Arquivo da tag: YA Lit

Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Outubro

Legend – Marie Lu

Legend é o primeiro livro da série distópica há muito tempo aguardada pelos fãs. Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C, na atual República da América. Conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda.

 Nyx na série House of Night – P.C. Cast

A Morada da Noite não é uma escola como outra qualquer – e não apenas porque é uma escola para vampiros! É um lugar em que magia, religião, folclore e mitologia de diferentes tradições se encontram para criar algo incrivelmente novo. Em Nyx na série House of Night, alguns dos mais aclamados autores de romances para jovens adultos se juntam a outros especialistas para ajudar você a desvendar as influências por trás da série de P.C. e Kristin Cast. Embarque numa viagem com P.C. Cast enquanto ela descobre a tradição que a levaria aos vampiros da Ilha de Skye. Leia a defesa que Kristin Cast faz de mulheres históricas ou mitológicas que, como Zoey, ficaram craques em lidar com vários homens ao mesmo tempo. Faça um tour por Tulsa com a escritora Amy H. Sturgis, que nasceu e cresceu lá. E leia também os instigantes ensaios de: Karen Mahoney, sobre Nyx e outras deusas da noite; John Edgar Browning, sobre a presença dos vampiros no folclore, na ficção e no mundo real; Jana Oliver, sobre tatuagens e outras Marcas; Ellen Steiber, sobre as lendas que sempre cercaram os gatos; Jordan Dane, sobre o povo Cherokee; Jeri Smith-Ready, sobre a incrível inspiração nos Raven Mockers e Kalona; Trinity Faegen, sobre a versão grega do Mundo do Além; Bryan Lankford, sobre os paralelos entre Wicca e rituais vampíricos; Yasmine Galenorn, sobre o culto à Deusa e suas sacerdotisas; Christine Zika, sobre conexões entre Nyx e a Virgem Maria. Nyx na série House of Night traz ainda um apêndice com inúmeras curiosidades sobre a origem dos nomes dos personagens.

Sob a Redoma – Stephen King

Um campo de força se materializa subitamente em uma cidade do Maine, isolando do resto do mundo as pessoas sob a redoma. O livro narra os conflitos, ações e reações dos presos que, em meio ao caos, também se perguntam quem ou o quê está por trás do acontecimento.

A Sombra da Serpente – Rick Riordan

Apesar de seus melhores esforços, Carter e Sadie Kane parecem não conseguir abater Apófis, a Serpente do Caos. Agora Apófis está ameaçando mergulhar o mundo na escuridão eterna, e os Kane se deparam com a tarefa impossível de destruí-lo de uma vez por todas. Infelizmente, os magos da Casa da Vida estão à beira de uma guerra civil, os deuses estão divididos e os jovens iniciados da Casa do Brooklyn lutam quase sozinhos contra as forças do Caos. A única esperança dos Kane é um feitiço antigo que pode transformar a própria sombra da serpente em uma arma, mas a magia esteve perdida por um milênio. Para achar a resposta que precisam, os Kane devem contar com um fantasma assassino de um mago poderoso que pode ser capaz de levá-los à sombra da serpente… ou pode levá-los à morte nas profundezas do mundo inferior. Nada menos que o mundo mortal está em risco quando a família Kane cumpre seu destino nessa conclusão eletrizante de As Crônicas dos Kane.

Lua de Sangue – Andrea Cremer

Best seller do New York Times, Sob a luz da lua, é o primeiro livro da série Nightshade, de Andrea Cremer. A protagonista Calla Thor não é uma menina normal, e sempre soube que seu destino seria se unir a Ren Laroche, sendo sua fiel companheira até o último dia de suas vidas. Só que Calla, assim como Ren, é tão humana quanto loba. Alfa dos Nightshades, ela é responsável pelo bem estar e segurança dos outros integrantes de seu grupo e deve obediência aos Defensores, feiticeiros que vigiam os humanos desde tempos imemoriais. Tudo estaria a salvo se não fosse Shay Doran, um misterioso humano que faz Calla transgredir as severas leis que regem seu mundo e colocar em risco não só a sua vida, mas a de todos aqueles que ama.

Mentiras – Michael Grant

 Isso aconteceu em uma noite: uma garota morta caminha entre os vivos, Zil e os Normais ateiam fogo a Praia Perdido, e no meio das chamas e fumaça, Sam vê o garoto que mais teme – Drake. Mas Sam e Caine derrotaram ele junta com a Escuridão – ou assim acreditavam. Com Perdido Beach queimada, o combate inicia-se: Astrid contra a Town Council, os Normais contra os mutantes, e Sam contra Drake. E a profetiza Orsay e Nerezza estão pregando que a morte os libertará. Com a vida em LGAR tornando-se cada vez mais desesperadora, ninguém sabe em quem confiar.

