Batman: A Série Animada e Outras Animações do Morcego

Feliz Batman Day!

Como já citado em Dias do Batman anteriores neste site, o Batman Day não se trata de uma data fixa. E, por aqui, sempre homenageamos o Morcego como uma forma de celebrar seu legado.

No início do artigo que escrevi sobre o personagem criado por Bob Kane para a coluna Personalidade, há dois anos (quando o vigilante de Gotham completou oito décadas), mencionei que conheci o Batman por meio de um desenho animado de aspecto bastante rudimentar transmitido pela TV no início dos anos 1990. E no tópico Batman em Outras Mídias, eu até cheguei a falar brevemente sobre Batman Animated Series, talvez a série animada mais icônica estrelada pelo Homem-Morcego. Notei, então, que esse capítulo em especial, os desenhos animados estrelados pelo Batman, não foi abordado como merecia e, portanto, carece de mais atenção.

Por isso, desta vez, vamos comemorar o Batman Day relembrando Batman Animated Series e outras séries de animação protagonizadas pelo nosso ilustre Cavaleiro das Trevas.

BATMAN ANIMATED SERIES (1990)

A premiada série, vencedora de 4 Emmys, estreou em 5 de setembro de 1992 na Fox, trazendo uma proposta diferenciada e inovadora em termos de animações estreladas por super-heróis. Abreviada como Batman: TAS e conhecida aqui no Brasil primeiramente como O Novo Batman, pode-se dizer que os tradutores brasileiros, dessa vez, acertaram em cheio! Não se tratava de um novo personagem vestindo o manto do Morcego, era o mesmo Bruce Wayne que já conhecíamos de outros carnavais (e não estou me referindo aos filmes de Joel Schumacher que vieram bem depois…), mas para aqueles que se acostumaram com desenhos de super-heróis com paletas coloridas e vibrantes, como o Super Amigos, ou com a faceta humorística de Batman adotada pelos produtores e roteiristas da clássica série Batman & Robin, exibida durante a década de 1960, teve a oportunidade de conferir outra versão do personagem que se aproximava mais do herói dos quadrinhos da DC Comics, com histórias mais sombrias visando o público adulto, trilha sonora de classe e de qualidade artística irrepreensível. 

A animação era primorosa, evocando um clima noir e com roteiros levemente inspirados pelos quadrinhos assinados por Frank Miller (Batman: The Dark Knight Returns) e pelos filmes de Tim Burton, que tinham ganhado as telas com grande sucesso em anos anteriores.

Com produção da Warner Bros. Animation, Batman Animated Series é conhecida por ser a série que inaugurou o chamado DC Animated Universe (Universo Animado DC), formado por outras séries de destaque e sobre as quais falaremos por aqui mais adiante. O desenho animado utilizou como referências visuais o trabalho artístico do produtor Bruce Timm. E coube a ele, ao lado de Alan Burnett e Eric Radomski, a missão de desenvolver a aquela que viria a ser a animação mais popular do Batman, em parceria com escritores e roteiristas de respeito, como Paul Dini, um grande fã do personagem e responsável pelo texto de animações de grande sucesso como Tiny Toons.

Foi o êxito artístico e comercial de Batman: TAS que levou a Warner Bros a produzir outras adaptações para desenhos animados dos personagens da DC Comics, sempre seguindo a linha de Batman, com um texto que conseguia agradar e atrair diferentes faixas etárias.

O tema musical da série era uma variação da trilha assinada por Danny Elfman para os longas Batman e Batman: O Retorno de Tim Burton. Uma das principais influências para a concepção da trilha sonora do desenho animado foram canções tradicionais da década de 1940.

Ainda que fosse destinada também ao público adulto, não se podia negligenciar as demais faixas etárias que mostravam interesse pela animação. Portanto, como forma de atenuar um pouco a violência, mas sem deixar de lado o realismo, muitas cenas destacam apenas as silhuetas dos personagens durante os embates corporais. A paleta cromática corrobora essa atmosfera dark, investindo em tons sombrios. O visual de Gotham utilizava a Art Decó como referência visual, tornando a composição da cidade do crime um dos elementos mais notáveis e digno de elogios da série.

Hesitantes a princípio, os executivos da Warner deixaram para trás toda a sua relutância em conceber um desenho de super-herói com uma atmosfera adulta e obscura ao conferir o episódio piloto finalizado, intitulado “Asas de Couro”. A partir daí, os produtores receberam sinal verde para dar continuidade ao projeto.

