Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Abril (2020)

1613161721_1GG

Uma boa dica para vencer o tédio durante a quarentena e, de quebra, adquirir conhecimento ou simplesmente se entreter, é ler um bom livro. E os lançamentos literários de abril oferecem uma variedade incrível de narrativas: tem o relançamento de um clássico brasileiro de uma importância ímpar para nossa literatura, A Muralha, de Dinah Silveira De Queiroz, pela editora Instante. O novo romance de Tony Bellotto, Dom, sai pela Companhia das Letras. E neste Abril Azul, em que se celebrou a Conscientização do Autismo no dia 2, a Editora nVersos publica Propósito Azul: Uma História Sobre Autismo de André Lobe Kaká Koerich Busch, que traz informações atualizadas sobre o TEA (Transtorno do Espectro Autista), fundamental para quem deseja conhecer mais profundamente o assunto. A Arqueiro lança Notre-Dame: A História de uma Catedral, no qual o autor Ken Follett reflete sobre o papel desempenhado ao longo da história pela catedral que, infelizmente, sucumbiu às chamas em abril do ano passado. Qualityland de Marc Uwe Kling promete uma mistura inusitada, divertida e emocionante de Black Mirror com Westworld e Douglas Adams e é publicado pela Tusquets. As Agentes Secretas de Paris é um romance feminino e feminista de Pam Jenoff e uma das novidades da HarperCollins. A Pandorga Editora traz um box especial de O Mágico de Oz em 3 volumes. Para quem curte lendas urbanas macabras, a Lendari lança os volumes 2 e 3 de Creepypastas: Lendas da Internet, contendo várias histórias garimpadas das profundezas dos fóruns da web. E para completar, a Rocco publica edições comemorativas de todos os livros da série Harry Potter, celebrando os 20 anos do lançamento do primeiro livro bruxinho mais amado da literatura em território nacional. Confira abaixo capas e sinopses das principais novidades literárias deste mês:

Laene-se
Laene Ribeiro
Chiado Editora

A poesia de Laene Ribeiro, embora popular, foge do padrão comum adotado aos limites da literatura brasileira. Com uma particularidade poética, que vai além do que se pode compreender na primeira leitura, é uma escrita que exige do leitor um abandono do mundo em volta, para penetrar no imaginário geográfico contido em sua poesia. Não bastasse ser uma produção independente, desafiadora e instigante, que requer certo raciocínio entranhado a uma cautela de ampla reflexão, há sobre sua obra uma característica forte da sua própria sensibilidade, com seus traços genuínos bastante enraizados naquilo que se vive cotidianamente, seja no amor, na vida e na própria arte. Em seu estro, ela exerce com força sua opinião formada sobre tudo que acredita e sente, sem que haja a necessidade de persuadir o leitor, senão dar a “ele” a própria liberdade de se ter uma própria interpretação. Apaixonada assídua pelos avessos e amante de tudo que se faz íntimo à arte, deixa claro na tradução dos seus versos tudo aquilo que defende como a verdadeira essência de ser humana. Dando ao leitor o privilégio de ser o próprio poeta, escreve como quem peca e marca, de forma concreta, tudo que se faz abstrato, desde o pensar até o existir da poesia. Em um exercício literário que desafia a complexidade, ela não mostra o caminho de chegada até o sentido da sua poesia, mas ensina como se deliciar com o seu trajeto, deixando seu leitor totalmente livre para mergulhar em sua arte. Sobre um jogo de tudo ou nada, sem meio termo e linha tênue, completo de verdades nuas e expostas ao alheio, ela se arrisca a escrever exaltando a beleza das contradições e quebrando as regras literárias para mostrar a sua própria cara. Quando desafiada a escrever em padrão, ela defende a ideia de que suas palavras têm vida, e respiram, logo, não atendem a nenhuma regra, mesmo que seja imposta por ela. “A poesia é feita para ser livre e eu dou a ela a liberdade de ser”. Laene-se! Amor, Vida e Arte é o amor conjugado em verbo, feito esta coisa de ser flor no sertão, que nasce sem depender de primavera e sobrevive mesmo que não haja inverno. “Que o amor seja resposta para todas as perguntas”.

Propósito Azul: Uma História Sobre Autismo
André Lobe, Kaká Koerich Busch
Editora nVersos

O livro Propósito Azul conta com as atualizações mais recentes sobre o autismo. Escrito de uma forma leve e divertida, porém com cuidado de abordar apenas conteúdo padrão-ouro de excelência e contendo dados científicos, assim como todas as informações referentes ao autismo deveriam ser. A escrita expõe trechos de vivências reais, que a maioria das famílias de pessoas autistas vivenciam na pele, além de intercalar os acontecimentos da narrativa com explicações de médicos, cientistas e profissionais da área. O que estabelece uma identificação imediata. Aqui encontramos histórias contadas com emoção, e que nos mostram que é possível a evolução da pessoa com autismo, pois tratar e estimular uma criança precocemente após o diagnóstico, oferece uma maior possibilidade de realização da criança, porque ela conseguirá desenvolver as atividades de que mais gosta com pouca ou sem nenhuma limitação. Nosso cérebro é capaz de se modificar estrutural e quimicamente através do contato com as experiências proporcionadas pelo meio em que vivemos. A evolução das redes neurais depende do que acarretamos ao nosso cérebro, e esse livro está fantástico para enriquecermos nossa cognição. Além disso, a inteligência e o carisma dos autores fazem deste livro uma importante ferramenta para colocar pais e profissionais em ação. É um marco na história do nosso tempo e um serviço benéfico aos seres humanos. Juntos, ainda temos muito a fazer pelo autismo no Brasil.

Quando as Amendoeiras Florescem no Vale dos Templos
Paulo Roberto Cannizzaro
Chiado Editora

Em uma planície que se inclina para o mar, Agrigento é uma das cidades mais lindas da Sicília. Do lado do mar está o Vale dos Templos (Valle dei Templi), patrimônio da humanidade, um importante testemunho arqueológico da civilização grega clássica. É aí que o enredo desse romance curioso é ambientado. Não podia haver um lugar mais bonito para essa história. Uma família de grandes posses financeiras vai cuidar da sucessão de seus patrimônios para seus seis filhos. Os pais estão no dilema de quais dos filhos serão os sucessores e condutores da gestão dos negócios. Nem a história de um grande amor vivido pelos pais foi suficiente para unir os filhos, que são reconhecidamente muito diferentes. Essas são as questões tratadas nesse interessante romance que cuida de pontuar os conflitos de uma família empresária. Você verá conflitos de gerações que se defrontam, os valores dos pais envoltos pela permissividade de outra geração, cada qual a viver seus princípios, livres ou conservadores. Diferenças de crenças, conflitos, traição, amor, perdão, inveja, enfim tudo está presente nesse romance, e esse ambiente fez com que se acordasse até os deuses da Sicília. E, em Agrigento, tudo acontece, dizem os historiadores da antiguidade. As lendas aparecem, e até as amendoeiras em flor despertam os personagens. Os deuses são capazes de mudar o rumo da vida dessas pessoas e dessa história? Um amor improvável é a chance de religar os vínculos da família. É assim que esse romance nos emociona, com um autor que tenta compor como são os conflitos de uma família. E romancistas sempre são testemunhas de seu tempo, tentam nos contar fantasias, mas que tragam verdades fundamentais. E prepare-se para uma final que é verdadeiramente surpreendente. Você vai se deliciar com esta história.

A Muralha
Dinah Silveira De Queiroz
Instante

Considerado um best-seller nacional, narra as paixões, a coragem e a violência dos primeiros desbravadores do Brasil no início do século XVIII, com destaque para a força das personagens femininas. A Muralha foi publicado originalmente em 1954, em comemoração ao quarto centenário da cidade de São Paulo. Cristina é a jovem romântica que vem de Portugal para casar-se com Tiago. Decepciona-se logo ao desembarcar do navio: seu prometido não a aguarda. E, para chegar à Lagoa Serena, a propriedade da família do noivo, precisa enfrentar dificuldades a fim de transpor a muralha da Serra do Mar, que separa o litoral da vila de São Paulo de Piratininga. Mas Cristina terá de lidar com muito mais do que as vicissitudes de uma terra selvagem: a indiferença de Tiago, que parece só querer bem às estrelas, e os hábitos tão distintos daqueles do Reino. A paisagem e os costumes do tempo colonial são reconstituídos por Dinah Silveira de Queiroz — ela própria descendente do bandeirante Carlos Pedroso da Silveira —, com destaque para as enérgicas personagens femininas: afinal, eram as mulheres que administravam e defendiam a casa enquanto os homens partiam nas bandeiras. Depois de ter sido dado em capítulos na revista O Cruzeiro, o romance foi publicado integralmente e logo se tornou um fenômeno editorial. Recebeu a Medalha Imperatriz Leopoldina por seus méritos históricos, e, no ano de seu lançamento, a autora foi contemplada com o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto de sua obra. A Muralha foi lançado em Portugal, no Japão, na Coreia do Sul, na Argentina, na Alemanha e nos Estados Unidos e foi por várias vezes objeto de adaptação no rádio e na TV brasileiros, sendo a última no formato de minissérie realizada por Maria Adelaide Amaral e exibida pela Rede Globo em 2000.

