Arquivo da tag: Fanmade

[Especial] X-Men

x-men apocalypse poster

Estreou na última quinta-feira, 19, o sexto capítulo da franquia X-Men. Dirigido por Bryan Singer, com roteiro de  Simon Kinberg, Dan Harris Michael Dougherty, o novo filme baseado nas histórias em quadrinhos da Marvel Comics é uma sequência direta do sucesso de 2014, X-Men: Dias de um Futuro Esquecido e traz em seu elenco nomes como James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult, Rose ByrneLucas Till Evan Peters reprisando seus papéis na série, além das adições de Olivia Munn, Kodi Smit-McPhee, Sophie Turner, Tye Sheridan, Alexandra Shipp, Josh Helman, Lana CondorBen Hardy Oscar Isaac. Este último interpretando o vilão que dá título ao filme.

Continuar lendo [Especial] X-Men

[Especial] Jogos Vorazes

a-esperanca-final-poster

Estreia no próximo dia 18 de novembro Jogos Vorazes: A Esperança – O Final, quarto e último capítulo da franquia cinematográfica base-ada na trilogia de livros escrita por Suzanne Collins. Tanto nas páginas quanto nas telas, esta excelente narrativa distópica arrebatou diversos fãs pelo mundo e se tornou um fenômeno literário e cinematográfico. Apostando no carisma e força de uma poderosa personagem feminina, Katniss Everdeen (vivida com louvor por Jennifer Lawrence nos filmes da série) e abordando tópicos de extrema relevância como centralização do poder, fascismo, guerra e manipulação midiática, Jogos Vorazes fez muito barulho e, sem dúvida, merece um lugar de destaque no panteão da cultura pop. Seu sucesso não é à toa e trouxe para esta desacreditada geração, uma esperança de que ainda existe vida inteligente no cinema de entretenimento dedicado, especialmente, ao público jovem.

Em Jogos Vorazes: A Esperança – O Final, após assumir o papel do Tordo, o símbolo da Revolução, Katniss Everdeen, seus amigos e os habitantes do Distrito 13 se engajam na batalha contra a autocrática Capital e seu líder, o Presidente Snow.

Com a proximidade do lançamento do último filme da série, nós do Bloggallerya, decidimos fazer esse Especial contendo as resenhas de todos os volumes da saga literária, dos filmes da franquia, além de uma dica de fanmade imperdível. Confira:

Resenha do livro Jogos Vorazes: O início de um sucesso

Resenha de Em Chamas: O segundo capítulo da saga literária

Resenha de A Esperança: O último livro da série

Resenha do filme Jogos Vorazes: E que comecem os Jogos

Resenha do filme Em Chamas: E que a sorte esteja sempre ao seu favor

Resenha do filme A Esperança: Parte 1: Longa vida ao Tordo

Resenha do filme A Esperança: O Final: A flecha que acaba com todas as guerras

Dica de fanmade: O Segundo Massacre Quaternário

Trailer Jogos Vorazes: A Esperança – O Final:

Andrizy Bento

Fanmade / Mashup: O Motorista de Táxi encontra O Abutre

nightcrawler-taxi-driver

Provavelmente, se você assistiu a Taxi Driver de Martin Scorsese e Nightcrawler (que por estas bandas recebeu o infeliz título de O Abutre) de Dan Gilroy, os comparou em algum momento. É inevitável. Certamente, você percebeu que os pôsteres são bem parecidos, as premissas de ambos os filmes também guardam algumas similaridades… mas, claro, também tem suas distinções.

Continuar lendo Fanmade / Mashup: O Motorista de Táxi encontra O Abutre

Fanmade / Mashup: The Grand Overlook Hotel

Imaginem o quão hilariante seria o concierge Gustave de Ralph Fiennes sendo perseguido pelo lunático Jack Torrance de Jack Nicholson com seu machado em punho? Qual seria o resultado de um crossover entre o aclamado longa contemporâneo O Grande Hotel Budapeste e o clássico incontestável O Iluminado? Um sujeito que atende pelo nome Steve Ramsden decidiu promover o encontro entre Stanley Kubrick e Wes Anderson no genial mashup The Grand Overlook Hotel.

Continuar lendo Fanmade / Mashup: The Grand Overlook Hotel

Fanmade: Dona Moça

Fifi Mascarenhas e Aurélia Camargo
Fifi Mascarenhas e Aurélia Camargo

Há três anos, o mundo seriemaníaco foi surpreendido com o surgimento de uma webserie super criativa chamada The Lizzie Bennet Diaries que, por sinal, já circulou aqui na minha coluna. Pois então, um grupo de fãs de TLBD, reunido em um group do facebook, o Pemberley Digital BR, pensou: por que não fazer com clássicos brasileiros o que fizeram com os romances de Jane Austen? Repaginá-los, reinventá-los, modernizá-los, seguindo à risca o mesmo formato de TLBD? Assim surgiu o Adorbs Produções e o canal da Dona Moça Eventos no youtube.