O resultado? Uma série popular, de grande êxito, que recebeu elogios de todos os lados e uma enxurrada de críticas positivas, sendo considerada por revistas especializadas e portais de entretenimento como uma dos melhores desenhos animados de super-heróis de todos os tempos e uma das melhores animações da história. Todo esse alarde em torno da produção, a levou a conquistar quatro estatuetas do Emmy na edição de 1993 da premiação dedicada à produções televisivas. Entre eles, o prêmio de Melhor Animação, além de categorias de roteiro e trilha sonora.

A série teve encerramento em 15 de setembro de 1995, pouco mais de dois anos após sua estreia, totalizando três temporadas e, ao todo, 85 episódios. O suficiente para marcar os Batmaníacos, introduzir o universo do Cavaleiro das Trevas a novos e potenciais fãs que tiveram seu primeiro contato com o herói por meio dessa produção, e permanecer até hoje na memória afetiva de todos aqueles que curtem o personagem.

Aqui no Brasil, a série foi transmitida com grande sucesso pelo SBT em meados da década de 1990. Na TV aberta, passou ainda pela Rede Record e foi exibida também nos canais de televisão por assinatura Cartoon Network e Tooncast.

Fãs do Morcego que ainda não tiveram a oportunidade de conferir essa primorosa série, atenção: neste Batman Day, a animação finalmente passa a integrar o catálogo da HBO MAX! Se você é assinante do serviço de streaming, não deixe de conferir. Clique aqui para assistir 😉

Batman: TAS pode ser a melhor e ainda insuperável série de animação do Cavaleiro das Trevas. Mas o herói da DC Comics vem estrelando desenhos animados há um bom tempo…

THE BATMAN/SUPERMAN HOUR (1968)

A história do Morcego nas animações para a TV teve início no final da década de 1960, mais propriamente dizendo em 1968, quando a emissora de televisão norte-americana CBS passou a veicular uma faixa de desenhos animados produzidos pela Filmation. O bloco de animação tinha duração de uma hora e durou por apenas uma temporada, encerrando em 1969, com 34 episódios. Trata-se da primeira versão animada de Batman que ainda trazia desenhos estrelados pelo Superman e Superboy. Na dublagem brasileira do desenho, algumas das vozes mais marcantes do nosso país nesse segmento: Isaura Gomes, Borges de Barros, Luiz Carlos de Moraes, Orlando Drummond… E, obviamente, o trabalho de dublagem ficou a cargo do lendário estúdio Herbert Richers.

SUPER AMIGOS (1973)

Um grande sucesso e também alvo de muitas críticas e piadas devido ao seu roteiro frágil e pueril e as diversas lições de moral transmitidas ao final dos episódios. A série foi produzida entre os anos de 1973 e 1985 pelos estúdios Hanna-Barbera, figurando como a série de animação mais longa estrelada por Batman em parceria com outros heróis. 

O desenho era estrelado pelos populares heróis da DC Comics, levando o conceito da Liga da Justiça para a telinha da TV. A formação original trazia Superman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Batman e Robin se unindo a personagens criados especialmente para a série – Wendy, Marvin e o Supercão – com o objetivo de combater as forças do mal e trazer justiça e bem-estar para toda a humanidade. Esses três personagens citados foram substituídos, a partir da segunda temporada da série, por outros heróis imaginados especialmente para o desenho e que ganharam bastante popularidade: os Super-Gêmeos Zan e Jayna, que não vieram sós, trazendo com eles o macaco Gleek.

É dessa animação que vem o famoso “Enquanto isso, na Sala de Justiça…”. A Sala de Justiça, em inglês: Hall of Justice, era a base de operações dos heróis, onde estabeleciam contato com o Coronel Wilcox que lhes fornecia informações exclusivas e alertava os heróis dos perigos que deveriam enfrentar em ordem de manter a ordem e a paz.

Como mencionado anteriormente, nem todos os personagens de Super Amigos faziam parte da galeria original de heróis da DC Comics. Além dos já citados, Chefe Apache, Samurai, El Dorado, Vulcão Negro são alguns exemplos de criações originais dos estúdios Hanna-Barbera. Em temporadas posteriores, personagens já conhecidos dos quadrinhos como Lanterna Verde e Flash se unem ao time de heróis. Coringa, Cheeta e outros vilões também dão as caras na animação. Rima, uma garota das selvas idealizada pelo escritor William Henry Hudson para o livro Green Mansions publicado em 1904, foi uma personagem licenciada para a animação. 

