Human Nature – Madonna

O videoclipe, talvez, seja a mídia mais propensa a ficar datada. É uma questão de bater o olho no clipe e, de imediato, identificar a época em que foi lançado. Na maior parte das vezes por conta dos modismos que caracterizam essas épocas. Lógico que a música também é um fator denunciante, especialmente aquelas que seguem a tendência rítmica do momento. O estilo musical, os figurinos, a maquiagem, mesmo a situação que o videoclipe retrata entregam a que momento na história ele pertence. Não se trata de um demérito. É exatamente pelo fato de ser datado que, ao assistir a algum videoclipe, transborde dentro de nós aquela bem-vinda sensação de nostalgia. Mas, sim, também há videoclipes atemporais.

E no caso do clipe do mês, a música também não envelheceu.

Human Nature da cultuada pop idol Madonna continua moderno, sensual e incisivo tal qual era na época em que foi lançado. Esse se trata de um dos melhores exemplos de que o menos é mais. É o minimalismo dos cenários e figurinos somados à ousadia da dança e da própria artista que tornam Human Nature um desses casos de videoclipes atemporais.

O clipe basicamente consiste em roupas de vinil pretas, uma coreografia sensual, um cenário monocromático todo branco que, em conjunto, resultam em um ambiente que simula o universo do BDSM corroborado por alguns objetos que surgem em cena e o gestual e expressões da artista e de seus dançarinos.

A direção ficou a cargo de Jean-Baptiste Mondino, que já havia dirigido previamente outros clipes da cantora como o charmoso Open Your Heart e o sexy Justify My Love. A respeitável videografia de Mondino ainda inclui os créditos de direção por vídeos de Bryan Ferry, David Bowie, Boy George, Chris Isaak, Prince, Neneh Cherry, Lenny Kravitz, Sting, Tom Waits e Björk. Voltando a Human Nature, este foi filmado entre os dias 6 e 7 de maio de 1995 nos estúdios Raleigh em Hollywood, Califórnia, sendo produzido por Anita Wetterstedt da Palomar Productions. O vídeo foi coreografado por Jamie King que, mais tarde se responsabilizou pela direção criativa das turnês de Madonna. O produtor e coreógrafo conta que foi persuadido pela artista a dançar no vídeo de Human Nature. A princípio, ele não queria, mas Madonna implorou. É possível identificar King em meio aos dançarinos trajados com figurinos de látex que aparecem pendurados em um trapézio em uma cena do clipe.

Falando na dança, Jean-Baptiste Mondino não era dos maiores entusiastas de coreografias e corpos de baile em seus vídeos, pois muita dança significava uma extensa edição extra. Por isso o realizador trouxe o conceito de dançar dentro de caixas em Human Nature, fazendo com que Madonna e seus dançarinos executassem as coreografias dentro delas. Com movimentos mais limitados – dada a restrição de espaço que as caixas ofereciam – King lançou mão de toda a sua criatividade para conceber a coreografia do vídeo, o que resultou em algo bastante conceitual. Artista brilhante, King apostou em movimentos fluidos e sensuais, na flexibilidade e maleabilidade dos dançarinos, em ordem de representar graficamente a estética do BDSM, ao mesmo tempo corroborando a ideia de um ambiente claustrofóbico, como se a liberdade sexual estivesse sendo limitada e oprimida – algo representado tanto pelo espaço diminuto das caixas como pelas cordas e correntes às quais os dançarinos e a artista aparecem amarrados em momentos pontuais do vídeo. A coreografia de King e as caixas de Mondino expressam e traduzem perfeitamente a mensagem que a música transmite. 

Na letra de Human Nature, Madonna afirma que não se arrepende de nada; divaga sobre liberdades individuais – de expressão e sexual -; opressão e ter seu direito de manifestar sua opinião podado; e sobre todas as vezes em que tentaram lhe calar. Ainda imprime certa ironia no refrão ao constatar que se trata da natureza humana e esta não deve ser reprimida. De modo elegante e insistente, por meio de sussurros, canta: “se expresse, não se contenha”.

Madonna sempre foi uma artista acompanhada de polêmicas por onde passou, especialmente no início e auge de sua carreira, durante as décadas de 1980 e 1990. Ela causou alvoroço e verdadeira revolução sexual no universo pop tão inocente, colorido, vibrante e teen. O alto teor sexual de suas letras e videoclipes e as controvérsias envolvendo a igreja católica, fizeram com que, por vezes, seus clipes e músicas fossem censurados em emissoras de rádio e televisão e até mesmo com que a artista perdesse contratos milionários com grandes marcas que vetaram o uso de suas canções em propagandas. Nada disso fez com que Madonna, já consolidada e com álbuns e shows lhe garantindo altas cifras, se intimidasse. E Human Nature é a sua resposta, principalmente por conta das polêmicas e censuras sofridas pelo álbum Erotica e pelo livro Sex, ambos de 1992.

Ainda há uma lenda urbana que circula por aí que diz que a canção se refere a Michael Jackson. O rei e a rainha do pop discutiam uma colaboração e tudo estava indo bem, até que Madonna sugeriu que ambos fizessem um videoclipe interpretando pessoas trans. Ideia que Michael prontamente refutou. Lembrando que o músico também tem uma canção intitulada Human Nature, presente no álbum Thriller de 1982.

Contudo, a Human Nature da Madonna funciona de ambas as maneiras mencionadas aqui.

Para o videoclipe, Madonna se inspirou no trabalho do artista Eric Stanton, que fez desenhos inspirados no universo do BDSM. Por sua vez, a artista influenciou outras figuras famosas do mundo pop com seu videoclipe inovador. Not Myself Tonight de Christina Aguilera, lançado em 2010, traz forte inspiração de Human Nature, mostrando a cantora vestida como uma dominatrix, com traje de couro, e realizando movimentos sensuais em uma cadeira, tal qual o vídeo de Madonna. Aguilera não foi a única.

O vídeo S&M de Rihanna, de 2011, traz uma pegada bem Human Nature, algo que foi notado até mesmo pelo pessoal da MTV americana. Alvo de polêmicas, S&M foi banido em 11 países e considerado impróprio para menores de 18 anos no youtube, contendo uma mensagem de restrição para quem tenta acessá-lo. Lembrando que outro clipe da cantora, Umbrella, traz uma vibe Fever, o que mostra que Madonna é uma inspiração constante para Rihanna.

A canção Human Nature está presente no sexto álbum de estúdio da cantora, Bedtime Stories de 1994. O clipe foi lançado em maio de 1995 nos Estados Unidos. A fotografia ficou a cargo de Harris Savides, montagem de Robert Duffy e direção de arte de Paolo Riversi. O vídeo foi indicado às categorias de Melhor Coreografia em Videoclipe e Melhor Vídeo de Dança no MTV Video Music Awards (VMA), na edição de 1995. Ainda disputou o prêmio de Melhor Diretor para Jean-Baptiste Mondino na premiação europeia da MTV, o MTV Europe Music Awards (ou EMA’s), também naquele ano. Infelizmente, não saiu vitorioso em nenhuma das premiações da MTV às quais concorreu, mas o importante é que tanto o vídeo como a letra permanecem atuais. O clipe, sobretudo, continua esbanjando ousadia ao mostrar Madonna dançando dentro de caixas, presa à correntes em uma cadeira, e em trapézios; e é impressionante como música, coreografia e mensagem se complementam e fluem tão bem em conjunto.

Audacioso para a época e ainda hoje na cabeça dos mais puritanos, Human Nature é marcante, intenso e original como era a Madonna da época.

Andrizy Bento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s