O romance escolhido foi o clássico Senhora de José de Alencar, que faz parte da fase urbana do autor e compreende os seus perfis de mulher. Também integram a trilogia os romances Diva e Lucíola. Para quem não conhece, Senhora se passa no século XIX, quando a protagonista, Aurélia Camargo, é preterida pelo jornalista Fernando Seixas, simplesmente por não atender aos ideais financeiros sonhados por ele e, dessa forma, planeja se casar com a rica Adelaide Amaral, mesmo sem amá-la. Porém, nossa heroína enriquece repentinamente e faz o que ninguém esperava: compra o noivo, o próprio Fernando Seixas. É a partir dai que a história se desenvolve. Talvez alguns não gostem do final, mas o romance é, irremediavelmente, um clássico.

Creio que não houvesse escolha melhor do que adaptar Senhora. Nos episódios que foram ao ar – três no total – já fica implícito que aconteceu um envolvimento entre Aurélia e uma pessoa que obviamente se trata de Fernando. E parece que é por causa dele e de um apelido que Aurélia recebeu na faculdade que a empresa se chama Dona Moça

A adaptação deixa bem claro que nossa querida heroína não herda uma fortuna. Pelo contrário, ela trabalha muito para ter sua própria grana. A história me instigou muito e já me deixou com uma curiosidade imensa para saber como as meninas da Adorbs (o grupo formado para produzir a webserie) vai dar continuidade à trama. Está previsto que Dona Moça terá dez episódios nessa primeira temporada.

Gaby Matos

Fanmade: Lost in translation / Her – An Unloved History

her lost

Em 2003, Charlotte (Scarlett Johansson), uma jovem recém-graduada em filosofia, viajou ao lado do marido fotógrafo (Giovanni Ribisi) para o Japão, onde se sentiu extremamente deslocada e solitária, já que ele só pensava em trabalho e não lhe dava atenção durante a viagem. Então ela conheceu outro americano perdido por lá, o decadente ator de meia-idade Bob Harris (Bill Murray) que estava no Japão para gravar um comercial de whisky por conta de um ótimo cachê. Eles se identificaram em sua solidão e começaram a partilhar diversos momentos juntos enquanto desbravavam Tóquio. Esta é a trama de Encontros e Desencontros (Lost in Translation), uma ótima surpresa do longínquo 2003. Dez anos depois, Scarlett Johansson deu voz ao sistema operacional inteligente de computador de Ela (Her), pelo qual o  solitário e divorciado escritor de cartas Theodore (Joaquin Phoenix) se apaixonou e com quem viveu um relacionamento incomum em uma Los Angeles futurista. Filme igualmente brilhante, vencedor do Oscar de roteiro original. Mas Scarlett não é o único elemento que conecta Encontros e Desencontros de Sofia CoppolaEla de Spike Jonze.

Uma curiosidade é que Sofia Coppola e Spike Jonze foram casados na vida real (casal mais hipster, impossível). Inclusive, quando Jonze ainda era um cultuado diretor de videoclipes, Sofia estrelou um de seus clássicos: Elektrobank do Chemical BrothersE, dizem por aí, que o personagem de Giovanni Ribisi em Encontros e Desencontros é inspirado em Jonze. Por mais que a própria cineasta tenha negado, não dá pra rejeitar o fato de que o casal retratado na película guarda profundas semelhanças com o ex-casal da vida real.

tumblr_mzb8kiusuX1qzoua7o1_500O fanmade é perfeito. Há diversas conexões (involuntárias, provavelmente?) e semelhanças entre os dois filmes. Não só pela presença inspirada de Johansson nas duas produções, ou pelas cenas em que os personagens Charlotte e Theodore encaram a vista das janelas (ambos aparecem contemplando melancolicamente a cidade, das alturas) mas também há o fato de ambos os longas retratarem a solidão dos personagens em uma megalópole. A ironia de se sentir solitário e deslocado em cidades tão populosas. As tramas intimistas e, por isso mesmo, universais. O fanmade destaca o fato de os dois filmes serem simetricamente parecidos, de maneira até assombrosa. Os longas parecem dialogar um com o outro em termos visuais e narrativos, como se os personagens fizessem parte do mesmo universo. Belíssima montagem!

Confira abaixo e delicie-se identificando os paralelos entre os dois:

Andrizy Bento