Feliz Dia dos Mortos (2021)

Celebrado no dia 2 de novembro em tributo aos falecidos, o Dia dos Mortos (ou Día de Los Muertos, no original, em espanhol) tem origem indígena e é considerado o feriado mais popular e tradicional do México. As festividades ocorrem do dia 31 de outubro (quando é comemorado o Halloween nos Estados Unidos) a 2 de novembro e, reza a lenda, é exatamente no segundo dia do mês que as almas têm permissão para visitar os familiares vivos. Aqui no Brasil, no entanto, chamado de Dia de Finados ou, com menos frequência, Dia dos Fiéis Defuntos, o dia 2 de novembro é um feriado católico e sem festividades. É um dia de orar pelos falecidos e visitar os sepulcros dos entes queridos que já partiram dessa para… sabe-se lá onde.

Aqui no Bloggallerya, assim como no ano passado, resolvemos aproveitar a data para indicar algumas obras interessantes que versam sobre a morte e o luto.

Dona Morte

Integrante da Turma do Penadinho, criação de Maurício de Sousa que parodia o gênero horror. Segundo o próprio criador, ele quis transformar a personagem em uma figura amigável e não economizou na hora de lhe atribuir senso de humor. A Turma do Penadinho apareceu pela primeira vez nas páginas dos quadrinhos de Maurício de Sousa em 1963.

Wandavision

“O que é o luto, se não o amor que perdura?”

WandaVision é uma minissérie baseada nos quadrinhos da Marvel Comics que traz os personagens Wanda Maximoff (a Feiticeira Escarlate) e Visão como protagonistas, levando uma vida pacata como casal no subúrbio no melhor estilo das sitcoms americanas. Com uma proposta inteligente e bem sacada de utilizar esse formato popular de séries estadunidenses para narrar a história de uma personagem que se fecha em seu mundo perfeito de fantasia, de modo a remoer a perda de um grande amor e atravessar todas as fases do luto, a primeira produção do MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) criada para a Disney+ não só foi uma grata surpresa, devido ao texto bem construído e uma concepção visual acertada, como a melhor série da Marvel/Disney em live-action até agora, muito superior às produções posteriores que ficaram devendo em termos de enredo como a genérica Falcão e o Soldado Invernal e a irregular Loki.

Disponível na Disney+: 

A Sete Palmos

Uma série mais antiga, A Sete Palmos é uma produção da HBO, criada por Alan Ball e que foi ao ar entre 3 de junho de 2001 e 21 de agosto de 2005, totalizando 5 temporadas e 63 episódios. Six Feet Under, no original, tratava com ironia a temática da morte, narrando o cotidiano da família Fisher, proprietária de uma funerária. Cada episódio (com raras exceções) tinha como ponto de partida uma morte, isto é, um novo cliente para a funerária da família. Vencedora de diversos prêmios Emmy e Globo de Ouro.

Disponível na HBO+ 

As Intermitências da Morte

Publicado em 2005 pelo escritor português José Saramago, o livro relata uma situação bastante curiosa, incomum e até mesmo assustadora: em um país fictício, fruto da mente fértil do autor, as pessoas simplesmente deixam de morrer. As Intermitências da Morte abre com o poderoso quote: “No dia seguinte, ninguém morreu”, o que instiga o leitor a querer entender melhor toda a situação e estimula a curiosidade pela resolução do plot. Abordando a temática, não apenas da morte, como do sentido da vida e da existência, esse é daqueles livros que você não consegue largar enquanto não chega à última página. Relativamente curto, é possível ler em uma sentada; você começa e termina a leitura no mesmo dia.

Harvey – Como Me Tornei Invisível

Álbum ilustrado assinado por Hervé Bouchard e Janice Nadeau, Harvey é de uma sensibilidade ímpar ao abordar a história de um garotinho muito imaginativo que, diante da dificuldade de compreender e aceitar a repentina morte do pai, se refugia em seu universo particular de fantasia. Ao encarar, pela primeira vez, a imagem do pai no caixão (após um instante de relutância), ele se sente sumir, desaparecer, tornar-se invisível tal qual seu herói Scott Carré de O Incrível Homem Que Encolheu. Um emocionante conto sobre perda, luto e superação.

Meu Primeiro Amor

Clássico da Sessão da Tarde, a o drama com ares de tragicomédia Meu Primeiro Amor já começa quebrando a quarta parede ao mostrar a protagonista de 11 anos, Vada Sultenfuss (interpretada pela ex-atriz Anna Chlumsky, em momento adorável) dialogando com o público e já fazendo um belo trabalho de introduzir seu personagem ao espectador. Ela é hipocondríaca e obcecada pela morte e, aparentemente, isso tudo é para chamar a atenção do pai, um agente funerário que mostra certo descaso pela filha. A mãe de Vada faleceu durante seu parto e isso tem um impacto enorme, porém, velado na relação entre pai e filha. As coisas se agravam quando ele inicia uma nova relação e Vada começa a fazer de tudo para separar o casal. Apaixonada por seu professor de inglês e melhor amiga de Thomas J. Sennett, um garoto extremamente alérgico vivido por Macaulay Culkin no auge de seu estrelato mirim, o filme discute rejeição e luto, mostrando a jovem protagonista tendo de aprender a lidar com a morte muito cedo e de maneira profundamente dolorosa, embalado pelos clássicos versos de My Girl dos The Temptations.

Disponível na Netflix, Youtube, Google Play e Apple TV

Ghost – Do Outro Lado da Vida

É de clássicos da Sessão da Tarde que estamos falando? Então é claro que Ghost tinha que ser mencionado. O inesperado sucesso assinado por Jerry Zucker, vencedor de dois Oscar em 1991 e reprisado incontáveis vezes na televisão mostra uma história de amor tragicamente interrompida no plano físico após o assassinato de Sam Wheat (Patrick Swayze) durante uma tentativa de assalto. Mesmo assim, ele não consegue partir definitivamente para o outro mundo, pois ainda tem uma última missão a cumprir na Terra: proteger sua amada Molly Jensen (Demi Moore) de um grande perigo, uma vez que o tal assalto que culminou em sua morte não foi por acaso. Como espírito, Sam conta com a ajuda da charlatã Oda Mae Brown (Whoopi Goldberg em momento inspirado, que lhe valeu um Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante), para se comunicar com Molly. Romance açucarado, que tornou a trilha sonora Unchained Melody, interpretada pelos The Righteous Brothers, praticamente indissociável de seu enredo, Ghost fala de amor e despedida.

Disponível na Netflix, Telecine, Youtube, Google Play, Apple TV e Amazon Prime Video.

E vocês? Alguma outra dica para compartilhar com a gente? 😉

Andrizy Bento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s