Arquivo da categoria: Videoclipe

Fight For Your Right – Beastie Boys

YOU GOTTA FIGHT… FOR YOUR RIGHT… TO PAAAAARTYYYYYYYY!

Você tem que lutar pelo seu direito de festejar! 

Foi com esse lema que os Beastie Boys fizeram história em 1986, com um videoclipe de 4 minutos, dirigido por Adam Dubin & Ric Menello. No vídeo, os integrantes do Beastie Boys invadem uma festa… Bem, uma recepção particular na casa de dois jovens certinhos e nerds que foram alertados por seus pais a não se meterem em confusão enquanto estavam fora.  Continuar lendo Fight For Your Right – Beastie Boys

Rock nas Telenovelas

No fim do ano passado foi celebrado os 70 anos da primeira novela no Brasil. No dia 21 de dezembro de 1951 estreou a pioneira, Sua Vida Me Pertence, na extinta TV Tupi. A novela teve 15 capítulos e terminou em 8 de fevereiro de 1952.

Resolvi elaborar uma lista de 20 canções de rock que marcaram presença nas telenovelas do Brasil. São 10 nacionais e 10 internacionais. Não foi fácil fazer essa lista, pois tive que deixar alguns sucessos de fora… Continuar lendo Rock nas Telenovelas

[Versões e Regravações] Sentado à Beira do Caminho – Erasmo Carlos e Roberto Carlos

Original

Lançada em 1969, a música Sentado à Beira do Caminho, foi mais um grande sucesso escrito por uma das mais bem-sucedidas duplas de compositores da música brasileira. No citado ano, Erasmo gravou a canção em um compacto simples. Foi um grande hit a ponto de ser conhecido mundialmente.

A música narra a história de alguém passando por uma profunda crise de depressão, totalmente desprovido de esperança e sofrendo ao pensar em um antigo amor que não vai mais voltar. Entretanto, depois acaba refletindo sobre a situação e decide parar de sofrer, seguir em frente e pensar um pouco mais em si mesmo, ao invés de sentar à beira de um caminho que não tem mais fim.

Continuar lendo [Versões e Regravações] Sentado à Beira do Caminho – Erasmo Carlos e Roberto Carlos

[Versões e Regravações]  Ziggy Stardust – David Bowie

Original:

Certamente, o alienígena andrógeno, Ziggy Stardust, é uma das personas mais lembradas que o camaleão do rock David Bowie encarnou em sua trajetória como músico e, graças a esse fenomenal personagem,  sua carreira decolou como uma nave especial, literalmente falando. Ele intitulou uma das mais famosas canções de Bowie, escrita por ele mesmo e que está presente no disco que também leva o nome do personagem no título; o clássico lançado em 1972, The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars que completa 50 primaveras este ano (e vou falar do mesmo em breve).  Continuar lendo [Versões e Regravações]  Ziggy Stardust – David Bowie

[Versões e Regravações] Alô, Alô, Marciano – Rita Lee e Roberto de Carvalho

Original:

Em 1980, foi lançado o disco Saudade do Brasil da cantora Elis Regina, onde foi incluída a faixa Alô, Alô Marciano. Escrita por Rita Lee e Roberto de Carvalho, a música foi um pedido de Elis para o casal, pois a intérprete queria uma música diferente de seu habitual repertório, mas algo que tivesse o estilo, a personalidade e a identidade musical do casal.

A letra da canção versa sobre um terráqueo se comunicando com um marciano, e contando a respeito das dificuldades de se viver no nosso planeta, que está um verdadeiro caos por conta de crises, desigualdades, preconceitos, guerras e o fato de o ser humano estar cada vez mais down no high society.

A música reflete explicitamente o período em que foi composta: época em que o Brasil atravessava a ditadura militar e uma grave crise econômica. Inclusive, as duas cantoras, Elis e Rita, se aproximaram em 1976, em pleno regime militar. Continuar lendo [Versões e Regravações] Alô, Alô, Marciano – Rita Lee e Roberto de Carvalho

[Versões e Regravações] O Que Me Importa – Adriana / Cury Heluy

Original:

Em 1970, o compositor José de Ribamar Cury Heluy (ou simplesmente Cury, como é conhecido), escreveu uma música a pedido da cantora Wanderléa para poder impulsionar o compacto que ela gravaria na sequência. Tratava-se da balada O Que Me Importa. Embora a cantora tenha se encantado pela canção, o diretor da CBS deu preferência a uma música da dupla Dom & Ravel para integrar o compacto. A questão é que a tal faixa não fez tanto sucesso, a ponto de Wanderléa trocar de gravadora. Um ano depois, Cury entregou a música para a cantora Adriana que, mesmo já conhecida desde 1969, atingiu o ápice de sua carreira com esse hit que foi executado à exaustão em todas as rádios do país, resultando em um excelente índice de vendagens para o compacto de O Que Me Importa e, como se não bastasse, a canção ainda faturou o prêmio de melhor música do sistema Globo de Rádio e TV.

A música é narrada do ponto de vista de uma pessoa emocionalmente ferida que diz para aquela responsável pelo seu sofrimento que não adianta mais lamentar pelo amor dela, uma vez que era tarde para corresponder e valorizar o que ela sentia, já que sua vida tinha acabado. Essa frase final, “a vida terminou”, pode significar morte ou, até mesmo, ser uma metáfora de que a narradora resolveu mudar e recomeçar do zero, não fazendo mais questão de conquistar o amor de quem sempre a rejeitou. Continuar lendo [Versões e Regravações] O Que Me Importa – Adriana / Cury Heluy