Arquivo da tag: Fanmade

Fanmade: Jogos Vorazes – O Segundo Massacre Quaternário

second quarter quell

youtube é atualmente não apenas o mais famoso e acessado site de vídeos da internet, como também um poderoso canal de divulgação no qual muita gente talentosa posta seu material e torna seu trabalho conhecido. Um ótimo exemplo é o grupo MainStay Productions. Fundado em 2007, o grupo se dedica à produção de fanmovies – curtas-metragens baseados em sagas já conhecidas do grande público, principalmente oriundas da literatura e dos games. No canal do MainStay Pro no youtube vocês podem conferir todos os curtas realizados pela equipe. Há fanmovies baseados em Assassin’s Creed, G.I. Joe, Maximum Ride, A Culpa é das Estrelas, Jogos Vorazes, dentre outros. Deste último citado, eles realizaram alguns trabalhos bem interessantes como a webserie que narra a história de Finnick e Annie e The Second Quarter Quell, que retrata a vitória de Haymitch Abernathy nos Jogos Vorazes.

Eu já falei muito da série de livros escrita por Suzanne Collins neste blog (aqui, aqui e aqui), bem como da franquia cinematográfica derivada (aqui, aqui e aqui). Não escondo meu apreço e admiração pela obra, como provavelmente já deu pra notar.

Um dos personagens mais cativantes, em minha obscura opinião, é Haymitch Abernathy, o mentor de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos dois jogos que eles participaram. Além de Katniss e Peeta, ele é o outro único vencedor do paupérrimo Distrito 12. Embora funcione como alívio cômico em diversas passagens dos livros e filmes (nos quais é interpretado pelo ótimo Woody Harrelson), é um personagem complexo e profundo. Enfrenta sérios problemas com a bebida (seu único refúgio depois de anos de pesadelos que vieram como bônus por sua vitória nos Jogos Vorazes) e mesmo que tenha suas divergências com Katniss, possui uma relação fraternal com a protagonista. A despeito da hostilidade inicial que um sente pelo outro, vão desenvolvendo um vínculo sólido de amizade conforme a narrativa avança.

Haymitch teve seu nome sorteado justamente para o segundo Massacre Quaternário. Trata-se de uma edição especial dos Jogos que ocorre a cada 25 anos e oferece mais uma surpresinha nada agradável para seus participantes, de modo que o diferencie das edições comuns.  No ano de Haymitch, por exemplo, o dobro de tributos foi enviado para lutar até à morte na arena. Isto é, dois casais de cada distrito, ao invés de apenas um, totalizando 48 participantes. Indo contra todas as expectativas, Haymitch saiu vitorioso com uma jogada de mestre que você pode conferir no curta realizado pelo pessoal do  MainStay Pro.

Apesar de algumas limitações totalmente justificáveis (questões orçamentárias), o fanmovie é excelente por inúmeros motivos. Primeiramente, o ator que interpreta Haymitch é preciso em sua composição do personagem: carismático e ostenta um porte arrogante e cínico tal qual o dos livros e filmes. Esse trecho que conta a vitória de Haymitch está presente no segundo volume da série, o Em Chamas, mas infelizmente teve de ser limado do filme, pois o longa já tinha informação suficiente para apresentar, de modo que esse curta fanmade preenche uma lacuna deixada pela versão cinematográfica. Por último, mas não menos importante, está o gore. A franquia de filmes, por ser voltada para um público composto em sua maioria por adolescentes, não pode exagerar na violência. Um compromisso que a produtora independente MainStay não tem, portanto há doses cavalares de violência no vídeo e o combate é bem sangrento.

Confiram:

Visite o site oficial do grupo e curtam a fanpage no facebook para acompanhar as novidades sobre as produções.

Andrizy Bento

O que One Direction nos trouxe de bom?

As Directioners foram pegas de surpresa nesta quarta-feira, 25 de março, quando Zayn Malik (acho que acertei o nome), integrante do One Direction, anunciou sua saída da boyband mais famosa da atualidade. Para quem não sabe o que é One Direction (nós mesmos não sabemos muito bem), eles são o equivalente aos Backstreet Boys, Take That, New Kids On The Block e Menudo da nova geração.

De repente, o twitter e o tumblr viraram os lugares mais depressivos da Terra. Os fãs viraram cosplayers de Marvin, o robô maníaco-depressivo de O Guia do Mochileiro das Galáxias.

É o começo dos Dias Escuros para as Directioners…

Enfim, passado o drama, eu (Andrizy) gostaria de dizer às fãs que me solidarizo (com as fãs sensatas, lógico). Já passei pelo que vocês estão passando agora quando a boyband britânica Five acabou. Isso lá pelo começo dos anos 2000. E, como forma de jogar mais sal na ferida, a banda lançou esse clipe para se despedir das fãs:

Ora, Sean… Seu carequinha tosco! A culpa foi toda sua!

