Arquivo da categoria: Artigos

Just – Radiohead

Já faz um tempo que estamos discutindo a ideia de falarmos sobre videoclipes por aqui. Afinal, como bons filhos dos anos 1980, que cresceram durante a década de 1990, somos egressos da geração MTV Brasil clássica, antes desta sair das mãos do grupo Abril e virar aquela emissora abjeta atual (que se dedica, na maior parte do tempo, à transmissão de intragáveis reality shows). Já até flertamos com a ideia alguns anos atrás, com um post sobre o cultuado Tonight Tonight dos Smashing Pumpkins. Mas nunca fomos em frente. Então, nesse mês de aniversário do site, é chegada a hora.

Há um sem número de videoclipes históricos que marcaram nossas vidas e, uma vez que esse importante veículo de divulgação de hits musicais, inaugurado pelos Beatles na década de 1960, carece de mais extensa e profunda bibliografia (ainda há poucas referências sobre o assunto em termos de artigos e pesquisas acadêmicas e mesmo livros), decidimos catalogar, neste espaço, fichas técnicas, informações e curiosidades sobre clipes diversos. 

Um dos mais badalados dos anos 1990 e um dos mais misteriosos também, o videoclipe de Just do Radiohead ganhou o coração da divisão mais alternativa e “antenada” da geração MTV em seus tempos áureos, justamente quando as melancólicas bandas britânicas de rock começavam a despontar. Continuar lendo Just – Radiohead

Vivendo e Não Aprendendo (1986) – Ira!

Data de Lançamento: 25 de agosto de 1986
Duração: 48:00
Faixas: 10 faixas
Estilo: Pós-Punk, Rock Alternativo, Mod Revival
Produção: Pena Schimdt, Liminha, Vitor Farias, Paulo Junqueiro e Ira!
Gravadora: WEA

Lado A
Envelheço Na Cidade
Casa De Papel
Dias de Luta
Tanto Quanto Eu
Vitrine Viva

Lado B
Flores Em Você
Quinze Anos (Vivendo E Não Aprendendo)
Nas Ruas
Gritos Na Multidão
Pobre Paulista

Faixa bônus da edição Remasterizada de 2000
Não Pague Pra Ver (demo)
Flores em Você (demo)
Pobre Paulista (demo)
Nasci em 62 (demo)
Tanto Quanto Eu (demo)

Continuar lendo Vivendo e Não Aprendendo (1986) – Ira!

Doug

Eu parava tudo o que estava fazendo para sentar no sofá (ou no chão mesmo, sobre o tapete, o que era mais frequente) em frente à televisão para ver Doug. Fosse na Rede Cultura ou no SBT. Sempre me identifiquei com o personagem-título, com suas inseguranças, neuras, sonhos, imaginação fértil, a obsessão por histórias em quadrinhos e como curtia utilizar sua criatividade em projetos pessoais que significavam demais para ele.

Continuar lendo Doug

[Feliz Dia dos Namorados!] Ships – Os Adoráveis Casais da Ficção

Aposto que você também já shippou. Que você já torceu com afinco por algum casal de filme, série, livro, HQ ou telenovela. Bem, hoje é Dia dos Namorados, portanto, não poderia ter uma data mais apropriada para um post sobre ships de séries.

Ship é a forma pela qual os fãs se referem aos casais da cultura pop. O termo vem de relationship (relacionamento) e surgiu em meados da década de 1990 com o Ship X, designação criada pelos fãs que viam uma ligação afetiva entre Dana Scully (Gillian Anderson) e Fox Mulder (David Duchovny), a brilhante dupla/casal da série Arquivo X. Enquanto alguns espectadores se preocupavam com os seres estranhos que apareciam na calada da noite e davam verdadeira dor de cabeça a Mulder e Scully, outros fãs da série estavam mais interessados no romance entre a dupla e em quando eles iriam finalmente ficar juntos para a alegria das shippers de plantão.

Shippers, por sua vez, tratam-se das pessoas que torcem por um casal.

Há quem diga que se você não shippou Mulder&Scully, nem mesmo pode se considerar um shipper legítimo. Exageros à parte, é fato incontestável que eles foram os pioneiros. Houve outros casais de seriados que arrebataram o público antes deles, é verdade (Capitão Kirk e Spock de Star Trek que o digam… ainda que nem se tratasse realmente de um casal). Entretanto, foi com o ship X que surgiu a rivalidade nos fóruns (entre shippers e noromos, que compreendem aqueles que são contra a ideia de um casal); a interação entre as shippers de diferentes lugares do mundo (incluindo os encontros de fãs, tanto virtuais quanto físicos); as diversas fanfictions explorando o relacionamento entre os personagens; e, obviamente, o termo em si.