Gata Branca: Mestres da Maldição – Holly Black

Cassel vem de uma família de mestres da maldição – pessoas que têm o poder de mudar emoções, memórias e destinos com o mais leve toque das mãos. Mas fazer isso é ilegal, o que significa que todos eles são criminosos. Exceto Cassel. Ele não tem o toque mágico, está de fora: é o único filho normal em uma família paranormal. O único detalhe é que matou sua melhor amiga. Tentando fugir de seu terrível passado, Cassel faz de tudo para ser como os outros garotos. Uma noite, porém, tudo vai por água abaixo: depois de sonhar repetidas vezes com uma estranha gata branca, um ataque de sonambulismo o põe em perigo e ele começa a achar que seus irmãos estão escondendo mais do que alguns segredos. Desconfiado de que não passa de uma pequena peça de um grande golpe, Cassel começa então a fazer uma busca em seu passado e em suas memórias, que parecem lhe fugir. Para desvendar os mistérios de sua vida, ele vai precisar armar um verdadeiro golpe de mestre.

A Primeira Noite – Marc Levy

Após o acidente no Rio Amarelo, Adrian abandona suas buscas pelos fragmentos que podem revelar a origem do mundo e chora a morte de Keira. Mas quando uma foto mostra que ela ainda pode estar viva, ele retoma sua busca por Keira e pelos segredos que estão ocultos à milhões de anos e podem mudar a história da humanidade.

Lola e o Garoto da Casa ao Lado – Stephanie Perkins

Neste livro, dois adolescentes descobrem que o verdadeiro amor pode estar mais próximo do que o que eles acham. Para a figurinista Lola Nolan, quanto mais escandalosa, mais brilhante e mais divertida a roupa for, melhor. Todavia, mesmo com o estilo de se vestir chocante, Lola é uma filha devota e amiga, com grandes planos para o futuro. E tudo bem está perfeito (inclusive seu namorado roqueiro sexy) até que os temidos gêmeos Bell se mudam novamente para a casa ao lado. Quando a família retorna e Cricket, um inventor talentoso e engenheiro, deixa de ser a sombra de sua irmã gêmea, voltando para a vida de Lola, ela finalmente reconcilia uma vida de sentimentos para com o garoto da casa a lado.

Sede de sangue – Diários do Vampiro: Diários de Stefan – Livro 2 – L. J. Smith, Kevin Williamson, Julie Plec

Stefan e Damon Salvatore agora são vampiros, e tem de lidar com as conseqüências de seu destino. Eles escapam da sua pequena cidade natal de Mystic Falls, que é invadida por caçadores de vampiros, e viajam para New Orleans. Enquanto Stefan se deleita no seu poder, Damon continua a lamentar a perda de Katherine, a bela vampira que transformou os dois. Mas New Orleans oferece tentações e perigos. Stefan se apaixona por outro humano, e sua vontade é testada ao limite. Damon acaba sendo capturado por um caçador de vampiros do mal, sádico. Stefan sabe que ele deve salvar seu irmão, mas vai custar-lhe o seu novo amor?

O Diário das Cartas Curiosas – 13ª Realidade – Livro 1 – James Dashner

Já pensou se toda e qualquer decisão que você tomasse tivesse pelo menos uma consequência importante: a criação de uma nova realidade, uma em que você teria tomado uma decisão diferente? Atticus Higginbottom, ou simplesmente Tick, é um garoto normal. Ou pelo menos era, até receber uma curiosa carta com selo de Macadâmia, Alaska, e com apenas duas iniciais – M. G. – como remetente. Nela, Tick é convocado a desvendar uma série de enigmas, na tentativa de salvar nada mais nada menos que sua realidade inteira! Será Tick corajoso o suficiente para seguir as pistas deste grande mistério? Ele conseguirá resolver os enigmas a tempo? O Diário das Cartas Curiosas está repleto de aventura, descobertas, humor, enigmas e… perigos. Você está disposto a seguir Tick e seus amigos nessa incrível jornada através das Realidades?

A Última Princesa – Galaxy Craze

FELIZES PARA SEMPRE é uma coisa do passado. Uma série de desastres naturais dizimou a terra. Afastada do resto do mundo, a Inglaterra é um lugar sombrio. O sol raramente brilha, a comida é escassa e grupos de criminosos perambulam pelas florestas, buscando caça. As pessoas estão ficando indóceis. Quando um revolucionário implacável decide roubar a coroa, ele faz da família real seu primeiro alvo. Muito sangue é derramado no Palácio de Buckingham e apenas e Princesa Eliza, de dezesseis anos, consegue escapar. Determinada a matar o homem que destruiu sua família, Eliza se junta às forças inimigas disfarçada. Ela não tem mais nada pelo que viver a não ser vingança, até que ela conhece alguém que lhe ajuda a lembrar como ter esperança (e amar) – outra vez. Agora ela precisa arriscar tudo para que não se torne… A Última Princesa!