Super Amigos contou com oito temporadas. Uma série longeva. Foi exibida originalmente pela emissora norte-americana ABC e, aqui no Brasil, pela Rede Globo, CNT, SBT e Tooncast.

THE NEW ADVENTURES OF BATMAN (1977)

De volta à CBS, o Cavaleiro das Trevas estrelou The New Adventures of Batman, que foi ao ar entre 12 de fevereiro e 28 de maio de 1977, produzida pela Filmation e DC Comics em parceria com a Warner Bross. Batman contou com dois de seus emblemáticos coadjuvantes nessa série: seu sidekick, Robin, e a Batgirl. A dupla dinâmica combate o crime na cidade de Gotham e enfrenta a clássica galeria de vilões do Homem-Morcego, bem como alguns antagonistas criados especialmente para a série.

Todos os 16 episódios de The New Adventures of Batman foram reunidos e lançados em DVD – sem cortes, em seu formato original e em ordem cronológica de transmissão – em 26 de junho de 2007 pela Warner Home Video. Dentre os extras, há um minidocumentário relatando o processo de criação da série, intitulado “Dark Vs. Light: Filmation and The Batman”, que traz os depoimentos do animador e produtor Michael Swanigan e do fundador da Filmation, Lou Scheimer.

O desenho animado contava com as vozes de Adam West e Burt Ward dublando a dupla dinâmica. Sim, nada menos do que as estrelas do seriado cult da década de 1960, Batman & Robin, uma das versões em live-action de Batman mais lembradas e populares, ainda que se trate de uma adaptação satírica dos quadrinhos do herói.

THE SUPER POWERS TEAM: GALACTIC GUARDIANS (1985)

Outra produção da Hanna-Barbera foi transmitida originalmente entre 7 de setembro de 1985 e 6 de setembro de 1986, na ABC. A série possui apenas 8 episódios, cada um com cerca de 30 minutos de duração e se trata de uma espécie de continuação de Super Amigos ou uma versão final do desenho animado de grande sucesso. Aqui, a Liga da Justiça da América era chamada de Super Powers Team, como um meio de promover a linha de brinquedos Super Powers Collection da, hoje extinta, marca de brinquedos Kenner

Novamente, os heróis são reunidos na Sala de Justiça em Metropolis, agora reformulada a fim de emular o Pentágono, e devem lutar contra inimigos que lhes são bastante familiares, como Lex Luthor, Darkseid e Espantalho. Diferentemente da versão original do desenho, esta série não contava com a presença de narrador a cada episódio.

THE NEW BATMAN ADVENTURES (1997)

Sequência de Batman: The Animated Series, e comumente grafada com o acrônimo TNBA, foi produzida pela Warner Bros. Animation e transmitida pela emissora norte-americana THE WB (atual CW). As Novas Aventuras de Batman teve apenas uma temporada e novos personagens foram incorporados à narrativa. Conta com praticamente a mesma equipe de roteiristas, animadores e produtores da série original, com tramas ainda mais maduras e realistas do que a série anterior e mais centradas nos coadjuvantes do herói, como Asa Noturna e Batgirl. 

Em DVD, foi lançada com o título Batman: A Série Animada – Volume 4, contendo o mesmo tema de abertura da original, deixando nítido se tratar de uma continuação de Batman: TAS.

BATMAN DO FUTURO (2000)

Objeto de adoração dos Batmaníacos, provavelmente esta série só perde mesmo para Batman: TAS no coração dos fãs do Cavaleiro das Trevas.

Intitulada originalmente de Batman Beyond, foi produzida pela sólida e bem-sucedida parceria entre a Warner Bros. Animation e a DC Comics, novamente pelas mãos do aclamado Bruce Timm. A série foi ao ar originalmente pela The WB Network, entre 10 de janeiro de 1999 e 18 de dezembro de 2001, em um total de 52 episódios divididos em três temporadas, além de um longa-metragem. A série ainda gerou um spin-off intitulado Projeto Zeta que deve ter marcado as manhãs de muita gente que assistia ao Bom Dia & Cia no início dos anos 2000.

