Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Março (2020)

A DarkSide Books, através de seu novo selo, Macabra, traz duas obras imperdíveis e indispensáveis na estante de qualquer leitor que se preze. A primeira delas é a antologia Vitorianas Macabras que apresenta treze histórias recheadas de suspense e sobrenatural, escritas por mulheres que fizeram a diferença na literatura. Os Darksiders também irão se deliciar com Antologia Macabra, coletânea aterrorizante contendo treze histórias de grandes nomes, como Stephen King e Edgar Allan Poe, exaltando o que há de mais sombrio na literatura universal. A Prisioneira Do Tempo, assinado pela autora best-seller, Kate Morton, é um dos destaques da Arqueiro. A editora ainda traz o segundo volume da trilogia Bevelstoke de outra autora consagrada: a especialista em romances históricos, Julia Quinn. Falando em autoras que são sucesso de vendas, o thriller Verity de Colleen Hoover (Métrica e o Lado Feio do Amor), sai pela Galera. Publicação da Rocco, A Odisseia de Penélope é a releitura contemporânea do clássico Odisseia de Homero, pelas mãos da fantástica Margaret Atwood, que assinou O Conto da Aia. Pegando carona na estreia do filme nos cinemas, a Excelsior aproveita para lançar a novelização do longa Bloodshot, adaptação dos quadrinhos best-seller homônimos da Valiant. A Aleph publica uma nova edição do clássico da literatura cyberpunk Sonhos Elétricos de Philip K. Dick. O box Terríveis Mestres, reunindo obras dos imprescindíveis Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft e Arthur Conan Doyle é uma das grandes novidades da Novo Século. Já o destaque da Suma é A Comunidade Secreta: 2 de Philip Pullman, obra que retoma o mundo de Fronteiras do Universo e se situa vinte anos após os eventos narrados na primeira parte da trilogia O Livro das Sombras. Confira abaixo capas e sinopses dos principais lançamentos literários do mês de março:

Teogonia
Hesíodo
Kotter Editorial

Henry Bugalho é curitibano, formado em Filosofia pela UFPR e especialista em Literatura e História. Com um estilo de vida nômade, já morou em Nova York, Buenos Aires, Perúgia, Madri, Lisboa, Manchester e Alicante. Por dois anos, viajou com sua família e sua cachorrinha pela Europa, morando cada mês em uma cidade diferente. Sua obra reflete esta experiência, com personagens transitando por terras estrangeiras, desenraizados e em busca por uma conexão com o mundo. É autor de romances, contos, novelas, guias de viagem e de um livro de fotografia. Foi editor da Revista SAMIZDAT, que, ao longo de seus 10 anos, revelou grandes talentos literários brasileiros. Desde 2015 apresenta um canal no Youtube, no qual fala de Filosofia, Literatura, Política e assuntos contemporâneos.

Yehunda
Isabelle Wlodarczyk
Saber e Ler

Yehunda nasceu em um campo de algodão, tem a pele escura e um segredo: o amigo Noah, branco, filho do dono dos escravos. Juntos, eles constroem seus sonhos de viver em um mundo.

Deixei Meu Coração em Modo Avião
Fabiola Simões
Faro Editorial

Neste livro, a autora do blog “A Soma de Todos os Afetos” mostra porque arrebata seguidores pelas redes sociais. São mais de 2,5 milhões de fãs no Facebook e mais de 150 mil no Instagram. Com crônicas que abordam os amores e as dores da vida real, Fabíola reflete sobre a importância de levarmos uma vida mais leve, de não se cobrar perfeição, de descansar entre momentos apressados, ser gentil com os outros e consigo mesmo. “Deixei meu coração em modo avião. Hoje não quero criar expectativas, controlar o que não posso, me culpar por aquilo que não depende só de mim.” Através do olhar doce e observador, Fabíola reflete sobre como podemos aprender a esperar o momento de agir, da dor amenizar, da ferida sarar e da saudade deixar de doer. Este livro fala ao coração de uma forma única e especial e faz um convite: deixar o coração se acalmar e esperar que a vida te surpreenda. A AUTORA: Fabíola Simões é mineira de Itajubá, casada há dezoito anos e mãe de um menino. Além do blog, Fabíola se dedica ao seu trabalho como dentista e um canal no YouTube.

