America Ninja – 35 anos

Se os mais jovens conhecem ninja ocidental no cinema através de Scott Adkins nos filmes Ninja (2009) e Ninja 2 – A Vingança (2013), não sabem que ele tem um ancestral. Lhes apresento o clássico cult America Ninja, que está completando 35 anos de lançamento. Quando chegou ao Brasil, esse era o título do filme e que ficou na cabeça de quem o assistiu pela primeira vez. Seu título oficial é American Ninja e contou com a direção de Sam Firstenberg. Com o passar do tempo, o longa foi renomeado para Guerreiro Americano.

O filme gira em torno do misterioso soldado Joe Armstrong (Michael Dudikoff), que participa de um suspeito comboio de caminhões, contendo armas do exército americano da base militar instalada em Manilla, capital das Filipinas. Na frente desse comboio, encontra-se um carro ocupado por Charlie (Phill Brock), Rinaldo (John LaMotta) e Patricia (Julie Aronson), filha do coronel Bill (Guich Koock).

O comboio passa para uma estrada deserta, cercada por uma selva, e é parado por uma falsa blitz. Em seguida, um grupo de homens armados sai da mata, exigindo que os soldados deixem os caminhões. Joe decide reagir e os outros soldados também. Um dos bandidos tenta fugir com um dos caminhões, mas Joe consegue parar um deles resultando em um acidente. Visto que os soldados estão em vantagem, os bandidos tem uma carta na manga, um clã de ninjas, também escondidos na mata. Os ninjas liderados por Black Star (Tadashi Yamashita) matam os soldados, mas poupam a vida de Charlie e Rinaldo. Porém Black Star fica impressionado com a habilidade de Joe, que foge junto de Patricia.

O coronel Bill fica sabendo através de Curtir Jackson (Steve James), instrutor de artes marciais do quartel, que as mortes foram causadas por ninjas. Mesmo tendo salvado Patricia, Bill dá um esporro em Joe por ter reagido. Em seguida, junto de Rinaldo, ele lê a ficha de Joe e descobre que este teve passagem pela prisão, além de ser órfão de pai e mãe. O coronel dá ordem para que ele não se aproxime de Patricia. Charlie apresenta Joe a Jackson, que decide provocá-lo e leva uma lição do novato.  Os dois acabam se tornando amigos.

Joe e Patrícia se reencontram dentro do quartel, mesmo que a distância. Patricia pede a ajuda de Charlie para revê-lo e Joe pega emprestado a moto de Jackson. Os dois vão jantar em um restaurante e lá Joe dá de cara com Rinaldo, que está em companhia de Vitório Ortega (Don Stewart), líder da organização criminosa que praticou o roubo no comboio. Ortega tem a idéia de matar Joe. Pede para Rinaldo mandar Joe levar para uma doca um caminhão contendo um lança-míssil, que ficou faltando no roubo do comboio.

Ao entrar na doca combinada, Joe acaba encontrando um grupo de ninjas querendo matá-lo. Enquanto Joe enfrenta os ninjas, dois homens de Ortega roubam o seu caminhão. Joe consegue se esconder debaixo do veículo e chega à chamada Estância de Ortega. Porém, sua presença é descoberta e ele tenta fugir dos aliados do criminoso. Ao chegar no matagal, se encontra com Shinyuki (John Fujioka), que é jardineiro de Ortega e lhe ensina um atalho para fugir. Em seguida, Ortega liga para o sargento Rinaldo, avisando que Joe fugiu e o quer morto. Rinaldo dá ordem de prisão para Joe assim que ele chega ao quartel.

De noite, Black Star vai sozinho tentar matar Joe na cadeia. Perto de realizar a execução, uma viatura chega e facilita a fuga de Joe. Ele vai até o dormitório de Jackson e avisa que suspeita que Rinaldo está ajudando Ortega no roubo das armas. Ele e Patricia aconselham Joe a relatar a sua suspeita para o coronel Bill, mas este não acredita e chama alguns soldados junto de Rinaldo para prendê-lo. Joe escapa de posse de um jipe, sendo perseguido por duas viaturas na sequência. Durante a perseguição, consegue encostar uma das viaturas em uma árvore. Desesperado, o sargento Rinaldo joga o motorista para fora, assumindo o volante na perseguição a Joe. Porém o herói joga a viatura de Rinaldo em uma ladeira, causando uma explosão.

Em seguida, Ortega chega na casa de Bill. É é aí que toda a trama é desvendada. O coronel é cúmplice no roubo das armas junto de Rinaldo. Com Ortega vendendo os artefatos clandestinamente, para que os Estados Unidos saia vitorioso na corrida armamentista contra a União Soviética. Isso mesmo que vocês leram: a Guerra Fria. Bill pede para Ortega adiar a venda das armas, até que tudo esfrie, mas o último nega, querendo receber os 4 milhões de dólares combinados. Enquanto a conversa ocorre, Black Star sai da limusine de Ortega e sequestra Patricia. A conversa se encerra com Bil agredindo Ortega, após esse ameaçar contar para a filha do coronel a participação do pai no esquema.

