de outubro. Lembrando que qualquer alteração quanto ao mês lançamento dos títulos abaixo é de responsabilidade única e exclusiva das editoras nacionais. Os quadrinhos marcados com um asterisco (*) são aqueles que irão integrar a biblioteca particular do Bloggallerya. Continuar lendo Nas Prateleiras: Lançamentos de HQs – Novembro (2021)

Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Novembro (2021)

Novembro traz vários lançamentos literários imperdíveis. Para os fãs de Outlander, a Arqueiro apresenta O Círculo das Sete Pedras, uma coletânea de sete histórias curtas e independentes que expandem o inventivo universo concebido por Diana Gabaldon. A mesma editora ainda publica o sétimo volume da série Os Ravenels da autora Lisa Kleypas, intitulado Uma Tentação Perigosa. Pela Astral Cultural, sai o romance engajado Queenie de Candice Carty-Williams. O destaque da Comix Zone é O Demônio de Frankfurt, assinado pelo ícone da literatura marginal Ferréz, com ilustrações de Lourenço Mutarelli.

Darksiders, vão reservando um espaço considerável na estante para abrigar os novos lançamentos da caveirinha! Para este mês, a editora promete Hell House: A Casa do Inferno de Richard Matheson, Rastro de Sangue: Holmes, o Maligno: 4 de Kerri Maniscalco, Grimório Oculto de John Michael Greer, Elementais de Michael McDowell, Amityville de Jay Anson, Halloween: O Legado de Michael Myers de Dustin McNeill e Travis Mullins, H.P. Lovecraft: Medo Clássico Volume 2 (com duas capas distintas) de H.P. Lovecraft e Virgil Finlay e o promissor O Ano das Bruxas de Alexis Henderson.

Atirem Direto no Meu Coração, livro de estreia da jornalista Ilze Scamparini é publicado pela HarperCollins. A autora Alyssa Cole aborda racismo e tensões sociais no thriller Quando Ninguém Está Olhando, destaque da Intrínseca. Falando nisso, A Planeta Minotauro lança aquele que, segundo o The New York Times, é dos melhores thrillers do ano: O Paciente de Jasper DeWitt. E pela Universo dos Livros, sai Intensa, novo livro da autora best-seller de Estilhaça-me, Tahereh Mafi.

Confira abaixo capas e sinopses dos principais lançamentos literários do mês de novembro. Lembrando que possíveis alterações quanto ao mês de lançamento das obras abaixo são de responsabilidade única e exclusiva das editoras nacionais. Os títulos marcados com um asterisco (*) são aqueles que irão integrar a nossa biblioteca particular do Bloggallerya.

Continuar lendo Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Novembro (2021)