Os Sete Loucos
Roberto Arlt
Iluminuras

Poucas vezes, a literatura indagou, de forma tão radical, o fascínio que o crime exerce sobre os sujeitos como possibilidade de redenção social e existencial. Os Sete Loucos e Os Lança-Chamas, romances centrais da obra literária de Roberto Arlt, levam até as últimas consequências essa indagação. Uma galeria espectral de personagens, cujas vidas se afundam na penúria econômica, na miséria moral e nos porões do delito, desfila por estas páginas, que, implacáveis, evitam a denúncia social, a compaixão e o didatismo moralizante. O roubo, o assassinato, a delação, a prostituição, a fraude, a perversão do desejo oferecem-se como as únicas saídas vitais para essas personagens, que, em um compromisso brutal com a verdade, assumem o delito como condição de possibilidade da existência. Erdosain e a coleção de figuras excêntricas que o acompanha ― Barsut, o Astrólogo, Ergueta, O Rufião Melancólico, a Coxa, O Homem que viu a Parteira ― não são simples máquinas delituosas, pelo contrário, cientes da situação em que se encontram, mergulham em uma introspecção, buscando o conhecimento de si mesmos e, sobretudo, a compreensão de um mundo que não cessa de mostrar o cerne arbitrário das regras que o sustentam. Uma lucidez inexorável que, por momentos, beira a crueldade, permeia os diálogos, as confissões, os monólogos ou as fantasias dessas personagens que resistem a qualquer gesto comiserativo. Esse conjunto de raros e excluídos transita pela cartografia exasperada de uma Buenos Aires complexa e febril que, no final dos anos 20, exibe sem pudor o reverso monstruoso das utopias modernas. O contraste domina nessa cena urbana, que, de maneira caótica, justapõe a pobreza das zonas periféricas, o glamour dos bairros nobres, a desolação das áreas fabris e a convulsão das ruas do centro crivadas de inovações tecnológicas que distorcem a promessa futurista do progresso. Crispada e contraditória, a cidade arltiana transforma-se em um laboratório de transgressão para esses desajustados, que não se detêm ante nada na hora de imaginar utopias de mudança social que se fundam na intriga e no crime e que, na sua manifestação extrema, chegam a roçar o delírio. O traço anarquizante dessas ficções não se limita à configuração das personagens e à organização da trama, desloca-se também para um trabalho transgressivo com a língua, que subverte os modos cultos e corretos das tradições literárias dos letrados. A escrita de Arlt inscreve na própria língua a violência com que os fluxos tumultuosos e pouco inteligíveis da cidade moderna atraem e expulsam os sujeitos. Uma forma eficaz e, por isso, rotundamente atual, de evidenciar, como o próprio Arlt dizia, que “entre os ruídos de um edifício social que desmorona inevitavelmente, não é possível pensar em bordados”. – Ana Cecilia Olmos

A Cova Da Minha Irmã
Robert Dugoni
Pausa

Eles achavam que tudo tinha sido enterrado no passado. Até que os ossos apareceram… Tracy Crosswhite passou vinte anos questionando os fatos em torno do desaparecimento de sua irmã, Sarah, e do julgamento por assassinato, logo em seguida. Ela não acredita que Edmund House – um estuprador convicto e o homem acusado pelo assassinato de Sarah – seja o culpado. Motivada pela oportunidade de obter justiça de verdade, Tracy tornou-se uma detetive de homicídios da polícia de Seattle e dedicou sua vida para encontrar assassinos. Quando os restos mortais de Sarah são finalmente descobertos perto da sua cidade natal, Tracy está determinada a obter as respostas que sempre buscou. Enquanto procura pelo verdadeiro assassino, ela desvenda segredos obscuros, guardados há muito tempo, que mudarão para sempre sua relação com o passado – e abrem a porta para um perigo mortal. “Um dos melhores livros que vou ler este ano.”Lisa Gardner, autora de Bem Atrás de Você e A Garota Desaparecida

A Gaiola
José Revueltas
Editora 34

Confinados a uma cela de castigo, à mercê da espera, do poder e do acaso, três prisioneiros seguem os menores movimentos do pavilhão penal, espreitando a chegada providencial das três mulheres que contrabandeiam a droga, “anjo branco e sem rosto”, e os libertam da “sufocante massa de desejo” que os tortura… Obra central da ficção latino americana, A Gaiola foi escrita em 1969, na prisão de Lecumberri, na Cidade do México, onde José Revueltas pagava caro por seu papel de líder do movimento estudantil de 1968. Um dos grandes textos da literatura penitenciária, na vizinhança de Graciliano Ramos e Jean Genet, A Gaiola vai além: brutal e lírica, ela subverte as relações de força e se transforma em uma poderosa parábola sobre a condição humana.