A Garota Dragão I: A Herança de Thuban – Licia Troisi

Autora das trilogias de enorme sucesso Crônicas do Mundo Emerso, As Guerras do Mundo Emerso e Lendas do Mundo Emerso, a italiana Licia Troisi conta, em sua nova série, A Garota do Dragão, a história de Sofia. Criada num orfanato, a jovem não tem mais esperança de mudar de vida, até que um professor de antropologia resolve adotá-la, e lhe revela que o sinal que ela possui em sua testa encerra o espírito do dragão Thuban. Com grande habilidade narrativa, a autora constrói uma emocionante trama de fantasia e aventura em que Sofia se vê envolvida numa grande batalha contra as forças do mal.

Trilogia das Flores: Rosa Negra – Nora Roberts

Após agradar o público com Dália Azul, chega ao Brasil Rosa Negra, segundo volume da Trilogia das Flores, de Nora Roberts. Assim como todos os títulos da autora, vendeu centenas de milhares de cópias nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha e figurou nas principais listas de mais vendidos. Ao mesclar romantismo com uma dose de paranormalidade, a autora criou uma trama que agradará até aos seus mais exigentes fãs. A Trilogia das Flores é um exemplo perfeito da técnica narrativa de Nora Roberts que conquistou milhões de leitores ao redor do mundo. Aos 47 anos, Rosalind Harper (Roz) é uma mulher capaz de passar pelas maiores provações sem esmorecer. Com três filhos, ela sobreviveu a dois casamentos e construiu um viveiro, de onde tira seu sustento. Ao longo dos anos, o viveiro deixou de ser apenas um ganha-pão e se tornou muito mais que isso: um símbolo da esperança e da independência dela, que divide o negócio com mais duas mulheres, Hayley e Stella, suas companheiras para todas as horas. As três são o futuro do viveiro. Contudo, esse futuro corre perigo, e Rosalind sabe que elas não podem lutar sozinhas contra o fantasma da Noiva Harper. Contratado para descobrir os ancestrais da família Harper, o Dr. Mitchell Carnegie se vê intrigado com a própria protagonista. E, conforme o mistério por trás da identidade da Noiva Harper começa a se desfazer, ela percebe com espanto que se vê atraída pelo genealogista. Três mulheres se encontram em momentos fundamentais em suas vidas — todas em busca de novas formas de crescer — e descobrem umas nas outras a coragem de arriscar e encarar o futuro.

Monstramigas Para Sempre – Gitty Daneshvari

É o primeiro dia de estudos horripilantes de Rochelle Goyle, Vênus McFlytrap e Robecca Steam em Monster High, a escola mundialmente famosa para monstros. As garotas tornam-se monstramigas rapidamente, entre as aulas de Literatura Monstruosa e Ciência Maluca, conquistando também a amizade de Frankie Stein e a inimizade de Cleo de Nile. As três não são as únicas novas na escola: a professora de Encantamento de Dragões, Sylvia Flapper, e seu exército de trolls, “patrollando” os corredores, também acabaram de chegar. Mas quando todos os outros alunos começam a agir como se a srta. Flapper fosse a professora mais eletrizante de todos os tempos, as três monstramigas descobrem um plano para dominar a escola. Agora Rochelle, Vênus e Robecca têm que ser monstruosamente corajosas para salvar Monster High.

A Cidade dos Vampiros – Ellen Schreiber

A pequena e entediante Dullsville está prestes a se tornar a cidade dos vampiros?! Era tudo o que Raven mais queria! Mas, “infelizmente”, ela terá que impedir que isso aconteça. Jagger, vampiro e rival de longa data de Alexander, está na cidade com Luna, sua irmã gêmea recém-transformada. Eles querem vingança e têm um plano… Cabe a Raven e Alexander localizá-los e impedi-los, de uma vez por todas!

Como Salvar Uma Vida – Sara Zarr

Jill MacSweeney só quer que tudo volte ao normal. Mas, desde que seu pai morreu, ela tem se isolado do namorado e das melhores amigas – de todo mundo que quer apoiá-la. E quando sua mãe decide adotar um bebê, parece que, de algum modo, está tentando substituir um membro perdido da família por um novo. Mandy Madison sabe o que é crescer sendo indesejável – foi criada por uma mãe que nunca pretendeu ter uma filha. Então, quando Mandy fica grávida, a única coisa de que ela tem certeza é que quer uma vida melhor para seu bebê. É difícil saber o que quer para si mesma. Será que ela vai encontrar alguém que se importe com ela? À medida que seus mundos se transformam, Jill e Mandy devem aprender a se desapegar e a se apegar, e que nada é tão fácil – ou tão difícil – quanto parece. Aclamada pela crítica, Sara Zarr mostra uma história tocante, contada a partir de duas perspectivas, sobre os muitos caminhos que podem nos conduzir a um lar.

Lilian Alipio 

A Literatura Atual E O Efeito Dominó

Alguns acontecimentos recentes no meio literário afora, somado a coisas que eu já vi por aí, me fizeram escrever esse texto como uma forma de desabafo, como leitora e blogueira.