Mas como nem tudo é fluffy nos fandoms da vida, existe também as ship wars: quando o grupo de fãs de um determinado casal entra em conflito com outro que torce por um casal rival da mesma obra. No fandom da série Lost, por exemplo, a principal shipper war se dava entre as Jaters (Jack e Kate) e as Skaters (Sawyer e Kate). No fim das contas, as Jaters levaram a melhor. No fandom de House a briga era entre as Huddy (House e Cuddy) e as Hameron (House e Cameron), só para citar alguns exemplos.

Confesso que já fui mais shipper. Atualmente, em muitos casos, acho que os casais acabam prejudicando as tramas dos seriados. Talvez não exatamente os ships em si que prejudiquem, mas as shippers. O pessoal que torce e morre pelo casal, que adoram se envolver nas famigeradas ship wars. Isso me desanima um pouco a acompanhar certas produções; pois, os roteiristas, de olho na audiência que o casal atrai e no buzz que o ship gera, acabam dando ênfase demais ao romance em detrimento de outros aspectos da narrativa. O que desestimula até mesmo a participar dos grupos de discussão no facebook. Isto é, tem tantas séries incríveis que contam com mitologias extremamente envolventes… Porém, as pessoas se prendem apenas aos casais.

É frustrante reduzir uma série a um ship.

De qualquer modo, eu ainda tenho meus casais favoritos e separei os melhores fanvideos em tributo a eles para celebrar o Dia dos Namorados por aqui:

Continuar lendo [Feliz Dia dos Namorados!] Ships – Os Adoráveis Casais da Ficção

Legião Urbana (1985)

2 - capa do disco

Data de Lançamento: 2 de janeiro de 1985
Duração: 37:09
Faixas: 11 faixas
Estilo: Rock, Pós-Punk, Rock Alternativo, Punk Rock
Produção: José Emílio Rondeau
Gravadora: EMI – Odeon

Lado A
Será
A Dança
Petróleo do Futuro
Ainda É Cedo
Perdidos no Espaço
Geração Coca-Cola

Lado B
O Reggae
Baader-Meinhof Blues
Soldados
Teorema
Por Enquanto

Edição especial Legião Urbana 30 Anos CD 2
Geração Coca-Cola (demo 1983)
Ainda é cedo (demo 1983)
A Dança (demo 1983) – part Herbert Vianna
Química (Clip Pirata)
Perdidos no Espaço (Outtake
O Reggae (Outtake)
Renato Apresenta
Ainda é cedo (take 9)
Será (Outtake)
Chamadas de rádio
Petróleo do Futuro (demo BSB)
Ainda é cedo (demo BSB)
Teorema (demo BSB)
Aduuuuuuhhh!! (ao vivo)
Profecia de Renato
Por Enquanto (Outtake)
A Dança (remix Mario Caldato) part Herbert Vianna
O Reggae (remix Liminha) Continuar lendo Legião Urbana (1985)

10 Filmes Referentes ao Japão

Eis mais um especial sobre o Japão, sede das Olimpíadas de Tóquio; evento que seria realizado neste ano, mas teve de ser adiado para 2021, por conta da epidemia de COVID-19, causada pelo coronavírus. Aqui vamos tratar da sétima arte, que em algumas ocasiões usou o país do sol nascente como inspiração, o tornando um grande atrativo para os seus entusiastas.

É bem verdade que nem sempre se pode confiar em como filmes, seriados ou novelas retratam nações estrangeiras, pois, a maioria expõe visões distorcidas sobre costumes de determinados países, principalmente do extremo oriente (Japão, China, Coréia do Sul…). Sem contar que, para algumas produções do século XX, os cineastas de Hollywood costumavam escalar atores nascido no Havaí (arquipélago que pertence ao governo americano) para interpretar personagens extremo-orientais e muitos deles ganharam popularidade como Tia Carrere, Mark Dacascos e Jason Scott Lee.

Sem mais delongas, vamos à lista dos dez melhores filmes sobre o tema. Continuar lendo 10 Filmes Referentes ao Japão