Escritos Corsários
Pier Paolo Pasolini
Editora 34

Último livro organizado pelo autor em vida, Escritos Corsários é uma das principais obras do poeta, cineasta e romancista italiano Pier Paolo Pasolini (1922-1975). Nestes artigos, publicados na imprensa italiana entre 1973 e 1975, Pasolini discute os movimentos estudantis de 1968, a decadência da Igreja Católica, as relações entre governo e máfia na Itália e, especialmente, aquilo que ele chama de Novo Poder ― ou novo fascismo ―, isto é: o advento de uma sociedade de consumo global, que promove um verdadeiro extermínio das formas de vida tradicionais. Considerado em retrospecto, fica claro que Pasolini anteviu o movimento de aceleração do capitalismo que viria a ocorrer nas décadas seguintes, resultando nas graves crises do século XXI.

Minha Queda por Heróis
Susan Elizabeth Phillips
Gutenberg

Um inverno rigoroso. Uma ilha isolada. Um homem. Uma mulher. Fantoches. (Sim, fantoches…). E… Uma casa misteriosa que domina a paisagem. Ele: um recluso escritor de livros terror. Ela: uma atriz frustrada que ganha a vida com teatro de bonecos. Annie Hewitt chega a Peregrine Island no meio de uma tempestade de neve. Está falida e desanimada – mas não a ponto de desistir. Tudo que tem são seus fantoches, seus amados livros de romances e um pouquinho de coragem. Mas ela não está preparada para o que a espera no chalé Moonraker. Nem para o homem que vive em Harp House, o misterioso casarão que assoma sobre o chalé. Quando Annie era adolescente, ele a enganou de tal maneira que ela nunca conseguiu esquecer nem perdoar. E os dois estão agora presos em uma ilha gelada, cujos moradores aparentemente não sabem cuidar da própria vida. Será que ele ainda é o mesmo vilão do passado? Ou teria ele mudado? Este inverno promete ser longo e quente.

Vitorianas Macabras
Charlotte Brontë, H.D. Everett, Rhoda Broughton, Elizabeth Gaskell, Charlotte Riddell , Edith Nesbit, Violet Hunt, Vernon Lee, May Sinclair, Margaret Oliphant, Mary Elizabeth Braddon, Louisa Baldwin, Amelia Edward (Autoras), Marcia Heloisa (Compiladora, Tradutora)
Darkside

Macabra é novo selo da DarkSide® Books pronto para trazer à vida obras assustadoras de autoras e autores transgressores e macabros perdidos no tempo. A Era Vitoriana foi um marco na história da Inglaterra e também no mundo. De um lado, o conservadorismo, a repressão e a subserviência. De outro, as transformações científicas, sociais e tecnológicas. Muito se fala sobre os homens que fizeram história naquela época, mas as mulheres também estavam travando suas próprias batalhas, desafiando convenções em nome da independência e da autonomia. Para enaltecer as mulheres ilustres que prestaram uma contribuição formidável à literatura ― e reparar a injustiça histórica que, por séculos, reverenciou apenas os homens ―, a DarkSide® Books e a Macabra Filmes orgulhosamente apresentam a antologia Vitorianas Macabras. Organizada em parceria com Marcia Heloisa ― doutora em Literatura Comparada na Universidade Federal Fluminense (UFF), também responsável pela tradução e já conhecida pelos darksiders por seu exímio trabalho com Bram Stoker e Edgar Allan Poe, na linha Medo Clássico ―, a coletânea apresenta treze histórias escritas por autoras que, assim como nós, foram cativadas pelo medo e por tudo aquilo que é sobrenatural. Verdadeiramente assustadoras, as histórias desta antologia foram ecoadas em contos e romances publicados nos séculos seguintes, uma proeza e influência que apenas as tramas mais poderosas poderiam conseguir. Aqui, o medo se manifesta de diversas maneiras, todas elas terríveis, impressionantes… E difíceis de esquecer. Não vamos contar todos os segredos, mas aqui vai um gostinho do que está por vir: “A Prece”, de Violet Hunt, é uma espécie de avô de Cemitério Maldito; o perturbador “Onde o Fogo Não se Apaga”, de May Sinclair, reproduz a tensão dos slashers com a profundidade do terror psicológico; “O Conto da Velha Ama”, de Elizabeth Gaskell, e “O Mistério do Elevador”, de Louisa Baldwin, apresentam fantasmas memoráveis; já em “A Janela da Biblioteca”, Margaret Oliphant traz um ensaio melancólico sobre o fantasma da solidão. “A voz dessas autoras é única, suas vidas são o verdadeiro assombro diante da grandeza de suas obras até então esquecidas”, afirma Christiano Menezes, diretor editorial da DarkSide®. “Há muito tempo eu não era tocada por textos tão poderosos”, completa Marcia Heloisa. Vitorianas Macabras reúne ainda histórias de Charlotte Brontë, H.D. Everett, Vernon Lee, Rhoda Broughton, Charlotte Riddell, Edith Nesbit, Amelia B. Edwards e Mary Braddon. Essas mulheres, além de serem figuras ilustres do protagonismo feminino, tinham em comum, é claro, o amor pela literatura: passaram a vida escrevendo, transformaram as palavras em seu ofício e tocaram inúmeros leitores com seus escritos. Agora, chegou a sua vez. Chegou a hora da Colheita Macabra, A Macabra Filmes e a DarkSide® Books selaram um pacto eterno na quarta-feira de cinzas de 2019, promovendo filmes e seus criadores, apresentando com curadoria e critério os novos nomes do cinema de terror nacional e internacional. A DarkSide® Books agora inaugura o selo Macabra dentro de sua casa editorial, trazendo livros e quadrinhos que vão deixar a sua estante mais trevosa. Para dar início à colheita, a DarkSide® apresenta três títulos: Vitorianas Macabras, uma antologia inédita de vozes femininas da Era Vitoriana em treze contos de gelar a espinha, perfeito para fãs de Lady Killers; Medicina Macabra, uma reunião de casos arrepiantes e constrangedores da medicina; e Antologia Macabra, com histórias de horror e mistério escritas por grandes mestres da literatura dark, como Stephen King e Clive Barker. A fazenda está pronta para cultivar o horror em todas as suas formas.