Joe volta para a Estância de Ortega. Abate alguns de seus homens e se reencontra com Shinyuki. Joe lembra dele como o senhor que lhe ensinou arte ninja na infância. Porém, os dois se separaram após uma explosão que causou a perda de memória temporária de Joe. Shinyuki aproveita o reencontro e dá a sabatinada final para que o americano se torne um ninja oficialmente. Shinyuki pede para Joe não ser igual a Black Star, que feriu o código ninja, se aliando ao crime organizado.

No dia seguinte, os compradores chegaram e Joe aparece para impedir a negociação. Para piorar, Ortega expõem Patricia como refém. Mas o americano não está sozinho e seu mestre Shinyuki aparece para lhe ajudar contra o clã de Black Star. Posteriormente, chegam os seus colegas do exército, que fazem cumprir a promessa de Bill de tomar as armas de volta. Mais uma vantagem para Joe nessa missão.

Curiosidades:

Foi produzido pela Cannon Group Inc. (nada a ver com a marca japonesa de câmera fotográfica), conhecida produtora de filmes de baixo orçamento fundada pelos primos israelenses Menahem Golan e Yoram Globus. Por conta dessa dupla, a Cannon também era chamada de Golan-Globus.

America Ninja foi filmado em Manila, capital das Filipinas, país do sudeste da Ásia. O quartel do exército americano, que serviu de cenário, também está no mesmo país. Aliás, as forças armadas americanas sempre têm uma base militar em alguns países do mundo. A mais comentada fica na cidade de Guantánamo, em Cuba.

Intérprete do vilão Black Star, Tadashi Yamashita foi o criador das coreografias de luta do filme. Ele também fez outros trabalhos como Octagon – Escola Para Assassinos (1980), que teve Chuck Norris e o saudoso Lee Van Cleef no elenco.

Protagonista do filme, Michael Dudikoff nunca pensou em fazer esse tipo de trabalho, mas depois virou entusiasta do gênero e até hoje é chamado de American Ninja. Ele tem amizade com a família Gracie e já veio ao Brasil, a convite dos mesmos, para treinamento. Apesar de ter prestígio com o público dos filmes de ação, Michael Dudikoff não alcançou o status de um Jean Claude Van Damme ou Steven Seagal por exemplo.

Intérprete de Curtis Jackson, Steve James morreu de câncer no pâncreas aos 41 anos, no dia 18 de dezembro de 1993. Ele e Michael Dudikoff eram amigos, além de terem feito outros filmes juntos como Vingança de Um Predador (1986) e America Ninja 2 (1987). Outro trabalho de Steve James conhecido do público brasileiro é Comando Delta (1986), com o já citado Chuck Norris.

O filme chegou ao Brasil cinco anos depois de seu lançamento original, sendo exibido pela TV Globo, na sessão de filmes Tela Quente. Antes, a mesma Tela Quente já havia exibido a chamada trilogia ninja do ator Sho KosugiNinja – A Máquina Assassina (1981), A Vingança do Ninja (1983) e Ninja III – A Dominação (1984) – produzida também pela Cannon Group.

Na transição dos anos 1980 pros 1990, o Brasil vivia o período da chamada ninjamania, em virtude do êxito dos tokusatsus Lion Man e Jiraya, exibidos na extinta TV Manchete. A ninjamania também trouxe ao Brasil, em 1990, o desenho animado As Tartarugas Ninjas, que no mesmo ano ganhou a sua primeira adaptação cinematográfica em live-action.

America Ninja ganhou dublagem da Alamo, o mesmo estúdio responsável por dublar os tokusatsus mencionados acima. O filme foi reprisado constantemente pela Globo durante a década de 1990, nas sessões de filmes Sessão da Tarde e Temperatura Máxima. A última vez que eu assisti pela emissora foi em 2000, na sessão Domingo Maior. Em 2019, o filme voltou a ser exibido no canal fechado Telecine Action com a dublagem da Drei Marc.

O filme ganhou mais quatro continuações, como o já mencionado America Ninja 2, além de America Ninja 3 (1989), America Ninja 4 (1991) e America Ninja 5 (1992). No terceiro filme da saga, Michael Dudikoff foi substituído por David Bradley, que deu vida ao personagem Sean Davidson e teve Steve James como parceiro. No quarto filme, Michael Dudikoff voltou a viver Joe Armstrong e fez parceria com Sean Davidson. No quinto filme, David Bradley foi o protagonista, não teve parceiro e seu personagem se chamou Joe Kastle. Dos cinco filmes da saga, apenas America Ninja 4 não passou na TV brasileira e o público brasileiro só o conheceu através da internet.

Para terminar, a história da The Cannon Group Inc. foi contada neste vídeo do canal Coleção de Ação Show no Youtube. Aliás, eu recomendo a todos assistirem aos vídeos do canal.

Windson Alves

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s