O episódio piloto é ambientado em 2019 e mostra Bruce Wayne no auge dos seus 50 anos, ainda servindo no combate ao crime em Gotham City, se valendo de um novo uniforme totalmente hi-tech. A trama avança 20 anos no futuro e, na altamente tecnológica Nova Gotham, Wayne vive recluso e solitário em sua mansão, contando apenas com a companhia de seu cão de guarda e sem mostrar nenhum interesse pela vida lá fora. Seu caminho se cruza com o do jovem revoltado Terry McGinnis, que já foi interno no reformatório juvenil de Gotham City e possui uma relação tempestuosa com o pai, que acaba sendo vítima de assassinato.

Terry vai morar com sua mãe e, devido à uma série de acontecimentos, envolvendo um arquivo contendo planos malignos do sócio de Bruce nas Indústrias Wayne-Powers – e que estava em posse do pai de Terry, antes de ele ser morto – o garoto vai parar na mansão Wayne e acidentalmente descobre a Batcaverna. Wayne o expulsa da mansão, mas Terry retorna para roubar a indumentária do Batman a fim de se vingar daquele que acredita ser o provável assassino de seu pai, o sócio de Bruce, Derek Powers. Diante da obstinação do jovem rebelde, Wayne resolve passar o bastão para Terry, o instruindo a ser seu sucessor, mas sob a fachada de assistente pessoal, de modo a manter a identidade do Batman em sigilo.

Por aqui, a série foi transmitida primeiramente pelo canal fechado Cartoon Network, pelas emissoras de TV aberta Rede Record e SBT e, por último, pelo canal a cabo Tooncast.

LIGA DA JUSTIÇA (2001)

Outro dos desenhos que marcou a geração 2000 que alternava, apertando as teclas do controle remoto, entre Bom Dia & Cia e TV Globinho nas velhas e icônicas televisões de tubo – quando os streamings ainda eram um sonho distante.

Liga da Justiça foi ao ar pela primeira vez em 17 de novembro de 2001 pela Cartoon Network, sendo encerrada após duas temporadas, em 29 de maio de 2004. Ao todo, a série contou com 52 episódios de cerca de 20 minutos de duração cada. Com o sucesso de Batman: The Animated Series, os animadores Bruce Timm e Paul Dini foram novamente chamados para trabalhar em uma adaptação da clássica equipe de heróis, com a missão de serem fiéis ao material de origem, os quadrinhos da DC Comics.

O legado de Batman: TAS é visível nesta adaptação que destoa completamente do clima infantil e família dos Super Amigos, assumindo uma vibe mais séria e madura. A ideia era prestar um tributo à formação original da Liga e investir em diversidade e representatividade, em uma época em que essas palavras ainda eram pouco comuns nas mídias tradicionais. A Liga da Justiça apresentou um amplo leque de personagens com origens, culturas e raças diversas.

Os membros fundadores da Liga são: Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Flash, Mulher-Gavião, Lanterna Verde e Ajax. O grupo ainda conta com um poderoso time de aliados, incluindo a Tropa dos Lanternas Verdes, Nova Gênese e vários outros. E, obviamente, têm de enfrentar um time respeitável de vilões e antagonistas, incluindo os clássicos Coringa, Lex Luthor e Mulher-Leopardo, só para citar alguns. Aquaman, que apenas recentemente foi capaz de alcançar um arco redentor nos quadrinhos e cinema, com o filme estrelado por Jason Momoa, ficou de fora dessa adaptação, mas faz uma participação na série.

Com roteiros complexos e focados na humanidade dos heróis, no seu senso de justiça e no poder do trabalho em equipe, Liga da Justiça foi amplamente aclamado pelos fãs dos quadrinhos.

No Brasil, a série também foi exibida primeiramente pelo Cartoon Network, a partir de 1º de junho de 2002. Migrou para a TV aberta em 16 de dezembro, do mesmo ano, sendo transmitida pelo SBT. A emissora paulista reprisou a série à exaustão até 2013. Por fim, Liga da Justiça passou a ser exibido pelo Tooncast, na TV a cabo. A série ganhou uma sequência intitulada Liga da Justiça Sem Limites, também exibida por aqui.

LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES (2004)

Produzida, obviamente, pela Warner Bros em colaboração com a DC Comics, a série estreou em 31 de julho de 2004, no Cartoon Network, e se encerrou em 13 de maio de 2006, permanecendo no ar por três temporadas e totalizando 39 episódios de aproximadamente 20 minutos.