Antologia Macabra
Clive Barker, Stephen King, Jack Ketchum, P. D. Cacek, Stewart O’Nan, Bev Vincent , Brian Keene, Richard Chizma, Kevin Quigley, Ramsey Campbell, Edgar Allan Poe, Brian James Freeman, John Ajvide Lindqvist (Autores), Hans-Åke Lilja (Compilador), Odilon Redon (Ilustrador), Paulo Raviere (Tradutor)
Darkside

O sangue que corre nas veias da DarkSide® tem uma energia peculiar. Leitores que apostam no escuro já sabem que o DNA da Caveira é puro terror. Para honrar o pacto sangrento entre as duas marcas, a DarkSide® apresenta a Macabra, novo selo da DarkSide® Books que mostra a beleza da vida e do sangue em obras ainda mais assustadoras e transgressoras que vão conquistar um lugar especial no coração dos leitores mais macabros. Para homenagear os grandes mestres da literatura dark, a DarkSide® Books e a Macabra Filmes orgulhosamente apresentam a Antologia Macabra. Organizada por Hans-Åke Lilja ― editor do Lilja’s Library, um dos principais sites do mundo dedicados às obras de Stephen King, no ar desde 1996 ―, a coletânea reúne o medo e o horror de treze almas macabras selecionadas a dedo para exaltar o que há de mais sombrio na literatura. Entre histórias assombrosamente originais, os leitores encontrarão o raro “O compressor de ar azul”, do mestre Stephen King ― que nunca apareceu em nenhuma das antologias do autor e, antes da publicação desta coletânea, não era impressa em lugar algum desde 1981 ―, “O fim de tudo”, um momento de noir assustador de Brian Keene, “A dança do cemitério”, de Richard Chizmar, amigo e parceiro criativo de Stephen King, que mostra um homem caindo na loucura e obsessão, entre outros fragmentos tenebrosos. Banquete cheio para os leitores famintos por histórias arrepiantes, Antologia Macabra revela também mestres cultuados mundo afora, como Clive Barker, Jack Ketchum, Ben Vincent, Stewart O’Nan, Kevin Quigley, Ramsey Campbell, Brian James Freeman e John Ajvide Lindqvist ― autor do incrível romance Deixe Ela Entrar ―, e com ilustrações do francês Odilon Redon, um dos mais importantes do simbolismo, que transpôs em tela seus sonhos e pesadelos. O primeiro volume desta antologia chega pelo selo Macabra, resultado de um pacto de sangue entre a DarkSide® Books e a Macabra Filmes com o compromisso de trazer à vida livros e quadrinhos de horror, sempre com a qualidade já conhecida das edições da Caveira ― puro terror, 100% macabra.

A Prisioneira Do Tempo
Kate Morton
Arqueiro

KATE MORTON JÁ VENDEU MAIS DE 11 MILHÕES DE LIVROS NO MUNDO.