“A escritora transpôs para seu romance um mundo inteiro de gente, de paixões e de sucessos violentos, dentro de um cenário igualmente copioso e dolorido: esse episódio da infância de um povo, turbulenta e sensacional, não é apenas um quadro, de limites curtos: é todo um grande painel — um painel de proporções portinarescas.” — Rachel de Queiroz, 1954.

“Em um momento da história no qual o patriarcalismo, em seus estertores, parece mais cruel tanto para as mulheres quanto para os homens, percebo e reafirmo a importância da obra de Dinah para que acreditemos na força da luta e da capacidade das mulheres e para que os varões tenham verdadeira compaixão de si mesmos e se aliem a nós para construir, agora, sim, um Novo Mundo, com a natureza e a humanidade enfim resgatadas dos desastres que nos acabrunham.” — Maria Valéria Rezende, 2020.

Por que ler este livro? Em 1980, Dinah Silveira de Queiroz tornou-se a segunda mulher eleita para a Academia Brasileira de Letras (a primeira havia sido Rachel de Queiroz). A Muralha é um romance histórico, em tom épico e celebrativo, inspirado na Guerra dos Emboabas. As relações interpessoais e de interesse são bastante atuais, além de levarem à reflexão e possibilitarem o entendimento de nossa realidade. Relançar esta obra contribui para a recuperação e a preservação da história literária nacional e o resgate de escritoras negligenciadas. A obra está fora das livrarias desde a primeira metade da década de 2000.

Crônica da Rua 513.2
João Paulo Borges Coelho
Kapulana

Em uma rua fictícia da cidade de Maputo, capital de Moçambique, a Rua 513.2, convivem personagens vivas e mortas. Os mortos – espíritos nguluvi – antigos moradores das casas no período da dominação portuguesa, interferem no dia da dia dos vivos que, agora, no período pós-independência moram nas suas casas. Vivos e mortos discutem, decidem e realizam tarefas que definem os rumos da rua e, por extensão do país. Quando esses antigos espíritos são substituídos por outros, a dinâmica histórica começa a mudar. Nesse romance surpreendente, Crônica da Rua 513.2, João Paulo Borges Coelho apresenta um retrato literário e cultural das relações entre história e ficção, em uma sociedade em busca de sua própria identidade.

Outlander, A Cruz de Fogo: (inclusão de sobrecapa): 5
Diana Gabaldon (Autor)
Editora Arqueiro

QUINTO VOLUME DA SÉRIE OUTLANDER. Com mais de 27 milhões de livros vendidos, a série se tornou um enorme sucesso mundial e foi adaptada para a TV em 2014, ganhando o BAFTA e sendo indicada ao Globo de Ouro e ao Emmy.

“Extremamente viciante.” – Toronto Star

“Complexo e apaixonante. O texto é magnífico – exuberante, evocativo, sensual, com riqueza de detalhes históricos e uma boa dose de humor.” – Library Journal

Uma história sobre lealdade. O ano é 1771. Na Carolina do Norte, conserva-se a duras penas um frágil equilíbrio entre a aristocracia colonial e os esforçados pioneiros. E entre esses dois lados, prestes a entrar em conflito, está Jamie Fraser, um homem de honra exilado de sua amada Escócia. Convocado a liderar uma milícia para conter as insurgências, ele sabe que quebrar o juramento que fez à Coroa inglesa o tornará um traidor, mas mantê-lo será a certeza de sua ruína. A guerra se aproxima, garantiu-lhe sua esposa, Claire Randall. E, mesmo não querendo acreditar nesse triste futuro, Jamie Fraser está ciente de que não pode ignorar o conhecimento que só uma viajante do tempo poderia ter. Afinal, a visão única de Claire já os colocou em risco, mas também lhes trouxe salvação. A Cruz de Fogo é uma envolvente história sobre o empenho de Jamie em proteger sua família, construir uma comunidade e manter suas terras às vésperas de um conflito histórico. Nesses esforços, ele é ajudado por sua mulher, sua filha Brianna e seu genro Roger MacKenzie, que nasceram no século XX e agora tentam se adaptar à tortuosa vida do século XVIII.

Notre-Dame: A História de uma Catedral
Ken Follett
Editora Arqueiro

KEN FOLLETT JÁ VENDEU MAIS DE 160 MILHÕES DE LIVROS NO MUNDO.

Contém trecho do livro inédito Crepúsculo e a Aurora. Os direitos autorais deste livro serão doados para ajudar na reconstrução da Notre-Dame. Em Notre-Dame, Ken Follett descreve as emoções que sentiu ao saber do incêndio que quase destruiu uma das maiores catedrais do mundo:

“A magnífica Catedral de Notre-Dame de Paris, uma das maiores realizações da civilização europeia, estava em chamas. Aquela visão nos deixou estupefatos e profundamente perturbados. Fiquei à beira das lágrimas. Algo inestimável estava morrendo diante dos nossos olhos. Era uma sensação desconcertante, como se a terra estivesse tremendo.”

O autor reflete sobre o papel que a catedral desempenhou ao longo do tempo e revela a influência que ela exerceu tanto em outras catedrais ao redor do mundo quanto em um de seus mais conhecidos e adorados romances, Os Pilares da Terra.

A Fonte da Autoestima: Ensaios, Discursos e Reflexões
Toni Morrison
Companhia das Letras

Uma das escritoras mais célebres e reverenciadas de nossos tempos, Toni Morrison sempre foi uma hábil observadora do mundo. Em A Fonte da Autoestima, encontramos uma rica coletânea de textos sobre sociedade, cultura e arte. As palavras de Toni Morrison são transcendentais não só em seus romances, mas também nas obras de não ficção. Neste livro, encontramos uma instrutiva reunião de seus ensaios e discursos mais importantes, como um texto sincero e comovente sobre sua busca pelo verdadeiro Martin Luther King Jr., um elogio emocionante a James Baldwin, uma oração ardente pelos mortos do 11 de setembro, entre outros. A autora, que recebeu em 1993 o prêmio Nobel de literatura, analisa as linhas tênues que separam o estrangeiro, a mulher, o corpo negro e outros conceitos igualmente importantes para a sociedade contemporânea. Além disso, Morrison volta seu olhar crítico para o próprio trabalho ― principalmente Amada ― e o de outros importantes escritores negros. Uma coletânea essencial para entender melhor o pensamento de uma das mulheres mais importantes do século XX, A Fonte da Autoestima brilha com a elegância literária e intelectual que fizeram de Toni Morrison a voz mais importante dos últimos anos.

“Se Toni Morrison fosse uma cantora, este livro seria sua principal música.” ― The New York Times

“Mesmo sendo composto por textos escritos ao longo de quatro décadas, este livro fala diretamente à sociedade atual.” ― NPR

“Neste livro, Toni Morrison revela os segredos de seus romances.” ― The Oprah Magazine

“Textos poderosos e avassaladores de uma das maiores escritoras americanas.” ― Kirkus Review

A África Recontada Para Crianças
Avani Souza Silva
Martin Claret

Com muita criatividade, este livro nos convida a uma viagem pelas histórias contadas nos países africanos onde também se fala português. Angola, Moçambique, Guiné- Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe… Lá tem lobo, coelho, leão – e muitas outras aventuras. As histórias deste livro são, acima de tudo, bem humoradas. Atravessadas por adivinhas, músicas, descrições de gastronomia, vestimentas e tantos outros elementos que formam a cultura de um país. Um tributo à África, à língua portuguesa e aos contadores de histórias. As crianças agradecerão, e nós, adultos, também.

Dom
Tony Bellotto
Companhia das Letras

Em seu novo romance, Tony Bellotto narra a história alucinante de Pedro Dom, jovem de classe média que se tornou chefe de uma quadrilha de roubo de residências no Rio de Janeiro dos anos 2000. Para sustentar o vício em cocaína ou simplesmente pela emoção, Pedro Dom passou a roubar. Nascido em 1981, em uma família carioca de classe média, aos vinte anos ele já era um assaltante procurado. No romance, Tony Bellotto conta não apenas a trajetória de um jovem fora da lei — desde a adolescência até sua morte em 2005, aos 23 anos, quando foi baleado pela polícia —, mas a história de um país marcado por profundas desigualdades sociais, de uma guerra às drogas que parece infinita, de uma máquina estatal cujos agentes corruptos rivalizam com aqueles que já perderam ou estão prestes a perder as esperanças. À medida que descortina o panorama dramático da vida de Pedro, em especial sua relação com o pai — um agente da polícia aposentado que durante anos trabalhou no combate ao tráfico e fez parte do Esquadrão da Morte na ditadura —, a narrativa de Bellotto alcança um ritmo vertiginoso, de impacto profundo.