É um fato de conhecimento geral de qualquer pessoa que acompanha o meio literário que, o aumento de aspirantes a escritores, e editoras surgindo no mercado brasileiro a todo a vapor vem crescendo. Até aí, tudo bem. Estamos numa era digital, em que a internet virou uma ferramenta poderosa de divulgação de trabalhos desses autores. Eu acompanho o lançamento desses novos escritores já faz quase dois anos através do meu blog e durante esse tempo eu observei algumas coisas nada legais.

Lembra-se de uns caras chamados José de Alencar, Machado de Assis, e de uma mulher chamada Cecília Meireles, e outra escritora chamada Rachel de Queiroz? Pessoas assim, nada famosas… Então, essas pessoas não tinham o acesso à informação como temos hoje, e até mesmo muitos dos escritores de suas respectivas épocas não tiveram acesso a uma boa formação e estudo. Pois é. Vejam o exemplo de Machado de Assis que eu gosto de citar – para mim ele é um referencial de escritor que sempre buscou dar o melhor de si em suas obras – ele nunca frequentou uma universidade e mal estudou, nasceu pobre e era gago! E olha aonde ele chegou…

Cecília Meireles já teve uma formação acadêmica em contraponto com seu colega. Mesmo assim, com uma dedicação de quase dez anos para escrever Romanceiro da Inconfidência, ela fez, e fez bem feito. Não teve pressa, deixando as águas rolarem…

Eu poderia citar muitos outros grandes autores por aí que se dedicaram com afinco ao ofício de escritor fazendo o serviço bem feito. Porém não é esse o foco.

Tudo bem, eles fazem parte da turma dos escritores de gente chata como eu e muitos por aí.

Entenderam onde eu quero chegar? Não?

Dedicação. Estudo. Paciência. Crítica. Leitura.

Essas coisinhas citadas é o que falta para a maioria dos aspirantes a escritores na atual cena da literatura brasileira. E digo com propriedade devido a tantas obras de má qualidade pipocando por aí com que eu já me deparei.

O aspirante precisa colocar na cabeça que, se ele quer levar o ofício da escrita a sério, tem que fazer bem feito. Ele precisa compreender que ele não vai virar um Stephen King da vida logo de cara. Que ele não vai colher louros e rosas caso venha publicar seu original. Lapidar, pedir segundas opiniões, reescrever quantas vezes for necessário, tudo isso é uma dedicação que tem de ser uma lei para essa galera. Esquecer o orgulho, e abaixar o nariz para as opiniões, sejam elas positivas ou negativas a respeito da sua obra. Não sair correndo atrás de editora feito cachorrinhos mendigando publicação. Ridículo.

Não, o pior é quando você vê que a na própria sinopse há erros absurdos de português. Isso me deixa completamente revoltada. Se na sinopse já tem erros primários de gramática – não falo de erros comuns, mas sim grotescos – não quero nem imaginar o resto do livro, porque é bem capaz de eu chorar de raiva. Aí entra a questão do estudo. Não é porque Machado de Assis não fez faculdade que você encontra erros horrorosos, muito pelo contrário, o cara sabia usar a língua portuguesa muito melhor que bastante aspirante de escritor por aí que se diz estudante de Letras. Hum, sei…

Um mal da nossa era atual é que tudo é muito rápido. Ou seja, estamos sempre com pressa e na correria todos os dias, refletindo assim nos nossos projetos pessoais. Eu publiquei um conto de minha autoria numa antologia há alguns meses. Gostei da experiência, mesmo com os seus altos e baixos. Talvez eu tenha sido apressada em publicar…? Talvez, porque, agora mesmo, eu não me sinto nada preparada para dar a cara à tapa novamente com um original. Agora não, no futuro provavelmente… Se quiserem tomar como um exemplo, fiquem à vontade, porque falta paciência para os escritores novatos.

Já vi o caso de um livro de uma autora iniciante publicado por uma editora famosinha, escrito em menos de um mês, combinando todo o tipo de bizarrice que vocês, pobres leitores, possam imaginar… E quando veio as resenhas de leitores críticos: Ai meu ego! Essa autora não é a única, mas talvez a mais famosa por ser egocêntrica e se achar uma Meg Cabot versão Tupiniquim.

Aí vem a questão das boas críticas. O que essa citada autora não sabe aceitar, e muitas pessoas no geral, sejam elas em qualquer situação da vida. É hipocrisia da minha parte dizer que é fácil lidar com críticas negativas. Mentira. Não é e nunca vai ser. Mas se forem críticas construtivas, com certeza no futuro ela vai ser de grande ajuda para melhorar e acertar da próxima vez. Assim, os jovens autores precisam e necessitam fazer o exercício de baixar o ego e aceitar as críticas construtivas.