Best-seller instantâneo do The New York Times.

“Um romance histórico ambicioso, envolvente e cheio de mistério, com um maravilhoso elenco de personagens. O melhor livro de Kate Morton.”Kristin Hannah, autora de O Rouxinol.

Ninguém se lembra do meu verdadeiro nome. Ninguém sabe a verdade sobre aquele verão. No verão de 1862, um grupo de jovens artistas liderado pelo talentoso e passional Edward Radcliffe segue para Birchwood Manor, uma bela casa de campo às margens do rio Tâmisa. O plano é passarem um mês isolados em uma aura de inspiração e criatividade. No entanto, ao fim do verão, uma mulher está morta e outra desaparecida, uma herança inestimável se perdeu, e a vida de Edward está arruinada. Mais de 150 anos depois, Elodie Winslow, uma arquivista de Londres, descobre uma bolsa de couro contendo dois itens aparentemente sem conexão: a fotografia de uma mulher de aparência impressionante, vestida em roupas vitorianas, e o caderno de desenho de um artista, que inclui o rascunho de uma grande casa à beira de um rio. Por que Birchwood Manor parece tão familiar a Elodie? E quem é a linda mulher na fotografia? Será possível, depois de tanto tempo, desvendar seus segredos? Narrada por diversos personagens ao longo das décadas, A Prisioneira do Tempo é uma história de assassinato, mistério e roubo, de arte, amor e perda. Entremeando cada página, há a voz de uma mulher que teve seu nome apagado da história, mas que assistiu a tudo de perto e mal pode esperar pela chance de contar sua versão dos fatos.

Oz
L. Frank Baum
Mojo

Voltar para casa é um desejo latente de todos nós. Em O Magnífico Mágico de Oz, Dorothy e seus amigos – o Espantalho, o Lenhador de Lata e o Leão Covarde – vagam pela estrada de ladrilhos amarelos em busca do que “acham” que precisam. É uma das obras mais importantes do século XX e fonte de inspiração para diversas outras obras, como a adaptação de 1939 para o cinema e o musical Wicked. O universo de Oz se desdobrou em outras dezenas de livros desconhecidos no Brasil. Por isso, a edição do CLLE traz o raro segundo volume da série: A Maravilhosa Terra de Oz. A coleção MUNDOS EXTRAORDINÁRIOS contém: As Aventuras de Mowgli, o Menino Criado Por Lobos; Peter Pan & Wendy – Piratas, Índios e Crianças na Terra do Nunca; Oz – o Magnífico Mágico e a Maravilhosa Terra de Oz; As Aventuras de Alice – No País das Maravilhas e Através do Espelho. Um livro do Clube do Livro para Leitores Extraordinários tem capa dura, texto integral, trailer ilustrado de 16 páginas impresso em cores especiais e é uma delícia de ler! Nova tradução.

As Aventuras de Alice no País das Maravilhas e Através do Espelho
Lewis Carroll
Mojo

Antes de Alice, os livros infantis eram meras lições de moral. Lewis Carroll mudou isso ao criar uma obra que incita a imaginação e provoca o pensamento crítico, ao reverter o papel de crianças e adultos. Alice viaja para um mundo onde os animais falam e objetos ganham vida, mas é tudo confuso e ilógico, e ela tem de ser a voz da razão. Publicado pela primeira vez em 1865, adaptado pela Disney para o cinema em 1951. Mais um clássico que o Instituto Mojo libera gratuitamente. Alice talvez seja a obra mais interpretada por psicólogos e psiquiatras ao redor do mundo, e sem dúvida é uma das que mais serviu de inspiração para tatuagens das gerações X, Y e Z. Segundo Martin Gardner, um dos maiores estudiosos sobre Lewis Carroll, “Como Homero, a Bíblia e todas as outras grandes obras de fantasia, os livros de Alice se prestam facilmente a qualquer tipo de interpretação simbólica – política, metafísica ou freudiana”. Essa é uma das mais divertidas descobertas quando lemos este livro: o leitor classifica por conta própria as impressões e simbologias que enxerga nos mundos criado por Carroll, cada um de nós tem seu próprio país das maravilhas.