Três Mulheres Altas
Edward Albee
Grua Livros

No luxuoso quarto de A, descrita como “Uma mulher muito velha; magra, autocrática, orgulhosa, tão calma quanto as calamidades do tempo o permitirão”, estão B, 52 anos, e C, 26 anos. As três são mulheres altas, que se parecem. Neste drama em dois atos, a frágil e senil A se recorda de seu marido com quem tinha uma relação fria, do filho que foi embora faz muitos anos e que ela não vê, de cenas por vezes nítidas, por vezes nebulosas, que lhe marcaram a história. B e C ouvem o relato e intervém com as certezas e dúvidas de suas idades. O segundo ato traz surpresas ao leitor, uma descontinuidade aparente. As transformações do ser humano, nas diferentes etapas da vida, nos comportamentos, no corpo, na maneira de enxergar a vida vivida – momentos de um colorido próprio que se encadeiam e, assim, confirmam a linearidade do percurso, ainda que sinuoso –, a vida em seu auge na maturidade, a vida ainda por acontecer na juventude, três mulheres em sua busca por uma só mulher e uma só experiência capaz de manter coeso o fio de atos e pensamentos que se eleva à condição de uma identidade.Baseada na relação difícil de Albee com sua mãe adotiva e elaborada sob a atmosfera do Teatro do Absurdo e de autores como Samuel Beckett e Luigi Pirandello, Três Mulheres Altas representou um dos pontos altos da produção de Edward Albee. Levada ao público em 1991, a peça rendeu ao dramaturgo norte-americano o Pulitzer de Melhor Drama em 1994, o terceiro de sua obra, uma das obras mais consistentes e aclamadas da dramaturgia norte-americana.

Quem Tem Medo de Vinginia Woolf?
Edward Albee
Grua Livros

Martha, 52, filha do reitor de uma universidade, na Nova Inglaterra, nos Estados Unidos, é casada com um professor do departamento de história, George, seis anos mais novo do que ela. Na volta de uma festa da casa do pai de Martha, já madrugada, eles recebem o jovem professor de biologia Nick e sua esposa Honey. A noite avança e bebe-se muito. Em Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, Edward Albee propõe, sob a forma de um ritual selvagem de expurgo, iluminar os caminhos sinuosos das paixões e desilusões que constroem um relacionamento. Neste texto dilacerante, George e Martha expõem a seus convidados tensões psicológicas que forjaram sua união e vida concretas, em um percurso demoníaco de desagravos, covardias e perversidades no qual a realidade e verdade revelam-se, por fim, feitas de um material diverso do consagrado pela moral e pela tradição. Encenada pela primeira vez em 1962, Quem Tem Medo de Virginia Woolf? causou polêmica e tornou-se um clássico instantâneo da dramaturgia norte-americana. Vencedora do Pulitzer de Melhor Drama em 1963 na votação do júri, teve seu prêmio cassado antes da outorga pela própria organização do prêmio, que temeu concedê-lo a uma obra tão controversa. Levado ao cinema em 1966, colocou lado a lado Richard Burton e Elizabeth Taylor, um dos casais mais icônicos e trágicos da história de Hollywood, em uma produção que dominou os prêmios de melhor atuação do Oscar do ano seguinte.

As Aventuras de Sherlock Holmes
Arthur Conan Doyle
Martin Claret

As Aventuras de Sherlock Holmes, obra publicada em 1892, é uma série de doze contos nos quais o genial detetive, acompanhado de seu fiel amigo dr. Watson, desvenda os mais intrincados e, por vezes, assustadores, mistérios. De inteligência fria e precisa, porém admiravelmente equilibrada, Sherlock Holmes é, certamente, a máquina de observar e raciocinar mais perfeita que o mundo já conheceu. Nunca houve um leitor sagaz o suficiente para desvendar um caso de Sherlock Holmes. Que tal encarar esse desafio? Em Um Escândalo na Boêmia, Um Caso de Identidade, A Liga dos Cabeças-Vermelhas, O Mistério do Vale Boscombe, As Cinco Sementes de Laranja, O Homem de Lábio Torcido, O Carbúnculo Azul, A Faixa Malhada, O Polegar do Engenheiro, O Solteirão Nobre, A Coroa de Berilos e As Faias Cor de Cobre, você tem doze chances. Então abra este livro e desafie sua mente.

Peças Para Um Ensaio
Pedro Fernandes De Oliveira Neto
Editora Moinhos

Peças Para Um Ensaio reúne textos sobre uma das obras, se não principal, entre as mais conhecidas e, portanto, fundamental para a literatura de José Saramago: Ensaio Sobre a Cegueira. Publicado em 1995, este romance se consolida como uma leitura simultaneamente ousada e inesgotável sobre a moral e a condição humana no interior de um tempo quando o ideal de civilização atravessa um longo e penoso crepúsculo. Os múltiplos olhares designados sob o termo peças, também os objetos que dão forma a um objeto maior, constituem na esteira do romance em questão, um ensaio, este redigido a várias mãos e interessado em evidenciar (ou mesmo estabelecer novos) itinerários de leitura e interrogações continuamente atuais só propiciadas através de objetos culturais como a literatura.

Quando Acordei
Gabi Amorim
Ler Editorial

Será possível que o amor resista a um dos maiores vilões da sociedade? Aos vinte e três anos, Juliana, uma jovem da alta sociedade, dorme e acorda completamente surda. Afastada de Deus, a surdez a leva a uma verdadeira peregrinação por emoções variadas: tristeza, solidão, revolta… Juliana não entende como alguém como ela pode ficar surda, assim, da noite para o dia. Mas, como não há mal que perdure e felicidade que não se acabe, aos poucos ela percebe que há algo bem pior do que a surdez: o preconceito. Apesar de todas as expectativas frustrantes, ela conhece um rapaz que tem a vida marcada por um drama que ninguém da cidade sabe. Em meio à dor e ao mistério, os dois descobrem um novo mundo juntos. Será que na prática tudo é tão simples assim? O amor deles é maior que o preconceito? A força desse sentimento resistirá às limitações da deficiência de Juliana? O que vale mais a pena: poder ouvir um “eu te amo” ou estar ao lado da pessoa amada, mesmo nunca conhecendo o som da sua voz?

Para Todas as Pessoas Apaixonantes
Iandê Albuquerque
Outro Planeta

Admiro pessoas que, mesmo com tantas marcas, ainda conseguem ser pessoas apaixonantes. Mesmo com as decepções, mesmo com os términos, mesmo com todos os joguinhos que as pessoas fazem hoje em dia, mesmo quando o mundo capota. Admiro quem se entrega como se nunca tivesse quebrado a cara, como se o peito não tivesse uma marca sequer. Admiro pessoas que, mesmo com tanta bagunça que outras causaram, ainda insistem em ser boas. Pessoas que respeitam sua intensidade e reconhecem que viver é se entregar, e que fugir por medo de sentir pode até poupá-las de alguns machucados, mas as poupa também da vida, de vivê-la como tem que ser vivida. Admiro quem coloca o coração ao sol, quem estende sua alma no varal em uma tarde de domingo, quem brota o sorriso do rosto ainda que carregue algumas marcas, como uma rosa que desabrocha, mesmo que precise conviver com os espinhos de seu corpo. Admiro quem transforma os momentos em que foi passado pra trás em maneiras de olhar pra si mesmo com mais cuidado, com mais respeito, mais afeto e mais consciência. Admiro pessoas que mesmo tendo amado pessoas pequenas demais não tenham se transformado em pessoas assim. Mesmo que tenham acreditado demais nos outros, se jogado de alturas e colecionado decepções gigantescas, não se tornaram cruéis e covardes. Admiro quem tem coragem de tentar, ainda que não tenha certeza de nada, ainda que não saiba se amanhã o outro vai responder a sua mensagem, se vai continuar querendo ficar, ainda que saiba que amanhã pode acabar. Mesmo assim consegue ser alguém apaixonante.