Mas nem todos os leitores são sinceros em suas resenhas quando leem algum autor nacional, complicando esse processo de aprendizado do jovem escritor. O livro da referida autora recebeu muitos elogios com direito a cinco estrelas no Skoob, entre outras puxações de saco – o fato dela ser uma blogueira famosa, amiga de outras blogueiras, também contou na hora das opiniões em massa – o que é deprimente e prejudicial para ela.

Continuando a usar o exemplo dessa mesma autora, percebe-se em suas listas de leitura que ela lê de tudo e mais um pouco dos gêneros YA e suas ramificações. Eu adoro YA, gosto de ler, mas não só isso. E, sim, a nossa querida autora lê somente esse gênero. Bom… Cada um lê o que gosta, certo? Porém eu sou da opinião que, se você quer ser escritor, é preciso você ler um pouco de tudo, desde Ficção Científica à Poesia, e claro buscar sempre ler livros de qualidade, não só livros para diversão. A leitura para um escritor em início de carreira tem que ser inspiradora, que dê ideias, sendo também uma forma de aprendizado. Escritores famosos, desde os clássicos aos mais atuais, têm muito a ensinar, basta somente a boa vontade do jovem autor para aprender.

Tudo o que mencionei até agora são coisas óbvias, mas que não estão sendo utilizadas nos dias de hoje, acarretando dessa forma a explosão de gente querendo ser escritor e de editoras picaretas no Brasil. E aí vêm os famosos blogs literários, que em sua maioria, possuem resenhas vazias, mal escritas e que dizem nada com nada, no final das contas. Claro, não são todos os autores, blogs e editoras. No entanto, uma coisa puxa a outra, tornando o processo um verdadeiro efeito dominó.

Isso me preocupa e me assusta diante do destino da nossa literatura atual. Mas eu acredito que tempos melhores virão. Apesar de já termos bons autores na nossa geração, a fé é termos mais no futuro.

Juliana Lira

Nas prateleiras: Lançamentos de Livros- Setembro

Divergente – Veronica Roth

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Um Porto Seguro – Nicholas Sparks

Quando uma mulher misteriosa chamada Katie aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, questionamentos são levantados sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie parece evitar laços pessoais formais até uma série de eventos levá-la a dois relacionamentos relutantes: um com Alex, o viúvo com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, o outro com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando Katie começa a se apaixonar, ela se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport. Com o apoio simpático e insistente de Jo, Katie percebe que deve escolher entre uma vida de segurança temporária e outra com recompensas mais arriscadas… e que, no momento mais sombrio, o amor é seu único refúgio.

Coragem Para Sonhar – One Direction

Escrito pelos cinco integrantes da banda One Direction, o maior fenômeno pop dos últimos tempos, este livro revela a história de como eles chegaram onde estão hoje: no topo das paradas musicais e no topo da lista de livros mais vendidos do jornal The New York Times. Nada mal para uma banda que acabou de completar dois anos de vida. “Coragem para sonhar”, a biografia 100% oficial do One Direction, traz ainda centenas de fotos e histórias para lá de divertidas de Harry, Liam, Louis, Niall e Zayn.

Cinquenta Tons Mais Escuros – EL James

Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

Resident Evil: Retribuição – John Shirley

A Terra está devastada por zumbis e aberrações geradas por mutações do T-vírus. Para sobreviver à nova realidade global, Alice luta ao lado de sobreviventes de um movimento de resistência e reencontra velhos conhecidos na contínua batalha contra a Umbrella Corporation e os mortos-vivos.

Gregor e As Marcas Secretas – Suzanne Collins

No quarto volume da aclamada série das Crônicas do Subterrâneo, Gregor é levado a se envolver cada vez mais em uma crise que se aprofunda. Há gerações, os ratos vêm expulsando os camundongos — ou “mordiscadores” — de qualquer terra que queiram, fazendo com que eles tenham de se mudar constantemente. Mas agora os camundongos estão desaparecendo, e a jovem rainha Luxa, que é grata a eles por terem salvado sua vida, está determinada a saber por quê.

Cidade dos Anjos Caídos – Cassandra Clare

A guerra acabou e Caçadores de Sombras e integrantes do submundo parecem estar em paz. Clary está de volta a Nova York, treinando para usar seus poderes. Tudo parece bem, mas alguém está assassinando Caçadores e reacendendo as tensões entre os dois grupos, o que pode gerar uma segunda guerra sangrenta. Quando Jace começa a se afastar sem nenhuma explicação, Clary começa a desvendar um mistério que se tornará seu pior pesadelo.

A Seleção – Kiera Cass

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China, e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças entre dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma — e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Selvagens – Don Winslow

Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de venda de maconha em Laguna Beach. Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, os dois amigos parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta: o Cartel de Baja, do México, que quer tomar a região, e avisa que não aceitará uma negativa como resposta. Quando os rapazes se recusam a ceder, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos dois. O sequestro de O. deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas inacreditáveis que deixarão os leitores ansiosos para descobrir o custo da liberdade e o preço de um grande barato.

