Hunky Dory (1971) – David Bowie

Data de Lançamento: 17 de dezembro de 1971
Faixas: 11 faixas
Duração: 39:04
Estilo: Glam Rock, Art Rock, Art Pop e Pop Rock
Produção: David Bowie e Ken Scott
Gravadora: RCA

Lado A:
Changes
Oh! You Pretty Things
Eight Line Poem
Life On Mars?
Kooks
Quicksand

Lado B
Fill Your Heart
Andy Warhol
Song For Bob Dylan
Queen Bitch
The Bewlay Brothers

Após David Bowie ter ficado conhecido nos Estados Unidos, o músico procurava sempre inovar a cada trabalho, evitando a todo custo o cruel destino de uma carreira meteórica e o consequente ostracismo. Assim, ele lançou, em 1971, o álbum conceitual Hunky Dory.

Este trabalho que, no mês que vem, completa 50 anos de lançamento pela RCA, embora não o tenha transformado em uma estrela, serviu para mostrar que Bowie era realmente um camaleão, já que trazia profundas mudanças em seu visual e estilo, se comparado ao início de sua carreira. O músico entrou em estúdio em junho de 1971 para a gravação do álbum. Na época, Bowie estava sem gravadora, mas seu contrato veio quando a RCA ouviu e se interessou pelas demos do artista. A banda de apoio que tocou nesse álbum, futuramente viria a ser a backing band recorrente do artista, conhecida como Spiders From Mars e formada pelos integrantes Mick Ronson, Trevor Bolder e Mick Woodmansey.

Para a sessão de fotos da capa do álbum, Bowie se inspirou na atriz alemã Marlene Dietrich, copiando poses de um ensaio que ela fez quando mais jovem. O músico foi fotografado por Brian Wird e recolorido por Terry Pastor (um trabalho que fez com que a foto parecesse antiga, como se Bowie fosse uma rainha da era de ouro do cinema). No início, o cantor fez um ensaio vestido de faraó, que era a ideia original para a capa do álbum, mas que ele acabou abandonando.

Muitos sucessos da carreira do artista estão presentes neste disco. A primeira faixa é Changes, música que, com certeza, sintetiza a personalidade camaleônica de Bowie (afinal, a vida do artista girou em torno de mudanças). Além dela, os clássicos Oh! You Pretty Things, Quicksand e Life on Mars (que só ganhou um clipe anos mais tarde) integram o álbum. Destaque também para outras faixas que tiveram inspiração em figuras da cultura americana, como Song for Bob Dylan, Andy Warhol e Queen Bitch (inspirada no Velvet Undergound, mais especificamente no vocalista Lou Reed). Outra que não podemos deixar de citar é Kooks, uma homenagem a seu filho recém-nascido, Zowie (que, posteriormente, trocou de nome para Duncan Jones).

Quando lançado, Hunky Dory, apesar de receber boas críticas, infelizmente foi um fracasso de vendas. Anos mais tarde, com David Bowie conquistando o público com seu lendário disco The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders From Mars, Hunky Dory acabou se tornando um sucesso comercial atrasado, ganhando disco de platina ao vender 300 mil cópias. Em 2000, os leitores da revista Q, o elegeram como o 16° dos 100 melhores álbuns britânicos de todos os tempos e, em 2015, Hunky Dory entrou na lista dos 100 melhores discos de todos os tempos da revista Time. Foi relançado algumas vezes com o passar dos anos – além do vinil, também em K7 e CD. Nesse último formato, ganhou uma versão recente, em 2019, juntamente com outros três álbuns do cantor. 

Adryz Herven

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s