Richthofen: O Assassinato dos Pais de Suzane
Roger Franchini
Planeta

Mais de quinze anos se passaram e o Brasil ainda se lembra da jovem que planejou meticulosamente a morte dos pais. O caso da família Richthofen ganhou imediatamente as páginas dos jornais e ficou conhecido como um dos crimes mais cruéis do país. Richthofen revela, com a estrutura de um thriller, os bastidores dessa investigação: as suspeitas, as evidências, os responsáveis pelo inquérito e os chocantes depoimentos de Suzane e dos irmãos Cravinhos. Tudo isso a partir do ponto de vista de três policiais que tiveram suas vidas alteradas pelo assassinato. Conhecer o final dessa história é o que menos importa. Intercalando relatos de Suzane e a investigação do crime, Roger Franchini usa seu conhecimento do caso para escrever essa narrativa ficcional que reconstrói os nove dias que abalaram o Brasil dos anos 2000 – e que continuam a ser noticiados até hoje.

A Viagem de Cilka: Baseado Em Uma História Real de Amor, Coragem e Esperança
Heather Morris
Planeta

O Inferno de Cilka é baseado na história real de Cilka Klein e na de tantas outras mulheres presas nos campos de concentração nazistas e, após o fim da Segunda Guerra Mundial, nos gulagui russos. Nessa emocionante sequência do grande best-seller mundial O Tatuador de Auschwitz, Heather Morris nos apresenta um testemunho não apenas do poder do amor e da esperança, mas também da força que há nas mulheres. A beleza salvou sua vida… Mas também a levou ao inferno. Cilka Klein tinha apenas dezesseis anos quando foi levada ao campo de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau, em 1942. Seus lindos e longos cabelos – os mesmos a atraírem a atenção e a curiosidade do tatuador de Auschwitz, em meio a tantas cabeças femininas raspadas naquela prisão de grandes horrores – são notados pelos oficiais nazistas. No entanto, é ninguém menos que o comandante do campo, Schwarzhuber, que a separa das demais prisioneiras, forçando-a a se submeter a terríveis violências… Se quiser sobreviver. Anos depois, vem a liberação do campo. Pela proximidade de sua relação com o alto comando nazista, o exército russo classifica Cilka como “colaboradora”, e a ainda jovem é levada para uma brutal prisão soviética na Sibéria. Inocente, mas prisioneira mais uma vez, Cilka deve enfrentar novos (e outros já familiares) desafios cruéis, batalhando a cada dia pela própria sobrevivência. E em meio a esse inferno, será possível que Cilka encontre espaço em seu coração para o amor?

Contos Negreiros
Marcelino Freire
Record

Em novo formato, Contos Negreiros apresenta uma releitura moderna do preconceito, dando um novo olhar aos marginalizados da sociedade. Um dos expoentes de sua geração, Marcelino Freire apresenta 16 narrativas de brasileiros miseráveis que vendem de tudo para sobreviver: drogas, o corpo e até os órgãos. Abordando temas delicados como a prostituição infantil e indígena em “Yamani”, o preconceito racial e conflito de classes em “Solar dos príncipes” e a homossexualidade em “Coração”, o livro chega ao seu ponto alto em “Nação Zumbi”, história de um personagem sem nome que recorre ao tráfico de órgãos para sobreviver. Inspirado em clássicos brasileiros como Cruz e Sousa, Lima Barreto e Jorge de Lima, Contos Negreiros esquadrinha, com ironia e bom humor, questões relevantes da atualidade e do cenário político atual, resgatando a memória cultural manchada do Brasil.

Qualityland
Marc Uwe Kling
Tusquets

Engraçado e emocionante na mesma medida, Qualityland traz uma visão do que nosso futuro próximo pode se tornar. Uma mistura única de humor e crítica social sombria, em que Black Mirror encontra Westworld e a obra de Douglas Adams. Bem-vindo a Qualityland, a nação mais poderosa e desenvolvida do planeta. Tudo em Qualityland é pensado de maneira a otimizar a sua vida. Um sistema identifica seu parceiro ideal, vermes-androides em sua orelha dizem o melhor caminho a tomar no seu dia a dia, drones já sabem, só pela sua cara, que você precisa de uma cervejinha bem gelada no fim de um dia de trabalho exaustivo. Humanos, robôs e algoritmos aparentemente convivem muito bem, e tudo gira em torno do mundo corporativo, hierárquico e do dinheiro. Ao nascer, cada pessoa recebe de seus genitores um sobrenome específico, que muitas vezes acaba sendo usado como indicador de seu papel nessa linda e perfeita sociedade. Todo o resto que é preciso saber, claro, está na ficha pessoal de cada habitante de Qualityland. No entanto, se o sistema é tão perfeito como dizem, por que existem drones com medo de voar, droides sexuais com disfunção erétil ou robôs de combate com transtorno de estresse pós-traumático? Por que em Qualityland as máquinas estão se tornando cada vez mais humanas, mas as pessoas se tornam cada vez mais máquinas?

Você Sempre Troca o Amor da Sua Vida (Por Outro Amor Ou Por Outra Vida)
Amalia Andrade
Outro Planeta

O guia definitivo para lidar com coração partido pela autora best-seller Amalia Andrade Um coração partido pode parecer o fim do mundo, mas Amalia Andrade, autora e ilustradora best-seller, sabe que isso simplesmente não é verdade. Mudança não é sinônimo de derrota ou rendição, mas uma promessa. Porque se o “amor da sua vida” não der certo, sempre haverá a chance de que surja algo novo – um novo amor ou uma nova vida. Ao precisar lidar com a própria fossa, Amalia soube que não podia se desesperar. Com sua visão brilhante e senso de humor único, ela construiu este kit fundamental de primeiros socorros: um guia interativo para superar um término através de reflexões, receitas e muitas ideias engenhosas para transformar um acontecimento negativo em uma experiência libertadora. Nestas páginas, você encontrará o código secreto para interpretar mensagens de texto, odes amorosas para Beyoncé, a mixtape ideal para chorar no chuveiro e muito mais. Você sempre troca o amor da sua vida revela o segredo para consertar seu coração e talvez até para abrir-se novamente: no amor e na falta de amor, nunca estamos sozinhos.

Lembranças, Realidades e Reflexões
Edmar Atik
Chiado Editora

Neste livro, além de lembranças que persistem ativas e de significância, participamos de atividades que realçaram a dinâmica da vida, expostos em 48 ensaios durante o ano de 2019. Assim, salientam significantes o desenrolar da “Viagem Marítima ao Atlântico Norte” e considerações também sobre “Riqueza e desejo, Reflexões sobre a morte, O Barulho, O Carnaval, Posses materiais em gerações, A leveza e o peso em nós mesmos, A imagem humana no ambiente, O olhar, O xingamento, Ser médico, A pesca, O Sorriso no ar, Reunião de família, Nunca imagine não ser capaz, A pessoa de mais idade, O que é a vida, O professor, O dinheiro te escraviza?, Sua imagem nos ambientes, A depressão mascarada pela alegria, Respeito e amor, Teste do pedestre, Descrição do meu Apartamento“, dentre outros. E ainda permitiu que em meio às análises dos assuntos vividos se pudesse refletir em cada um deles e assim incrementar valores e maior profundidade em sua interpretação ― Edmar Atik.

As Agentes Secretas de Paris
Pam Jenoff
HarperCollins

1946, Manhattan. Um ano depois do fim da Segunda Guerra Mundial, Grace Healey encontra uma mala debaixo de um banco da Grand Central Station, em Nova York. Incapaz de resistir à própria curiosidade, ela abre a bagagem e descobre uma dúzia de fotografias de mulheres com seus nomes escritos no verso. Em um momento de impulso e sem saber muito bem por quê, Grace pega as fotos e rapidamente deixa a estação. Ela logo descobre que a mala pertencia a Eleanor Trigg, líder de uma rede de agentes secretas inglesas durante a guerra. Doze delas foram enviadas para a França ocupada pelos nazistas como mensageiras e operadoras de rádio para ajudar a resistência, mas nunca voltaram para casa. Na tentativa de descobrir a verdade sobre as mulheres nas fotografias, Grace se vê envolvida na história de uma jovem mãe e agente chamada Marie, cuja missão desafiadora revela uma surpreendente história sobre amizade, bravura e traição. Vividamente narrado e inspirado em casos reais da Segunda Guerra, Pam Jenoff, autora best-seller do The New York Times, apresenta uma história de incríveis heroínas que ajudaram a derrubar o nazismo. Do ponto de vista de Grace, Eleanor e Marie, a autora cria um admirável romance sobre coragem, sororidade e a força das mulheres para frente às piores circunstâncias.

Memórias de Sherlock Holmes
Arthur Conan Doyle
Martin Claret

O romance policial concatenado teve seu início com Edgar Allan Poe, mas, sem sombra de dúvida, foi o grande detetive criado por Conan Doyle que orientou cientificamente o gênero, e faz-se justiça ao chamá-lo de “pai” da novela policial de caráter científico. Memórias de Sherlock Holmes é uma das obras que mais encanta seus leitores ― são onze histórias de aventura e suspense protagonizadas por Holmes e seu companheiro dr. Watson, que desvendam, dedutivamente, os mais estranhos casos da vida humana.