Além dos membros fundadores da Liga, conta com diversos personagens secundários e figurantes, compondo um grande time de aliados e apresentando uma impressionante galeria de vilões. A série foi responsável por resgatar alguns personagens mais obscuros e lado B dos quadrinhos e lhes dar a oportunidade de fazer seu début nas telinhas, aparecendo pela primeira vez fora de sua mídia original, como é o caso de Gavião Negro e Vigilante. Os fãs dos quadrinhos da DC puderam se deliciar ao conferir uma imensidade de heróis e vilões, além dos mais tradicionais, desfilando pela tela, fazendo jus ao título: Sem Limites.

A série venceu importantes prêmios, como o Annie, o Oscar da animação, em 2006 na categoria Melhor Direção em uma Produção Animada para Televisão. O prêmio foi entregue a Dan Riba pelo episódio Embate. Ainda ganhou um Emmy pela música tema, de autoria de Michael McCuistion e o WGA (prêmio entregue pelo Sindicato dos Roteiristas) no segmento dedicado à televisão, de Melhor Roteiro em Animação para a TV, pelo episódio Escrito nas Estrelas.

Por aqui, o desenho passou pelas emissoras Cartoon Network e SBT, que o veiculou de outubro de 2005 até março de 2018.

THE BATMAN (2004)

Ao contrário da supracitada Batman: TAS, esta série produzida e distribuída pela Warner Bros. visava a audiência dos pequenos, como um meio de introduzir o personagem no imaginário infantil. Não que o desenho fosse bobo e pueril como Super Amigos. Tratava-se de uma animação bastante dinâmica, que respeitava o cânone e a essência do personagem.

The Batman trazia o Homem-Morcego em início de carreira, combatendo o crime na decadente e sombria Gotham. Por baixo do manto do Cavaleiro das Trevas, ainda temos o playboy atormentado de passado trágico, Bruce Wayne, auxiliado pelo seu mordomo e tutor Alfred Pennyworth, que faz o que pode para ajudar a esconder a identidade do patrão. O que a tornava mais atraente para o público infantil era o fato de as tramas possuírem um aspecto por vezes mais lúdico, com uma atmosfera acentuada de humor, pouca violência gráfica e vilões com aparências pitorescas ao invés de assustadoras. 

É uma boa pedida para quem está começando a se aventurar pela mitologia do Morcego, pois traz personagens clássicos do canon do herói, tais quais Comissário Gordon, Batgirl, Robin, Superman (que dá as caras em uma participação no final da série), além dos clássicos inimigos: Coringa, Charada, Mulher-Gato, Pinguim, Bane, Hera Venenosa, Senhor Frio, Arlequina… Enfim, um bom entretenimento e uma série bem simpática estrelada pelo Cavaleiro das Trevas. Passa bem longe do texto robusto e denso de Batman: TAS, mas é uma animação que cumpre com louvor aquilo que propõe.

A série estreou em 11 de setembro de 2004 na Kids’ WB e teve seu fim em 8 de março de 2008 após cinco temporadas e 65 episódios. Por estas bandas, como de costume, foi transmitido pelo Cartoon Network e SBT, a partir de 2006.

BATMAN: OS BRAVOS E DESTEMIDOS (2008)

Trata-se de mais uma parceria entre  Warner Bros. e DC Comics. A animação é baseada no arco de histórias em quadrinhos The Brave and the Bold, título compartilhado por diversas ramificações de heróis da editora DC. Transmitida originalmente entre 14 de novembro de 2008 e 8 de agosto de 2011 no Cartoon Network, em três temporadas, compreendendo 65 episódios de cerca de 20 minutos de duração. Foi exibida no Brasil também pela Cartoon Network, a partir de abril de 2009 e posteriormente pelo SBT a partir de outubro do mesmo ano.

A animação dá destaque a coadjuvantes menores do Universo DC, tanto heróis quanto vilões, mostrando o Batman trabalhando em equipe com heróis como Besouro Azul e Arqueiro Verde contra inimigos como Equinox e Starro. Distante da seriedade de outras animações estreladas pelo herói, Batman: Os Bravos e Destemidos investe em uma alta carga de humor, inspirada pelo seriado cult da década de 1960 e fazendo referências à Era de Ouro dos Quadrinhos, que compreende o período entre 1938 e meados da década de 1950 nos Estados Unidos.

BATMAN: GOTHAM KNIGHT (2008)

Essa é a oportunidade de ver o Cavaleiro das Trevas no formato anime. 