O Livro da Selva
Rudyard Kipling
Mojo

Além de três histórias de Mowgli, outros quatro contos incríveis! Um jovem mangusto salva uma família inteira de um casal de najas; uma foca branca busca a praia perfeita, onde nenhum matador de focas jamais chegaria; o caçula de uma família domadora de elefantes é a única pessoa a participar da misteriosa dança noturna dos elefantes; e os animais do exército britânico discutem as batalhas sem sentido dos homens brancos. Você acabou de aprender a andar, está perdido na selva com um tigre faminto querendo mastigar os ossos do seu corpo. Por sorte, uma família de lobos acha você engraçado e o adota. Um ser humano pode viver entre os animais? Como essa relação pode dar certo? Depois que você vira um “animal”, é possível voltar a conviver com pessoas? A vida de Mowgli, a “pequena rã”, é contada por Rudyard Kipling de um modo comovente e cheio de aventuras.

Peter Pan & Wendy
J. M. Barrie
Mojo

Todo mundo, ao menos uma vez, já sonhou em ser eternamente criança. Na prática, não é tão simples assim, quando você tem que conviver com piratas, índios e feras te perseguindo, e muitas vezes o jantar é apenas faz-de-conta. Wendy e seus irmãos sentem isso na pele, quando Peter Pan os leva para a Terra do Nunca, lar dos Garotos Perdidos, Tinker Bell e Capitão Hook. Obra-prima de J.M. Barrie, adaptada pela Disney em 1953, nos apresenta um universo que ainda hoje inspira crianças e adultos. Mais um clássico que agora está livre e gratuito para todos. Conheça a obra: A literatura infantil se divide entre antes e depois do personagem Peter Pan. Ele sintetiza e realiza o sonho que todos nós, em algum momento da vida, já acalentamos. Viver em um mundo mágico, onde o tempo não passa e as aventuras e brincadeiras nunca terminam. “Todas as crianças crescem, menos uma” – Peter Pan, o garoto mágico que cada um traz um pouco dentro de si, vem buscar Wendy e seus irmãos para a maior aventura de suas vidas. Vão para a Terra do Nunca, um lugar que existe na imaginação de toda criança: índios, piratas, sereias, feras e fadas, tudo é diversão e perigo ao mesmo tempo. A obra-prima de um autor que não criou um livro, mas um vasto universo que continua a ser explorado.

A Bela e a Fera
Jeanne-Marie Leprince de Beaumont
Global Editora

Ao voltar de uma longa viagem, um pai colhe uma rosa para a filha nos jardins de um palácio, mas é surpreendido pela Fera, que ameaça matá-lo. Caso uma das filhas queira trocar de lugar com o pai, sua vida será poupada, e é assim que Bela, sua filha mais bondosa e bonita, se oferece para morar no palácio, embora morrendo de medo da Fera. A Fera, saberemos no final, é um príncipe que foi transformado em animal por uma fada má e que só se livrará dessa condição se casar com uma moça que se encante por sua bondade de caráter. Ao longo da história, a Fera faz de tudo para agradar a Bela, mas esta deixa claro que não irá atender aos seus pedidos para se casar. Porém, quando a Fera está morrendo e Bela descobre que o que sente é amor, a magia acontece e o príncipe volta à sua condição humana. Originalmente escrita para adultos, por Gabrielle Villeneuve em 1740, esta história foi alguns anos depois adaptada para crianças por Madame Jeanne-Marie de Beaumont. Trata-se de um conto de fadas clássico, de grande delicadeza, que foi adaptado pela escritora e especialista em literatura infantil, Laura Sandroni, para a Coleção Clássicos Universais, da Global Editora.

Os irmãos O’Kelly: Liam: 3
Simone O. Marques
Ler Editorial

Liam O’Kelly era um guerreiro irlandês valente, mas não conseguiu impedir o massacre de sua tribo. Em seu último suspiro, sua mãe pede para que ele encontre Rose, sua irmã, que conseguiu fugir, e a proteja. Entretanto, Liam é atingido durante a batalha e levado para longe de suas terras. Ao despertar próximo às ruínas de uma igreja, Liam descobre que a jovem Mabel, supostamente, salvou sua vida. Ela se parece com uma fada, mas esconde um segredo que pode ser fatal.