O Romance de Tristão
Béroul
Editora 34

A história de Tristão e Isolda, de origem celta, incendiou a imaginação de poetas, músicos, ficcionistas e dramaturgos por vários séculos, tendo inspirado a célebre ópera de Wagner. O Romance de Tristão, do misterioso Béroul, uma narrativa em versos rimados e metrificados composta entre 1150 e 1190, integra o ciclo de histórias do rei Artur e os cavaleiros da Távola Redonda, e marca o surgimento do romance moderno no Ocidente. A presente edição bilíngue, apresentada e traduzida por Jacyntho Lins Brandão, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais, foi vertida diretamente do francês arcaico e recupera, em nossa língua, todo o brilho, o frescor, a inventividade e o colorido dos 4.485 versos dessa indiscutível obra-prima da literatura medieval.

A Bela e a Fera (Edição Comemorativa)
Clarice Lispector
Rocco

A Bela e a Fera é uma das obras de Clarice Lispector que exalam a capacidade criadora e o poder de imaginação da estrela maior da literatura de autoria feminina no Brasil. As ideias que nutrem estes oito contos, escritos em 1940 e 1941 (parte I) e 1977 (parte II), recriam uma atmosfera a partir de situações cotidianas corriqueiras que termina por despertar no leitor a sensação do insólito que há em nossas vidas. Ninguém consegue ficar indiferente a essas ideias. Elas estimulam o lado mais criativo e belo que há em cada um de nós, talvez porque “o nascimento de uma ideia é precedido por uma longa gestação” – como nos diz a narradora de “História interrompida”. Leitora de Heidegger, Clarice nos transmite a visão de que a tranquilidade e a normalidade do cotidiano são aparentes, e o que importa é uma compreensão mais profunda do ser humano. Capaz de construir enredos e personagens inusitados a partir das situações mais banais que cada um de nós vivencia, ela nos dá a chave para romper com uma realidade que em geral é vista como imóvel ou imutável. Por isso, esta obra, como todas as suas outras, é uma lição de vida. O tom confessional de diário, de conversa ao pé do ouvido, que é a tônica de seu estilo, registra, nestes contos, a enigmática reação das personagens femininas contra a repressão patriarcal, e mostra que a conquista da independência da mulher passa pela busca do próprio eu: “Senti que podia. Fora feita para libertar. Libertar era uma palavra imensa, cheia de mistérios e dores” – já descobrira Tuda, a protagonista adolescente de “Gertrudes pede um conselho”. ― Luiza Lobo, Professora da Faculdade de Letras da UFRJ, escritora e tradutora.

Avante, Mulheres!: Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã e Outros Textos
Olympe de Gouges
Edipro

Avante, Mulheres! reúne os principais textos da pioneira do feminismo, Olympe de Gouges. Dramaturga e ativista política à época da Revolução Francesa, a autora apresenta nestas linhas as bases da defesa dos direitos das mulheres, da abolição da escravatura dos negros, da liberdade de expressão, entre outras pautas extremamente atuais. Esta edição, com prefácio da professora doutora Gláucia Fraccaro, inclui também a icônica obra Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, uma carta aberta à rainha Maria Antonieta em defesa de princípios fundamentais aos quais todas as mulheres teriam direito ― princípios esses negligenciados pela Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Os escritos aqui apresentados demonstram a genialidade e a coragem de uma das mais brilhantes intelectuais do século XVIII. Uma obra de inspirações múltiplas para os interessados no feminismo, na Revolução Francesa e nas grandes lutas por liberdade e garantia de direitos.

Modern Love: Histórias Reais de Amor, Perda e Redenção
Daniel Jones
Rocco

Livro que inspirou a série da Amazon Prime. ― Uma jovem passa pelos cinco estágios da dor fantasma. ― Um homem termina seu quarto encontro promissor em uma sala de emergência. ― Uma advogada com transtorno bipolar vivencia os altos e baixos do namoro. ― Um viúvo hesita em apresentar os filhos à nova namorada. ― Um homem divorciado, na casa dos 70, contempla a beleza e os escombros de antigos relacionamentos. Estas são algumas das pessoas que contam suas histórias em Modern Love, uma coletânea de relatos memoráveis publicados na coluna “Modern Love” do The New York Times, incluindo os oito que inspiraram a série, com Tina Fey, Andy Garcia, Anne Hathaway, Dev Patel e outros. Um fascinante mosaico sobre o amor, repleto de diversidade, humor, emoção e, sobretudo, esperança. Essas histórias impressionam e ensinam. Provocam risadas, tristeza e lágrimas. Às vezes (isso é verdade), não são nem muito modernas. Mas sempre forçam a concha da ostra do amor humano a se abrir, para revelar a beleza misteriosa que há lá dentro. Algumas das histórias de Modern Love não são nada convencionais, enquanto outras parecem bem familiares. Algumas revelam como a tecnologia mudou para sempre o namoro, outras exploram as lutas atemporais vividas por quem já procurou amor. Acima de tudo, todas constituem relatos honestos que mostram como os relacionamentos começam, como geralmente fracassam e, quando temos sorte, perduram. Organizado pelo editor Daniel Jones, e apresentando uma seleção diversificada de colaboradores incluindo Amy Krouse Rosenthal, Larry Smith, Ayelet Waldman, Andrew Rannells, Veronica Chambers, Dan Savage, entre outros escritores, este é o livro perfeito para quem é amado, está perdido ou sendo perseguido por um ex nas redes sociais, ou para aqueles que sempre desejaram um romance verdadeiro. Em outras palavras, uma leitura para qualquer pessoa interessada no funcionamento infinitamente complicado do coração humano.

A Gaiola de Ouro
Camilla Läckberg
Editora Arqueiro

NOVO SUSPENSE DE CAMILLA LÄCKBERG.

Com 26 milhões de livros vendidos, ela é considerada a rainha europeia do crime.

“Prepare-se para saborear uma história com as reviravoltas e deliciosas perversidades que são a marca registrada dos livros de Camilla Läckberg. Uma maravilhosa mistura de Garota exemplar e Os homens que não amavam as mulheres.” – Chris Bohjalian, autor de O Laço Duplo.

A vingança de uma mulher é bela e brutal. Jack e Faye começaram a namorar na faculdade: um garoto criado em berço de ouro e uma jovem que se esforçou para enterrar um passado sombrio. Quando ele decide criar uma empresa, ela deixa os estudos e passa a trabalhar de dia, dedicando as noites a traçar a estratégia do novo negócio. A companhia se torna um sucesso bilionário, mas Faye se sente como um lindo pássaro preso em uma gaiola, apenas cuidando da filha em casa e sendo exibida pelo marido, que toma todas as decisões da empresa. Jack agora despreza sua inteligência, esquecendo tudo o que ela sacrificou por ele. Quando Faye descobre que ele tem um caso, a bela fachada de sua vida desmorona. De uma hora para outra, ela está sozinha, emocionalmente abalada e sem nenhum centavo – porém nada pode se comparar à fúria de uma mulher com um passado violento, determinada a se vingar. Jack está prestes a receber o que merece, e muito mais. Nesta eletrizante história de sexo, traição e segredos, Camilla Läckberg prova ser uma das vozes mais importantes do suspense mundial.

Knulp: Três Histórias da Vida de um Andarilho
Hermann Hesse
Todavia

As Três Histórias da Vida de um Andarilho: Knulp, estão entre os textos mais encantadores de Hermann Hesse. Reunindo temas depois aprofundados nas obras de grande sucesso do escritor ― a experiência existencial, a formação da personalidade, a contestação de velhos valores ―, Knulp apresenta o herói poético que influenciaria autores tão diversos como Stefan Zweig e Jack Kerouac. Hippie avant la lettre em plena Alemanha do fim do século XIX, um jovem Knulp vagueia de cidade em cidade e se hospeda na casa de conhecidos, que lhe dão teto, comida e algum afeto. Ele evita, no entanto, construir relações mais profundas, estabelecer laços definitivos: é um amante da liberdade, uma espécie de esteta em fuga de um mundo crivado de imposições e crenças antiquadas. À medida que os anos passam, amigos o repreendem por ter desperdiçado seu talento e sua saúde com uma existência vadia, entregue à boemia e ao improviso. O andarilho, ainda que debilitado, não lhes dá ouvidos e segue desfrutando dos prazeres mais simples, aferrado aos breves momentos de felicidade. Uma das mais belas construções literárias de Hermann Hesse, Knulp é um personagem também complexo, que duvida constantemente de suas próprias escolhas. Esse modo de vida marginal levaria Hesse a preconizar: “Se pessoas talentosas e corajosas como Knulp não conseguem encontrar um lugar em seu entorno, o entorno é tão cúmplice disso quanto o próprio Knulp”. Uma declaração que põe em xeque os padrões sociais daquele tempo ― e da atualidade.