Também gostaria de dizer que boybands acabam. Mais dia, menos dia. Até porque os integrantes não vão ser garotinhos para o resto da vida. E também não pega bem executar aquelas coreografias quando se atinge os 30 anos, certo? Boybands representam uma fase. E, como toda fase, uma hora ela termina.

Pode ser que algum integrante saia em carreira-solo e faça muito sucesso. É o caso de Robbie Williams do Take That e do Justin Timberlake do ‘N Sync. Aliás, Justin melhorou muito no pós-Boyband.

Na verdade, o One Direction não acabou. Eles pretendem continuar como um quarteto. Mas algumas fãs já estão se preparando para a possibilidade do 1D encerrar as atividades, afinal é o que geralmente acontece quando um membro sai do grupo…

De qualquer forma, decidi listar três coisas que o One Direction nos trouxe de bom.

Em primeiro lugar, este comentário:

Zayn

É necessário entender o contexto: as fãs subiram a tag #Cut4Zayn nas redes sociais. Estão cortando os pulsos e mandando as fotos para o Zayn via mention no twitter. Elas acreditam que, assim, ele irá repensar a decisão de abandonar o 1D.

Tem louco pra tudo.

Em segundo lugar, graças ao One Direction, conhecemos Nissim Ourfali:

Este menino super carismático e expressivo que gosta de Friends, Big Bang Theory, sertanejo, videogame e viaja para a Baleia (sic) com os pais.

E, por último, mas não menos importante, este vídeo maravilhoso:

Obrigada pelos fanmades, internet! E obrigada, One Direction. Sem vocês, essa pérola não teria sido realizada.

Aliás, aguardem que iremos postar mais fanmades aqui no Bloggallerya. Não tão incríveis como este do 1D cantando e dançando Olha a Onda, mas ainda assim bem legais 😉

Andrizy Bento
(Colaborou: Kaio Dantas)

Mash-up: e se X-Men fosse dirigido por Wes Anderson?

Alguns fanmades são surpreendentes. Você encontra pelo youtube e outros sites de vídeos, uma variedade de trailers fictícios feitos por fãs  (geralmente crossovers inusitados entre obras distintas) que conseguem até mesmo superar muito trailer oficial que se vê por aí.

Este é um caso bem interessante. Como seria se Wes Anderson dirigisse um filme dos X-Men? Embora eu não seja lá grande fã do diretor, devo admitir que este trailer fanmade ficou excelente e me deixou curiosa para saber como seria o resultado final se o cineasta realmente embarcasse na ideia de adaptar uma aventura dos mutunas para a telona.

As características que se tornaram marcas registradas do cinema de Anderson estão todas ali, bem visíveis: paleta de cores saturadas, simetria rigorosa, personagens excêntricos (X-Men seria definitivamente um prato cheio para o diretor), figurino espalhafatoso, plongée e contra-plongée em demasia (o cineasta é obcecado por esse tipo de enquadramento), trilha sonora deliciosamente nostálgica, estilo retrô e – a cereja no topo do bolo – sarcasmo afiado.

Já no que diz respeito aos nossos queridos heróis mutantes, a equipe retratada no vídeo é a primeira, de 1963, criada por Stan Lee, composta por Ciclope, Anjo, Fera, Homem de Gelo e Jean Grey. No entanto, há participações de Wolverine e Tempestade. O clima remete mesmo às primeiras HQs, tanto por conta do aspecto envelhecido da fotografia, quanto pelos figurinos coloridos e uma certa ingenuidade dos personagens que ainda não se viam como parte de uma raça, apenas como um pequeno e seleto grupo de jovens deslocados, esquisitos e diferentes do restante da sociedade. Não passam despercebidos o estilo do grande vilão Magneto e a onipresença de Charles Xavier.

O vídeo, de autoria do talentoso e criativo Patrick Willems, está dando o que falar internet afora, sendo compartilhado exaustivamente nas redes sociais, virou notícia no aclamado site de entretenimento norte-americano Indiewire e até mesmo Bryan Singer (diretor de grande parte dos filmes da franquia mutante, inclusive de X-Men: Apocalypse que se encontra em fase de pré-produção) fez questão de postar em sua conta no twitter o link para que seus seguidores conferissem a matéria.

Sacada genial. Os fãs de X-Men e Wes Anderson vão se divertir assistindo ao encontro desses universos tão distintos. Verdade seja dita: o trabalho no vídeo é tão bem feito que nem parecem tão distintos assim 😉

Andrizy Bento