O Primeiro Dia – Marc Levy

Keira é uma arqueóloga que possui um misterioso pingente, presenteado por uma criança que cuidou durante um bom tempo na Etiópia. Após uma tempestade, é forçada a voltar para casa e abandonar suas escavações. Na França, seu colar desperta a atenção de um professor, que promete estudá-lo com Keira. Adrian é um astrônomo que volta à Inglaterra após uma temporada no Deserto do Atacama e conheceu Keira há tempos. A vida dos dois se cruza e, por causa do pingente, ambos são jogados em uma busca pela origem do universo e da humanidade – e perseguidos por quem teme os resultados dessa procura.

Luxúria – Eve Berlin

SE VOCÊ NÃO FOR AO LIMITE, COMO SABERÁ ATÉ ONDE PODE IR?

Quando Dylan Ivory, escritora de romances eróticos, recebe o contato de Alec Walker, nem imagina o quanto esse homem pode mexer com seus pensamentos. Conhecido por ser um famoso dominador em relações sadistas e sadomasoquistas, Alec tenta convencer Dylan de que a melhor forma de se aprofundar no assunto – e então escrever um livro o mais próximo possível da realidade – é viver uma experiência como submissa e sentir na pele a sensação desse tipo de relação. Para Dylan, essa proposta será difícil de ser aceita – uma vez que ela é fanática por ter o controle de tudo em sua vida. Embalados por um misto de prazer e apreensão, o casal se vê em uma situação tentadora enquanto evitam entregarem-se ao sentimento que nasce entre eles. Primeiro romance da trilogia erótica de Eve Berlin, Luxúria traz uma história envolvente carregada de desejo e amor em que cada limite superado revela sensações ainda mais prazerosas.

Desejo Sombrio – Christine Feehan

O estranho conduziu-a silenciosamente através de continentes, através de mares. Ele sussurrava o seu eterno tormento, a sua fome sem fim… de escuridão, de desejos perigosos… E de algum modo, a cirurgiã Shea O Halloran podia sentir a sua angústia e a sua terrível solidão, e ela queria curá-lo.. curar-se a si própria. Atraída pelas longínquas montanhas dos Cárpatos, Shea descobriu um homem torturado, enraivecido, um homem como nenhum outro. E a sua alma estremeceu. Pois nos seus olhos enlouquecidos e no seu coração gelado ela reconheceu o terno estranho que se havia tornado parte de si. Este macho carpatiano seduziu Shea para o seu lado. Mas seria ela a sua médica… ou a sua presa? A sua vítima… ou a sua alma gêmea? Estava ele a levá-la à loucura… ou o seu desejo sombrio a preencheria por completo.

Feita de Fumaça e Osso – Lainy Taylor

Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo. O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito.

Lilian Alipio

Pode Beijar a Noiva – Patrícia Cabot

Numa época em que livros e contos eróticos estão na moda, Meg Cabot, a diva das histórias sobre princesas modernas (e aqui, nada tem a ver com a Sarah Sheeva) e dos livros voltados para o público infanto-juvenil, pode ser, surpreendentemente, uma boa pedida para os jovens que querem se entreter com este universo hot e, ao mesmo tempo, romântico, que está fazendo a cabeça do público leitor de todo o mundo.

Patrícia Cabot é o pseudônimo que Meg utilizou para assinar seus livros voltados para o público jovem/adulto, e um deles é o Pode Beijar a Noiva. Ele conta a história de Emma Van Court, dama londrina que, totalmente apaixonada pelo jovem Stuart, resolve fugir e se casar com ele mesmo tendo consciência de que sua vida muito dificilmente terá conforto financeiro.

Seis meses após o casório, Stuart morre (de uma maneira um tanto bizarra) e Emma se vê sozinha numa cidade pequena e pouco desenvolvida, morando numa cabana em condições precárias ao lado de uma cadela e um galo fujão. Misteriosamente, entretanto, ela passa a ter direito a uma grande herança caso volte a se casar, o que faz com que os marmanjos de todo o vilarejo se interesse por ela. Aliás, pelo seu dinheiro.

James Marbury, primo de Stuart e dono da fúria de Emma, vai até o vilarejo sem planos de vê-la, mas o destino prega-lhe uma peça. Ao encontrá-la em uma situação precária e cercada de homens querendo sua herança, James, que não precisa de dinheiro, pois é o Conde de Denham, se oferece como marido temporário de Emma, apenas para liberar a herança de que é era dona e, posteriormente, ele próprio resolverá tudo para a anulação do casamento, já que não irão consumar a união. Teoricamente.

O que podemos encontrar em Pode beijar a noiva é um típico romance “sessão da tarde” com pitadas de “tela quente”. Emma e James são divertidos juntos e Patrícia/Meg se esforçou para deixar algumas passagens engraçadas. O casal tem muita química e os capítulos destinados aos beijos apaixonados e ao sexo foram muito bem feitos (e detalhados!). Confesso que esse fato me pegou um pouco de surpresa, esperava por algo mais “infantil”, talvez por preconceito ou pela própria forma de pensar de Emma, que chega a ser chata no início do livro.