Eu Me Amo Mesmo?: Histórias Sobre Virar Você
Andressa Gonçalves
Novo Século

É difícil encontrar alguém que não tenha sofrido com o fim de um amor ou com uma paixão não correspondida. Ou então que tenha se entregado tanto a alguém ou algo que parou de se reconhecer. E não tem jeito, esses são exemplos daquele tipo de coisa que deixa uma cicatriz. Nosso amor-próprio se despedaça, achamos que não merecemos ser amados. chegamos até a duvidar se esse tal amor existe. Nos fechamos para o mundo. Porém, com o passar do tempo, conforme aprendemos com a vida, essas cicatrizes se tornam motivo de orgulho. Percebemos que só é possível amar alguém se você se amar por inteiro. Porque as cicatrizes vão permanecer e é preciso não apenas que nós as amemos, mas também que alguém ame nossas marcas. *** Neste livro, a jovem poeta e autora Andressa Gonçalves nos conduz por seu particular caminho tortuoso, que lhe rendeu os textos curtos, dilacerantes e fundamentais aqui reunidos – responsáveis por ensinar a ela que nada é mais importante do que se amar. São pequenas histórias sobre aprender a virar – e amar – você mesmo.

Um Outro Brooklyn
Jacqueline Woodson
Todavia

Augusta, antropóloga formada por uma prestigiada universidade, volta a sua casa para o funeral do pai. Coincidentemente, seu trabalho de pesquisa acadêmica centra-se em rituais funerários de várias culturas, uma tentativa de desvendar o mistério do luto e a dor quase infinita da perda. Em uma viagem no metrô, ela reencontra Sylvia, uma velha amiga ― e um caldeirão de reminiscências passa a fervilhar em sua mente e aquecer seu coração. A história de Augusta começa em 1973, quando aos oito anos de idade ela se muda para o Brooklyn ― um enclave multicultural de Nova York com uma dinâmica comunidade afro-americana e vastas populações de imigrantes de todo o planeta. Lá, ela descobre o poder e o conforto da amizade feminina, enfrentando a transição da adolescência para a vida adulta. O encontro com a amiga de longa data põe em movimento a memória da década de 1970, transportando-a para um tempo e um lugar onde os laços de afeto representavam tudo para ela. Uma época em que a música pop tocada no rádio dava o tom da vida emocional, e os programas de tv ilustravam, com cores psicodélicas, a paisagem cultural de crianças e adolescentes. Para Augusta e suas três amigas ― Sylvia, Angela e Gigi ―, que compartilhavam confidências enquanto andavam pelas ruas do bairro, o Brooklyn era um lugar onde garotas bonitas, talentosas, alegres e brilhantes pareciam enxergar um futuro luminoso. Mas sob o verniz da esperança havia um outro Brooklyn, um lugar verdadeiramente perigoso em que homens mais velhos procuravam meninas em corredores escuros de prédios populares, fantasmas assombravam à noite e mães desapareciam de um dia para outro.

O Impostor
Edgard Telles Ribeiro
Todavia

Um casal mais velho viaja para Nápoles, a poucos quilômetros do Vesúvio, vulcão em que um parente do narrador teria caído. O mistério dessa queda persegue o protagonista até a velhice: esse parente caiu? Se jogou? No mais, a viagem correria tranquila não fosse uma pergunta feita ao narrador e que tira seu chão. De repente, ele está de volta ao Rio de Janeiro: a viagem ocorreu? Está ocorrendo ainda? Neste engenhoso romance sobre memória, afeto e perda, o autor combina o suspense com a mais fina investigação psicológica.

Pilatos
Carlos Heitor Cony
Nova Fronteira

Nono romance de Carlos Heitor Cony, publicado pela primeira vez em 1974 e considerado pelo próprio autor o seu favorito, Pilatos narra a história de um homem que sofre uma série de infortúnios. É atropelado, descobre que seus órgãos sexuais foram mutilados, foge do hospital em que fora internado e passa a perambular pelo submundo carioca, carregando Herodes, seu membro amputado, em um vidro de compota. Aparentemente sem propósito, o périplo desse anti-herói risível de destino trágico nos apresenta um contundente retrato da sociedade brasileira da década de 1970, fazendo uma crítica ácida aos violentos e castradores anos da ditadura.

Box – O Mágico De Oz – 3 Volumes
L. Frank Baum
Pandorga Editora

O Mágico de Oz, de L. Frank Baum, é o primeiro e mais conhecido livro de uma série de narrativas de fantasia que se passam na Terra de Oz. Tamanha é a genialidade de Baum que, além dos 14 livros do próprio autor sobre a região fictícia, após sua morte outros escritores produziram mais 26 títulos com base na obra, acrescentando seus próprios pontos de vista e versões às já consolidadas terras de Oz. O leitor encontra, neste box da Editora Pandorga, as duas primeiras histórias da série de L. Frank Baum, O Mágico de Oz e O Maravilhoso Mundo de Oz, além do livro para colorir com ilustrações originais de W. W. Denslow e John R. Neill, um pôster exclusivo e dois marcadores. Cativante, repleto de lições de vida e com muito senso de humor, O Mágico de Oz o conduzirá ao mundo de encantamento, diversão e descobertas dos tijolos amarelos!

A Casa na Rua Mango
Sandra Cisneros
Dublinense

Esperanza tem um nome mexicano, origens mexicanas, aparência mexicana, mas nasceu nos Estados Unidos e mora em um decadente bairro de Chicago. Nesse contraste cultural, ela observa a vida dos vizinhos e das amigas para aprender a construir sua própria identidade. Em fragmentos do cotidiano, a autora de A Casa na Rua Mango nos apresenta um panorama do universo de Esperanza e costura uma linha que vai da infância envergonhada da menina à tomada de consciência e início do amadurecimento. Um romance ao mesmo tempo leve e intenso, no qual as vozes latinas reverberam com a força da prosa singular de Sandra Cisneros.

Furacões de Borboletas
Ilana de Oliveira
Chiado Editora

A vida real bateu na porta de Laura cedo demais, e a pequena menina teve que aprender a lidar com um transtorno de ansiedade que por muito tempo regeu seus planos. Porém, quando os seus mais ousados sonhos a chamam ela terá que decidir se deixará seus medos falarem mais alto ou se ignorará a voz que a impediu tanto de perceber quem ela realmente pode ser.

Entrevista Com Vampiro (Edição Capa Dura)
Anne Rice, Clarice Lispector (Tradutora)
Rocco

Uma história que começa com a ousadia de um jovem repórter ao entrevistar Louis de Pointe du Lac nascido em 1766 e transformado em vampiro pelo próprio Lestat figura apaixonante que terminará ao longo da série arrebatando multidões como cantor de rock.“― Quer dizer que ele sugou o seu sangue? – perguntou o rapaz.― Sim o vampiro sorriu. É assim que se faz.” Louis esse vampiro que se recusa a livrar-se das características humanas e aceitar a crueldade e a frieza que marcam os vampiros continua a contar a história desde o início: “― Escute mantenha os olhos abertos – murmurou Lestat com os lábios encostados em meu pescoço.― Lembro-me que o movimento de seus lábios arrepiou todos os cabelos de meu corpo enviando uma corrente de sensações através de meu corpo que não me pareceu muito diferente do prazer da paixão…” É um mundo de uma fantasia impressionante um mundo gótico romântico esse criado por Anne Rice e traduzido por Clarice Lispector. O texto da autora americana não poderia ter melhor intérprete talvez mesmo cúmplice.

