Arquivo da tag: Dicas

The Mandalorian

“Este é o caminho.”

Os aficionados por Star Wars têm viva na memória a lembrança de Boba Fett, personagem introduzido no melhor exemplar cinematográfico da saga até aqui, o lendário O Império Contra-Ataca, e que permaneceu naquela linha tênue entre vilão e anti-herói. O personagem ficou marcado pela característica armadura mandaloriana que utilizava, obtida através de seu “pai”, Jango Fett. Embora não fosse um mandaloriano legítimo, foi com Boba que os fãs de Star Wars tiveram acesso ao estilo de vida do povo de Mandalore. Tratava-se de um grupo de supercomandos de raças variadas, que trajavam armaduras totalmente impessoais e com aptidão acentuada para as funções de mercenários e caçadores de recompensa. E é um destes guerreiros que protagoniza a série criada por Jon Favreau, produzida originalmente para o serviço de streaming Disney + e baseado na space opera de George Lucas.

Embora o Mandaloriano dê nome à produção, as atenções do público têm se desviado constantemente a outro personagem. Continuar lendo The Mandalorian

Harold & Maude – Ensina-me a Viver

Confesso que não sou muito de reler livros. Foram poucos os títulos que reli em todos esses anos de leitora compulsiva. Mas um livro bateu o recorde. Quatro releituras. E se me perguntarem qual é a história de amor mais bela que já li, sem pestanejar, responderei Harold & Maude. Uma história de amor atípica, capaz de fazer muita gente torcer o nariz ao descobrir de que se trata. Continuar lendo Harold & Maude – Ensina-me a Viver

MTV, Bota Essa P#@% Pra Funcionar! – Zico Goes

Se ainda estivesse no ar, a MTV Brasil estaria completando 30 anos hoje, dia 20 de outubro.  Mas eu estou falando da boa e velha MTV, aquela pertencente ao Grupo Abril, que se destacou como a primeira emissora de televisão segmentada a ser transmitida em sinal aberto no país. Aquele canal que ditou tendências, que falou de jovem para jovem, que tinha aquele caráter experimental e autêntico. Não daquele canal por assinatura operado pela detentora original da marca, a Viacom, e que agora se restringe à exibição de reality shows banais de namoros.

Em bom português: estou falando da MTV raiz, não da MTV nutella.

Em homenagem à emissora que marcou nossa adolescência, vamos falar sobre esse livro de forte teor nostálgico assinado por Zico Goes. Continuar lendo MTV, Bota Essa P#@% Pra Funcionar! – Zico Goes

Bons Filmes em Agosto (2020)

Vários clássicos para diferentes gostos (Love Story, Instinto Selvagem, Fuga de Alcatraz) e algumas sessões da tarde nostálgicas (Loucademia de Polícia 2: A Primeira Missão, Good Burger) entram em cartaz nas plataformas de streaming neste mês de agosto. Se vocês querem meu conselho, o nacional Casa Grande e o terror O Farol são as minhas dicas pessoais. Ainda neste mês, se ainda não viu, terá a oportunidade de conferir o vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, Jojo Rabbit, tanto via streaming quanto na televisão por assinatura. E está todo mundo querendo saber qual é a de Power, original da Netflix, que traz Rodrigo Santoro no elenco. Confira abaixo as opções de filmes já disponíveis e outros com lançamento agendados para agosto nas principais plataformas de streaming. E para os não assinantes, há a alternativa de comprar ou alugar os filmes em plataformas de distribuição digital, ou ainda conferir na tela da TV. Divirtam-se!
Continuar lendo Bons Filmes em Agosto (2020)

Cinco Filmes Olímpicos

Devido à pandemia do novo coronavírus, a 32º edição das Olimpíadas de Verão em Tóquio foi inevitavelmente adiada para 2021. Para consolar os entusiastas olímpicos, fiz uma lista de cinco filmes biográficos que retrataram histórias reais e marcantes na maior festa do esporte mundial.

A capital japonesa já havia recebido uma edição dos Jogos Olímpicos em 1964, se tornando o primeiro país asiático a sediar o maior evento esportivo do mundo. No século XX, o Japão ainda recebeu duas edições das Olimpíadas de Inverno, em Sapporo 1972 e Nagano 1998.

Com o passar dos anos, o Japão não foi o único país da Ásia a recepcionar a maior festa do esporte. Em 1988, Seul, capital da Coréia do Sul, foi o palco dos jogos olímpicos. Trinta anos depois, os sul-coreanos tiveram a oportunidade de sediar as Olimpíadas de Inverno, em Pyeongchang, em 2018. Voltando um pouco, em 2008, foi a vez da China; sendo os jogos realizados na capital, Pequim. Em 2022, a mesma Pequim foi escolhida para ser o cenário das Olimpíadas de Inverno. Em 2021, Tóquio se tornará a primeira cidade de um país asiático a sediar uma Olimpíada de Verão por duas vezes.

Sem mais delongas, vamos aos cinco filmes olímpicos, sejam de verão ou inverno. Continuar lendo Cinco Filmes Olímpicos

A Barata – Ian McEwan

A Barata

“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.” Qualquer um reconhece o genial início de A Metamorfose de Franz Kafka, seja o verdadeiro bookworm ou mesmo o leitor casual. Ainda que não tenha lido a obra, já ouviu falar desta que é uma das mais célebres aberturas de livro da literatura e conhece de imediato sua procedência. E ainda que você não se encaixe em nenhum dos dois grupos citados, não curta e nem consuma livros, e ainda assim teve um clique ao ler o começo da desafortunada aventura de Gregor Samsa neste texto, deve ser porque certamente se deparou com o trecho em uma prova do vestibular ou Enem. 

Ian McEwan, o badalado autor de Reparação, dá início à narrativa de A Barata prestando uma evidente homenagem ao clássico de Kafka. No entanto, a situação se inverte. Neste, é a barata que, certa manhã, acorda em uma cama transmutada em uma criatura monstruosa: um homem. Mas não se trata de um homem qualquer e, sim, do Primeiro Ministro do Reino Unido. Com a metamorfose, vem uma carga ininterrupta e inesgotável de responsabilidades e decisões a serem tomadas. Como a barata não tem nada a perder em um corpo que não lhe pertence, mas que será devolvido ao dono em breve, metamorfoseado em Jim Sams, a criatura dá início à execução de um tão engenhoso quanto absurdo plano, o Reversalismo. Isto é, além de inverter a lógica da clássica obra de Kafka, a ideia é inverter também o fluxo do dinheiro. Desse modo, as pessoas pagam para trabalhar e ganham dinheiro para consumir.  Continuar lendo A Barata – Ian McEwan