O amor que ela sente por Stuart é mostrado de forma breve (já que o próprio era contra demonstrações físicas de afeto dentre outras coisas), o que torna difícil a existência de “teams”, frequentes nos romances atuais. Stuart também é morno, enquanto Emma tinha uma alma “devassa”, como a própria diz. É com James que a personagem encontra a fusão entre a melhor e a pior parte de si mesma. Emma “devassa” é muito mais divertida do que a Emma “caridosa”, embora as duas estejam presentes em toda a trama.

Quem já está acostumado com literatura erótica (o que não é o meu caso) com certeza vai achar as relações sexuais entre Emma e James fracas e “sem sal”, mas para aqueles que ainda estão iniciando no gênero e curtem um bom romance, Pode beijar a noiva é totalmente indicado.

Daniele Marques

Destino – Ally Condie

Imagine viver num lugar onde tudo é totalmente controlado de acordo com o que o governo planeja para você: profissão, casamento, filhos, alimentação, diversão e até mesmo morte. O controle é absoluto, sem erros, ilusões e outros caminhos a serem seguidos. É assim que a Sociedade de Destino (Matched) mantém todos os habitantes das províncias sob suas normas.

É nesse lugar que vive Cássia Maria Reyes, personagem principal da obra de Ally Condie. Ela acaba de completar 17 anos e, por este motivo, deve comparecer ao conceituado e bastante aguardado “Banquete do Par”, onde irá conhecer seu futuro marido, aquele com quem deverá viver o resto da vida. Ele fora escolhido pela Sociedade: seu porte físico, suas características psicológicas, tudo milimetricamente controlado para que ele se relacione perfeitamente com Cássia, e para que juntos gerem crianças saudáveis (é dessa forma, aliás, que a Sociedade eliminou doenças que matavam muita gente antes de seu controle).

Mas para a surpresa de todos e da própria personagem, o par escolhido para ela vive na sua província, o que é raro de acontecer. O caso se torna ainda mais incomum quando Cássia descobre que o homem nomeado para ser seu, nada mais é que seu melhor amigo, Xander Thomas Carrow.

Cássia e Xander passam a ser vistos como pessoas de sorte, pois, na maioria dos casos, os pares são formados com gente que nunca se viu antes, geralmente moradores de províncias diferentes. Mas nem tudo acontece perfeitamente como o planejado: o “microcartão” recebido por Cássia, onde ela pode ter acesso ao seu par e suas principais características (como se já não as conhecesse perfeitamente), demonstra um funcionamento incomum: não é o rosto de Xander que aparece na tela e sim o de Ky, outro morador da província que ela também conhece.

Além de Ky não ser seu par, ele jamais deveria ter sido considerado um, pois é tido como uma “aberração” pela Sociedade. Mas o erro cometido por aquela que tem a fama de ser perfeita acaba envolvendo Cássia num dilema: seguir à risca o que a Sociedade preparou para o seu futuro; ou o seu coração, que tende a disparar toda vez que ela vê os olhos azuis de Ky?

Enquanto a personagem tenta entender o que sente, a autora nos apresenta os membros de sua família: pais, irmão e avô. Impossível não sentir um afeto maior por eles, que se amam mesmo com toda a repressão e frieza sentimental imposta pela Sociedade. No entanto, com o decorrer da trama, torna-se perceptível que o relacionamento entre eles não é perfeito como deveria ser: todos guardam segredos e mentem quando necessário, mesmo correndo risco de punição. É este fato e a presença de Ky na vida de Cássia que irá contribuir com o enfraquecimento da noção de vida perfeita que a personagem tinha.

O início do livro é um tanto maçante, mas ele ganha um ritmo legal após as cinquenta primeiras páginas. Xander é deixado de lado por uns capítulos, o que me incomodou um pouco, mas quando o enredo começa a tomar forma e a passividade de Cássia cede espaço para uma curiosidade impulsiva e pela busca de conhecimento, o livro se torna mais atraente e a leitura bastante prazerosa.

O triângulo amoroso é um tanto passivo neste livro, com Xander cedendo seu brilho (*spoiler*) para o misterioso Ky com muita facilidade. Acredito que no segundo título da trilogia, “Travessia”, ele será mais bem desenvolvido, intensificando a pergunta mais instigante e clichê de todos os tempos: com quem a mocinha deve ficar?

Destino é um bom livro, digno de três ou quatro estrelas. Talvez faça alguém repensar a própria vida, mas acredito que ele se encaixa melhor na categoria entretenimento, uma leitura gostosa antes de dormir ou para passar o tempo nas férias.

Curiosidade: Existem algumas obras que tratam de uma temática semelhante, como Fahrenheit 451 de Ray Bradbury e um mais recente intitulado Delírio, de Lauren Oliver.