Assombros de Esperança
Kiu Oliveira
Chiado Editora

O livro de crônicas Assombros de Esperança, de Kiu Oliveira, suscita reflexões profundas. O autor trata de temas do cotidiano com um olhar sensível, poético e ao mesmo tempo questionador. A leitura nos convida a pensar sobre algumas angústias que vivenciamos no mundo pós-moderno, onde a fluidez é característica marcante nas relações. Com suas memórias e reflexões, em formato de crônicas, o autor faz um convite a todos: viver sempre de forma plena. (Eliane Guimarães de Oliveira) Somente a singeleza, a delicadeza e a inquietude, que guiam os olhos de quem vê a vida além da cotidianidade, são capazes de levar-nos a ser poeta/escritor/narrador das vivências e histórias que tocam a alma das pessoas. Assim, vejo nas crônicas narradas em Assombros de Esperança mais do que construções literárias, mas uma leitura singular da magnífica trajetória humana vista através dos olhos de um poeta que nos assombra e encanta. (Geane Pimentel)

Todas Palavras Feitas Da Terra
André Zahar
Chiado Editora

Amor. Guerra. Perdas. Migrações. Germinações. Temas que inspiram poetas desde tempos imemoriais e se entrelaçam às histórias de cada um de nós, ganham uma abordagem original em Todas palavras feitas da terra. Nesta obra, André Zahar explora a poética do carvão e vai ao encontro da própria caligrafia ao estirar no traço inquietações que vão do íntimo ao político. O livro, feito a mão, se inspira em sítios arqueológicos presentes no Nordeste do Brasil ― Serra da Capivara, Vale do Catimbau, Carnaúba dos Dantas, Pedra do Ingá, Lajedo do Pai Mateus ―, onde desenhos e incisões deixados na rocha por povos pré-coloniais revelam narrativas essenciais de muitas Eras. De forma análoga, a poesia de Zahar busca na vivência pessoal do tempo o que há de mais remotamente humano.

Creepypastas: Lendas da Internet 2 e 3
Vários Autores
Lendari

Os fóruns web estão repletos de histórias sobre casos misteriosos, investigações policiais não resolvidas, fotos sem explicação, descrições de rituais e manifestações demoníacas, versões bizarras e não oficiais de jogos eletrônicos, relatos de episódios macabros de desenhos infantis. São narrativas virais e anônimas espalhadas nos recônditos mais obscuros da internet, sem que se possa rastrear seus verdadeiros autores. Ou sua veracidade. Acabaram conhecidas como creepypastas – algo como um copypaste (de copiar e colar) de situações assustadoras. Mas e se as lendas mais famosas da Internet não forem boatos? No terceiro volume do sucesso Creepypastas: Lendas da Internet, reunimos mais escritores para darem suas próprias e originais versões das creepypastas mais perturbadoras de todos os tempos. Do submundo do Reddit diretamente para sua leitura de cabeceira.

Harry Potter e a Pedra Filosofal (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling
Rocco

Há 20 anos a magia aterrissou no Brasil com a chegada de Harry Potter e a Pedra Filosofal. Para comemorar este aniversário tão especial de um dos livros mais vendidos da história, a Rocco lançou esta coleção de luxo em edição limitada com os sete livros em capa dura, com ilustrações de Brian Selznick (vencedor da Medalha Caldecott) e Mary GrandPré. Uma novidade que irá encantar novos leitores e fãs que acompanham a série por todos esses anos. Venha explorar esse universo mágico! Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo. Harry Potter conduz a discussões metafísicas, aborda o eterno confronto entre o bem e o mal, evidencia algumas mazelas da sociedade, como o preconceito, a divisão de classes através do dinheiro e do berço, a inveja, o egoísmo, a competitividade exacerbada, a busca pelo ideal – a necessidade de aprender, nem que seja à força, que a vida é feita de derrotas e vitórias e que isso é importante para a formação básica de um adulto.

Harry Potter e a Câmara Secreta (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling
Rocco

É pura magia! Aranhas gigantes, cobras que matam só com o olhar, varinhas mágicas com defeito… Muitas histórias contribuem para que o leitor se encante com Harry Potter e a Câmara Secreta, onde ele vai reencontrar todos os pequenos heróis e amigos do livro anterior. A trama de Harry Potter e a Câmara Secreta começa com o pequeno feiticeiro passando as férias na casa de seus tios trouxas (não-bruxos) e sendo, como sempre, muito maltratado. Seu aniversário de 12 anos é o pior de todos: ninguém o cumprimenta, não ganha nenhum presente, nada. O garoto, órfão de pai e mãe, chega a cantar Parabéns pra você baixinho como se quisesse, ele próprio, provar que está vivo. Para piorar, os tios o prendem em um quarto cercado de grades com direito a apenas uma refeição por dia ― que ele divide com sua coruja, igualmente encarcerada em uma gaiola. De repente, aparece um carro voador com amigos feiticeiros que livram Harry Potter dessa amargura. Essa é apenas a primeira cena em que Joanne brinca com situações-limite. Todo o livro é permeado de quase-desgraças e é, por isso mesmo, quase impossível parar de ler. A empreitada, dessa vez, consiste em localizar uma câmara secreta e liquidar o monstro que está atacando estudantes do colégio Hogwarts, no qual os pequenos feiticeiros estudam magia e se divertem aprendendo, por exemplo, a transformar as plantas usando adubo de dragão. Para Harry, garoto sem família e rejeitado pelos tios, Hogwarts é tudo. Portanto, quando colegas, e até professores, começam a desconfiar que ele tem alguma participação nas tragédias que estão acontecendo no colégio, a situação fica mais complicada. Até Hermione, amiga querida de Potter, é atacada pelo monstro e se transforma em uma estátua. Só resta ao nosso herói tentar resolver o mistério por conta própria. Mais uma vez, ele enfrenta o terrível bruxo das trevas e… O final é surpreendente e muito divertido.

Harry Potter e o Prisioneiro De Azkaban (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling
Rocco

As aulas estão de volta a Hogwarts e Harry Potter não vê a hora de embarcar no Expresso a vapor que o levará de volta à escola de bruxaria. Mais uma vez suas férias na rua dos Alfeneiros, 4 foram tristes e solitárias. Tio Válter Dursley estava especialmente irritado com ele, porque seu amigo Rony Weasley tinha lhe telefonado. E ele não aceitava qualquer ligação de Harry com o mundo dos mágicos dentro de sua casa. A situação piorou ainda mais com a chegada de tia Guida, irmã de Válter. Harry já estava acostumado a ser humilhado pelos Dursley, mas quando tia Guida passou a ofender os pais de Harry, mortos pelo bruxo Voldemort, ele não aguentou e transformou-a em um imenso balão. Irritado, fugiu da casa dos tios, indo se abrigar no Beco Diagonal. Lá ele reencontra Rony e Hermione, seus melhores amigos em Hogwarts e, para sua surpresa, é procurado pelo próprio Ministro da Magia. Sem que Harry saiba, o ministro está preocupado com o garoto, pois fugiu da prisão de Azkaban o perigoso bruxo Sirius Black, que teria assassinado treze pessoas com um único feitiço e traído os pais de Harry, entregando-os a Voldemort. Sob forte escolta, o garoto é levado para Hogwarts. Na escola as dificuldades são as de sempre: Severo Snape, o professor de Poções, o trata cada vez pior, enquanto ele tem de se esforçar nos treinos de quadribol, e levar Grifinória à vitória do campeonato. Para piorar a situação, os terríveis guardas de Azkaban, conhecidos por dementadores, estão de guarda nos portões da escola, caso Sirius Black tente algo contra Harry. Por fim, Harry tem de enfrentar seu inimigo para salvar Rony e obrigado a escolher entre matar ou não aquele que traiu seus pais. Com muita ação, humor e magia, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban traz de volta o gigante atrapalhado Rúbeo Hagrid, o sábio diretor Alvo Dumbledore, a exigente professora de transformação Minerva MacGonagall e o novo mestre Lupin, que guarda grandes surpresas para Harry.

Harry Potter e o Cálice De Fogo (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling (Autor)
Rocco

Verão, Harry Potter, agora com 14 anos, sente sua cicatriz arder durante um sonho bastante real com Lord Voldemort, o qual não consegue esquecer; três dias depois, já em companhia da família Weasley, com quem foi passar o restante das férias, na final da Copa Mundial de Quadribol, os Comensais da Morte, seguidores de Você-Sabe-Quem, reaparecem e alguém conjura a Marca Negra – o sinal de Lord Voldemort – projetando-a no céu pela primeira vez em 13 anos, causando pânico na comunidade mágica. Será que o terrível bruxo está voltando? Tudo indica que sim… Em Harry Potter e o Cálice de Fogo, o ano letivo já começa agitado. Harry volta para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts para cursar a quarta série. Acontecimentos inesperados – como, por exemplo, a presença de um novo professor de Defesa contra as Artes das Trevas e um evento extraordinário promovido na escola – alvoroçam os ânimos dos estudantes. Para surpresa de todos não haverá a tradicional Copa Anual de Quadribol entre Casas. Será substituída pelo Torneio Tribuxo, uma competição amistosa entre as três maiores escolas européias de bruxaria ― Hogwarts, Beauxbatons e Durmstrang ― que não se realizava havia um século. A competição é dividida em tarefas, cuja finalidade é testar a coragem, o poder de dedução, a perícia em magia e a capacidade de enfrentar o perigo dos campeões. Liderados pelo professor Dumbledore, os alunos de Hogwarts terão de demonstrar as habilidades mágicas e não-mágicas que vêm adquirindo ao longo de suas vidas. Apesar de alunos menores de 17 anos não poderem se inscrever no Torneio, inexplicavelmente Harry é escolhido pelo Cálice de Fogo, um grande copo de madeira toscamente talhado cheio até a borda com chamas branco-azuladas, para competir como um dos campeões de Hogwarts. Tendo a seu lado os fiéis amigos Rony Weasley, Hermione Granger e agora também o seu padrinho, o bruxo Sirius Black, que fugiu de Azkaban no ano anterior, o menino feiticeiro tentará escapar mais uma vez das armadilhas de Lord Voldemort. Além de todos os desafios, há feitiços a serem aprendidos, poções a serem preparadas e aulas de Adivinhação, entre outras, a serem assistidas, Harry terá que lidar ainda com os problemas comuns da adolescência: amor, amizade, aceitação e rejeição.