A série, que no original, em japonês, se chama: バットマン ゴッサムナイト (em rōmaji: Battoman Gossamunaito) é uma co-produção entre Japão, Coréia do Norte e Estados Unidos, realizada em 2008 e desenvolvida pelos estúdios de animação japoneses Studio 4°C, Madhouse, Bee Train e Production I.G. em colaboração com as velhas conhecidas DC Comics e Warner Bros. Animation.

A série reúne seis curtas protagonizados pelo herói. São eles: Have I Got A Story For You; Crossfire; Field Test; In Darkness Dwells, Working Through Pain e Dead Shot. A trama fica situada entre os longas Batman Begins (2005) e Batman O Cavaleiro das Trevas (2008), ambos dirigidos por Christopher Nolan, e é centrada na luta de Batman contra a máfia de Gotham. 

Nos Estados Unidos, foi distribuída diretamente para o mercado de home video.

BEWARE THE BATMAN (2013)

Criada para substituir Batman: The Brave and the Bold na programação do Cartoon Network, essa animação bastante estilizada e soturna do Morcego estreou em 13 de julho de 2013 na faixa DC Nation do canal, permanecendo no ar por apenas uma temporada, constituída de 26 episódios, encerrando-se em 28 de setembro de 2014, ano em que passou a ser transmitida pelo Adult Swim, também nos Estados Unidos. A série de animação foi produzida pela Warner Bros. Animation em parceria com o indiano Xentrix Studios.

Na trama, o herói se alia à espadachim Katana no combate ao submundo do crime. Seu mordomo, Alfred, se revela um agente secreto. Juntos, eles lutam contra inimigos como Anarquia, Ra’s al Ghul, Tobias Whale, Senhor Sapão e Doutor Porko.

Beware The Batman é uma das séries que mais aproxima o vigilante de Gotham de sua origem nas primeiras histórias em quadrinhos, quando Batman era mais um detetive do que um super-herói tradicional.

OUTRAS APARIÇÕES

Na animação The New Scooby-Doo Movies dos estúdios Hanna-Barbera, o Batman deu as caras no episódio The Dynamic Scooby-Doo Affair que foi ao ar originalmente em 16 de setembro de 1972, com 41 minutos de duração. Na trama, a dupla dinâmica se une ao Mystery Inc. para capturar uma estranha figura que tem relação com o Coringa e o Pinguim.

Em uma série animada querida pela geração 2000, o justiceiro de Gotham, ao lado de seu sidekick, Robin, se une ao Super Choque para derrotar Coringa, que foi parar em Dakota, cidade natal do herói que dá título à série, com o intento de recrutar alguns de seus inimigos, formando uma nova equipe do mal. O episódio, intitulado The Big Leagues, é o primeiro da segunda temporada e foi exibido em 26 de janeiro de 2002, tendo aproximadamente 20 minutos de duração.

O Morcego ainda apareceu em outros episódios de outras temporadas de Super Choque, como o primeiro da season 3, Hard as Nails que, inclusive, foi escrito por Paul Dini, indo ao ar em 25 de janeiro de 2003; e tornou a marcar presença cinco episódios depois, em A League of Their Own, Part 1, transmitido em 1º de março de 2003.

Novamente, abrilhantando a estreia de uma temporada, Batman estrelou ao lado do herói que dá nome à série o primeiro episódio do 4º ano de Super Choque. Em Future Shock, o protagonista da série é acidentalmente arremessado 40 anos no futuro, e precisa se aliar ao Batman daquela era: Terry McGinnis de Batman Beyond. O episódio foi transmitido em 17 de janeiro de 2004.

Falando em Batman Beyond, como mencionado anteriormente, Projeto Zeta é uma animação derivada dessa série. Foi em Batman do Futuro, no episódio 33 intitulado Zeta, que o robô humanóide fez sua estreia. Apareceu novamente no episódio de número 51, Countdown

Aliás, uma curiosidade: essas séries citadas integram o já citado Universo Animado DC e existe uma ordem cronológica para quem quiser conferi-las, começando por Batman: A Série Animada (1992), As Aventuras de Batman e Robin (1994), Superman: A Série Animada (1996), As Novas Aventuras do Batman (1997), Batman do Futuro (1999), Super Choque (2001), Projeto Zeta (2001), Liga da Justiça (2001) e finaliza com Liga da Justiça Sem Limites (2004). Um total de 384 episódios.

E aí? Alguém se dispõe a iniciar uma maratona seguindo essa ordem? Uma ótima maneira de celebrar o BatmanDay é curtir as animações estreladas pelo Morcego!

Andrizy Bento

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s