Daniele Marques

 

 

 

[Literatura] Os Instrumentos Mortais

Eu conheci o trabalho da Cassandra Claire no início do ano passado, pouco antes de começar o meu TCC sobre Fanfics ao lado das amigas e parceiras @Fer_Serpa, @prado_carol, @sah_fontoura e @leletistella.

Cassie Claire é autora da série Instrumentos Mortais, que já ganhou o mundo e agora se prepara para virar franquia cinematográfica. Mas antes, ela era conhecida como a autora da famosa trilogia Draco Dormiens. Nunca ouviu falar? Trata-se de uma fanfic. E o que são fanfics? Como o próprio nome diz, são ficções criadas por fãs a partir de uma determinada obra. Você se apropria de personagens ou situações e as recria, escreve sob seu ponto de vista ou preenche lacunas que ficaram nas histórias originais. Mais ou menos quando você se decepciona com um livro, filme ou seriado e pensa “ah, seria bem melhor se o final tivesse sido dessa maneira…”. Tem gente que, ao invés de apenas imaginar como seria o desfecho perfeito, vai pra frente do computador, escreve e publica em algum site de fics na internet.

Draco Dormiens é uma das mais, se não a mais, popular do gênero, que permitiu que Cassandra se tornasse famosa na internet (positiva e negativamente). A autora cruzou de maneira bem-sucedida as fronteiras entre o virtual e o impresso e realizou o sonho que 99% das ficwriters (escritoras de fanfics) possuem: lançou um material de sua autoria em formato de livro. Conseguiu publicar um original… Nem tão original assim, sejamos francos.

A leitura da série Instrumentos Mortais – sendo o primeiro volume Cidade dos Ossos, sucedido por Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro e Cidade dos Anjos Caídos, esse último ainda não lançado no Brasil – é difícil. Não que a linguagem seja hermética demais. Pra falar a verdade, Cassandra é bem direta e objetiva em termos de linguagem, dona de um texto ágil e que sabe muito bem criar momentos de tensão (o que é essencial em se tratando do gênero pelo qual ela se aventura). Em suma, Cassandra não perde tempo com lenga-lenga desnecessário.

A leitura é difícil unicamente porque, para quem leu Harry Potter, é impossível dissociar uma coisa da outra. Os primeiros dez capítulos de Cidade dos Ossos foram, para mim, um sufoco. Eu não conseguia me desvincular de HP enquanto lia. Volta e meia, me pegava fazendo associações entre uma obra e outra.

Verdade seja dita: Clary e Jace, os protagonistas, são claramente inspirados em Ginny Weasley e Draco Malfoy. O bacana Luke, o licantrope, é baseado em Lupin. O grande vilão da história, Valentin, lembra muito Voldemort. Magnus Bane tem algo de Gilderoy Lockhart. Fora as comparações entre Ciclo e Comensais da Morte, varinhas e estelas…

Vou parar por aqui.

Claro que Cassandra tem lá seus méritos. Além de alguns já expostos, ela sabe equilibrar bem aventura e romance. Claire acerta exatamente no ponto em que J.K. Rowling falha, o aspecto “romântico” da história. O relacionamento entre Clary e Jace é bem desenvolvido, inicia-se de maneira tímida e evolui de forma satisfatória, embora a autora nos pregue uma peça com uma revelação chocante no final do primeiro volume que mais tarde é esclarecida para alívio dos leitores. A mitologia presente nos livros de Claire é até bem trabalhada, envolvendo anjos, demônios, além de um subtexto e referências religiosos (embora essa idéia já tenha sido explorada à exaustão em outras obras de conteúdo similar).

O problema consiste mesmo na construção de personagens, aspecto no qual Claire falha drasticamente. Jace até acaba por se revelar um personagem carismático lá pelas tantas, bem como seus amigos Alec e Isabelle. Mas é fato que Jace nada mais é do que o Draco Malfoy idealizado por grande parte dos fãs de HP que sentiram que o personagem foi um tanto negligenciado na obra de J.K. Rowling. Às vezes, durante a leitura de Instrumentos Mortais, se tem a impressão um tanto embaraçosa de se estar lendo uma fanfic de Harry Potter.

Outra falha está na forma como ela vai despejando lendas e mitos pelas páginas sem o menor comedimento. É uma salada de lobisomens, vampiros, fadas e outras criaturas do submundo, além de diversas nomenclaturas, classificações e um sem-número de referências que, por vezes, deixam o leitor zonzo e perdido, necessitando de um glossário. Muito embora, isso funcione mais como background e não chegue realmente a atrapalhar a trama principal.

Se não fosse por esses meros detalhes, estaríamos diante de uma obra bem interessante e atraente, uma digna releitura de seres mitológicos já velhos conhecidos do grande público. Contudo, Instrumentos Mortais revela-se como nada mais do que uma leitura divertida para um fim de semana ocioso.

Fonte das imagens: http://livrosfantasticos.com / 

http://instrumentosmortaisoficial.blogspot.com/

Andrizy Bento