Despertar os Leões
Ayelet Gundar-Goshen (Autor), Paulo Geiger (Tradutor), Elisa (Arte de Capa), Randow (Arte de Capa)
Todavia

O neurocirurgião Eitan Green parece ter a vida perfeita. Ele ama a esposa, Liat, uma policial. Ele adora seus dois meninos. Transferido com relutância de Tel Aviv para a poeirenta Beer Sheva, à beira do deserto, o médico compra um carro novo ― um utilitário ― para transitar pelas estradas tomadas pela areia. Certa ocasião, no entanto, quando retornava de seu cansativo turno no hospital, ele atropela alguém e foge do local. A vítima é um imigrante africano que, como muitos, está buscando uma nova vida em Israel. Quando a viúva da vítima bate à porta de Eitan no dia seguinte, portando sua carteira e afirmando saber tudo o que aconteceu, o médico descobre que o preço dela pelo silêncio não é dinheiro. É algo totalmente diferente e aterrador. Algo que irá solapar a sua existência segura e o conduzirá a um mundo de segredos e mentiras que ele nunca poderia ter imaginado. Enquanto a investigação acerca do atropelamento é confiada à sua própria esposa, o médico é arrastado para a voragem de uma vida dupla, em um contexto de tráfico, violência e desejos vergonhosos. Mas também passa a conhecer outro lado de seu país: a existência de toda uma população de imigrantes da África que chega a Israel com a esperança de encontrar um novo capítulo para suas vidas depois de enfrentarem a fome, a guerra e o preconceito. Um dos nomes mais importantes da literatura israelense contemporânea, Ayelet Gundar-Goshen constrói um suspense humanitário sobre dilemas morais que faz o leitor mergulhar em um mundo desconhecido e palpitante.

Verity
Colleen Hoover
Galera

O amor é capaz de superar a pior das verdades? Verity Crawford é a autora best-seller por trás de uma série de sucesso. Ela está no auge de sua carreira, aclamada pela crítica e pelo público, no entanto, um súbito e terrível acidente acaba interrompendo suas atividades, deixando-a sem condições de concluir a história… E é nessa complexa circunstância que surge Lowen Ashleigh, uma escritora à beira da falência convidada a escrever, sob um pseudônimo, os três livros restantes da já consolidada série. Para que consiga entender melhor o processo criativo de Verity com relação aos livros publicados e, ainda, tentar descobrir seus possíveis planos para os próximos, Lowen decide passar alguns dias na casa dos Crawford, imersa no caótico escritório de Verity – e, lá, encontra uma espécie de autobiografia na qual a escritora narra os fatos acontecidos desde o dia em que conhece Jeremy, seu marido, até os instantes imediatamente anteriores a seu acidente – incluindo sua perspectiva sobre as tragédias ocorridas às filhas do casal. Quanto mais o tempo passa, mais Lowen se percebe envolvida em uma confusa rede de mentiras e segredos, e, lentamente, adquire sua própria posição no jogo psicológico que rodeia aquela casa. Emocional e fisicamente atraída por Jeremy, ela precisa decidir: expor uma versão que nem ele conhece sobre a própria esposa ou manter o sigilo dos escritos de Verity? “Distintamente sinistro, com um verdadeiro toque de [Colleen] Hoover. Estive esperando um thriller como esse por anos.” – Tarryn Fisher, coautora da série Nunca Jamais.

Se Você Me Entende, Por Favor Me Explica
Pedro Salomão
Outro Planeta

Da mesma forma como uma pessoa nunca entra em um mesmo rio duas vezes, você nunca mais lerá esse livro da mesma forma como está lendo agora. Da próxima vez que vier visitar essas páginas, você será outra pessoa, em outro contexto, e as poesias farão sentido de um jeito novo para você. Portanto, essa é a primeira e última vez que irá ler esse livro, por mais que o leia outra dezena de vezes. Sinta-se livre para sentir o que quiser enquanto lê. É a sua história que dará sentido a cada palavra escrita aqui. E conforme sua história vai dando significado para a poesia, a poesia vai ressignificando sua história. É uma honra ter você aqui e poder fazer parte de quem você está se tornando.

Maya Angelou – Poesia Completa
Maya Angelou
Astral Cultural

Através de sua ilustre carreira na literatura, Maya Angelou presenteou, curou e inspirou o mundo com suas palavras. Agora, a beleza e espírito dessas palavras vivem nesta nova e completa coleção de poesia que reflete e honra a vida notável da escritora. Todas as suas frases poéticas, todos os seus versos comoventes podem ser encontrados nas páginas deste volume – de suas reflexões sobre a vida afro-americana à celebração revolucionária da condição da mulher negra. Atemporal, essa compilação definitiva aquecerá os corações dos mais ardentes admiradores da Maya Angelou assim como introduzirá novos leitores à poeta legendária, ativista e professora – uma mulher extraordinária para a atualidade.