Harry Potter e a Ordem Da Fênix (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling
Rocco

Harry Potter chegou à adolescência. E, junto com as transformações desta época tão importante, vive seus dias mais sombrios na escola de magia de Hogwarts. Anunciado pela própria J.K. Rowling, como o livro que inaugura a fase dark do personagem, Harry Potter e a Ordem da Fênix é o quinto volume da saga do jovem bruxo e traz a mais longa das aventuras do aprendiz de feiticeiro. A autora chegou a revelar que chorou ao escrever a morte de um dos personagens mais ligados a Harry Potter no livro, cujo título faz menção a uma sociedade secreta envolvendo parte dos professores da Escola de Magia. Aos 15 anos, Harry Potter continua sofrendo a rejeição dos Dursdley, sua estranhíssima família no mundo dos “trouxas”, ou seja, todos os que não são bruxos. Também continua contando com Rony Weasley e Hermione Granger, seus melhores amigos em Hogwarts, para levar adiante suas investigações e aventuras, ao mesmo tempo que começa a sentir e descobrir coisas novas, como o primeiro amor e a sexualidade. Nos volumes anteriores, J.K. Rowling mostrou como Harry foi transformado em celebridade no mundo da magia por ter derrotado, ainda bebê, Voldemort, o todo-poderoso bruxo das trevas que assassinou seus pais. Neste quinto livro da saga, o protagonista, em uma crise típica da adolescência, tem ataques de mau humor com a perseguição da imprensa, que o segue por todos os lugares e chega a inventar declarações que nunca deu. Harry vai enfrentar as investidas de Voldemort sem a proteção de Dumbledore, já que o diretor de Hogwarts é afastado da escola. E vai ser sem a ajuda de seu protetor que o jovem herói enfrentará descobertas sobre a personalidade controversa de seu pai, Tiago Potter, e a já anunciada morte de alguém muito próximo.

Harry Potter e o Enigma Do Príncipe (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling
Rocco

Harry Potter e o Enigma do Príncipe parte do ponto onde o livro anterior parou, o momento em que fica provado que o poder de Voldemort e dos Comensais da Morte, seus seguidores, cresce mais a cada dia, em meio à batalha entre o bem e o mal. A onda de terror provocada pelo Lorde das Trevas estaria afetando, até mesmo, o mundo dos trouxas (não-bruxos), e sendo agravada pela ação dos dementadores, criaturas mágicas aterrorizantes que “sugam” a esperança e a felicidade das pessoas. Harry, que acabou de completar 16 anos, parte rumo ao sexto ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, animado e, ao mesmo tempo, apreensivo com a perspectiva de ter aulas particulares com o professor Dumbledore, o diretor da escola e o bruxo mais respeitado em toda comunidade mágica. Longe de ser aquele menino magricela que vivia no quarto debaixo da escada na casa dos tios trouxas, agora Harry é um dos principais nomes entre aqueles que lutam contra Voldemort, e se vê cada vez mais isolado à medida em que os rumores de que ele é O Eleito, o único capaz de derrotar o Lorde das Trevas, se espalham pelo mundo bruxo. Dois atentados contra a vida de estudantes, a certeza de Harry quanto ao envolvimento de Draco Malfoy com os Comensais da Morte e o comportamento de Snape, suspeito como sempre, adicionam ainda mais tensão ao já inquietante período. Apesar de tudo isso, ele e os amigos são adolescentes típicos: dividem tarefas escolares e dormitórios bagunçados, correm das aulas para os treinos de quadribol, e namoram. Rony e Hermione, os melhores amigos de Harry, se dão conta (finalmente!) da atração que sentem um pelo outro; Harry e a Gina, a irmã mais nova de Rony, também. Muitas peças do intricado quebra-cabeça criado por J.K. Rowling começam a se encaixar, à medida em que a escritora começa a preparar Harry (e os leitores) para o desfecho da série. Informações são reveladas por meio do uso da Penseira, um objeto que permite compartilhar memórias, utilizado por Harry e o professor Dumbledore para viajar no tempo, e por diferentes lugares, em busca de explicações sobre o passado de Voldemort. Com um final de parar o coração, Harry Potter e o Enigma do Príncipe mais uma vez comprova a habilidade singular de J.K. Rowling em misturar, em um mesmo caldeirão, literatura, mitologia, folclore e religião.

Harry Potter E As Relíquias Da Morte (Capa Dura) – Edição Comemorativa dos 20 Anos da Coleção Harry Potter
J.K Rowling (Autor)
Rocco

Harry Potter está prestes a completar 17 anos, mas, ao contrário das outras vezes, não irá para Hogwarts após seu aniversário. Agora, escoltado por uma verdadeira brigada de bruxos, ele precisa fugir, antes que Voldemort o encontre. Esse ingresso brusco na vida adulta marca o início da aventura do jovem bruxo em Harry Potter e as Relíquias da Morte. No último livro da série, o encontro inevitável com Lord Voldemort não pode mais ser adiado. Harry, no entanto, precisa ganhar tempo para encontrar as Horcruxes que ainda estão faltando. E, pelo caminho, descobrir o que são afinal as Relíquias da Morte e como ele pode usá-las contra o Lorde das Trevas. Seguindo as poucas pistas deixadas por Dumbledore, Harry conta apenas com a ajuda dos leais amigos Rony e Hermione. Juntos, eles percorrem lugares nunca visitados, descobrem histórias nebulosas sobre pessoas queridas e acabam por desvendar mistérios que os incomodavam há muito tempo. Enquanto Harry, Rony e Hermione vagam por diferentes lugares em busca de pistas, J. K. Rowling vai revelando aspectos até então desconhecidos sobre os principais personagens. Em sua última e derradeira aventura, Harry não é exposto apenas a batalhas. Ele precisa superar traições, surpresas e, mais do que nunca, aprender a lidar com os próprios sentimentos. Como em todos os livros da saga, o amor e a amizade são elementos-chave para a trama. Em Harry Potter e as Relíquias da Morte, J.K. Rowling leva o leitor por uma trilha de suspense, com sustos ininterruptos até a última página, quando entrega, por completo, toda a verdade e conclui os passos de herói de Harry Potter na maior saga bruxa de todos os tempos.

Silêncio
Marcelo Moraes Caetano
Editora Jaguatirica

Os 68 poemas do novo livro Silêncio, de Marcelo Moraes Caetano, são prefaciados por Roberto Crema e pelo Professor Antonio Carlos Secchin, que encontram, nesta obra, a sinergia e a interação do autor com os poetas clássicos, compositores e profetas. Roberto Crema anota que o autor é “um artesão peregrino das letras, das melodias, dos insights e da embriaguez da poesia”, um “buscador inquieto, que aprendeu a saber não saber”, premissa para um poeta que se queira invulgar. Já o Professor Secchin observa em Marcelo a faceta de um “poeta nômade” que atravessa não só espaços culturais e geográficos, como transita bem na forma poética, caminhando entre o verso livre e a prática das formas fixas, como nos belos sonetos deste Silêncio. E está certo o autor em empreender conversas e reflexões infindas com aqueles que vieram antes dele, ou mesmo de caminhar por intermédio do mundo e do fazer poético. Se o dom da profecia é, como dito por Paolo Prodi, praticado apenas por quem sabe ler os signos dos tempos, se é o dizer de Deus na voz do povo, a poesia é a arte da palavra e a palavra em estado de arte. Neste sentido, Marcelo, neste livro, mostra que segue as tradições poética e profética, na medida em que ambos, em seus ofícios, precisam escutar o silêncio, o invisível, o inefável, o divino. E é isto a que Marcelo se dedica em toda a sua vida, em todos os seus fazeres e saberes: a escutar o silêncio essencial, a perscrutar o vazio escuro e criador que precede a luz, e a praticar o ato primordial que foi concedido ao Homem pelas divindades: a criação.

Andrizy Bento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s