Felicidade Clandestina (Edição Comemorativa)
Clarice Lispector
Rocco

Desde o início, Clarice Lispector recusou a escravidão dos gêneros. Escrevia por fragmentos que depois montava. Escrevia aos arrancos, transcrevendo um ditado interior. As estruturas clássicas não faziam parte desse ditado. Seu olhar passava por cima das regras, quase voraz em sua busca da essência. Este livro bem o demonstra. É composto por contos escritos em épocas diversas da vida de Clarice. E por não contos. Muitos deles – como “Felicidade Clandestina”, que dá título ao livro – foram publicados no Caderno B do Jornal do Brasil. Como crônicas. Que também não eram crônicas. Convidada, em 1967, para escrever no JB, Clarice deparou-se com um fazer literário novo. Logo, negou os padrões vigentes: “Vamos falar a verdade: isto aqui não é crônica coisa nenhuma. Isto é apenas. Não entra em gêneros. Gêneros não me interessam mais.” E “isto” era a mais pura e rica literatura. Nos contos / crônicas / textos – que eu, como subeditora do Caderno recebia semanalmente, Clarice se expunha em recordações familiares e de infância. Sua irmã, Tania, ainda se lembra da menina, filha de livreiro, que encontramos em “Felicidade Clandestina”, atormentando Clarice por conta do empréstimo de um livro. O professor de “Os Desastres de Sofia” realmente percebeu o tesouro que Clarice menina escondia. E “Come, Meu Filho” é um claro diálogo entre a autora e seu filho. Nada diferencia esses contos, escritos para serem crônicas, de outros contos que aqui estão, escritos para serem contos e publicados anteriormente no livro A Legião Estrangeira. Seus textos podem ser desmontados, desfeitos em pedaços – até mesmo diferentes dos fragmentos originais – sem que se perca sua intensidade. Cada palavra ou frase dessa escritora sem igual origina-se em camadas tão fundas do ser, que traz consigo mais do que um testemunho, a própria voltagem da vida. ― MARINA COLASANTI, Jornalista e escritora. Prêmio Jabuti para Eu Sei, Mas Não Devia e Rota de Colisão.

A Odisseia de Penélope
Margaret Atwood
Rocco

“Agora que todos os outros perderam o fôlego, é minha vez de fazer meu relato”. Na Odisseia de Homero, Penélope – mulher de Odisseu e prima da bela Helena de Troia – é retratada como a esposa fiel por excelência, e sua história é tida como um exemplo de fidelidade e da obediência feminina ao longo dos tempos. Deixada sozinha por vinte anos, quando Odisseu sai para lutar na Guerra de Troia após o sequestro de Helena, Penélope consegue, em meio a rumores escandalosos, assegurar o reino de Ítaca, criar Telêmaco, seu filho rebelde, e manter distância de mais de cem pretendentes. Quando Odisseu finalmente chega em casa, após sobreviver aos desafios do mar Egeu, vencer monstros horripilantes e dormir com deusas, ele mata todos os pretendentes de sua esposa – e, de maneira ainda mais espantosa, doze de suas criadas. Em uma surpreendente releitura contemporânea de uma das maiores obras da Antiguidade, Margaret Atwood decide dar voz a Penélope e suas doze criadas enforcadas para responder duas grandes perguntas: Qual o real motivo dos enforcamentos? E o que Penélope estava realmente planejando? Ao reimaginar o episódio, a autora se utilizou de várias fontes – já que a Odisseia de Homero não é a única versão da história – para criar uma obra ao mesmo tempo inteligente, bem-humorada e reflexiva. Em A Odisseia de Penélope, Atwood subverte a narrativa original e concede a sua heroína uma nova vida e realidade, e se propõe a dar uma resposta a um antigo mistério.

Vazio Perfeito
Liezi
Mantra

Fundamental para a compreensão do pensamento oriental, Vazio Perfeito é uma obra basilar do taoismo. Traz histórias filosóficas e poéticas carregadas de ambiguidade, humor e ironia. Liezi aborda a plenitude do vazio, a viagem interior, o autodomínio e a autossuficiência, a complementaridade da vida e da morte, a meditação no silêncio, a inconstância dos eventos da vida, o desapego ao mundano, a morte e a felicidade em nossa existência e outros tópicos centrais do Dao. As histórias de Vazio Perfeito não visam à lógica. Como os koans do budismo chinês, levam à reflexão por meio de seus simbolismos. Esta obra, em edição bilíngue, é indicada a quem busca conhecer a essência da filoso¬fia oriental, saber mais sobre a cultura e a língua chinesa ou ter mais inspiração em seu dia a dia. Edição Bilíngue – Português /Chinês

Suprema
Danilo Morales
Talentos da Literatura Brasileira

ELEITO UM DOS MELHORES LIVROS BRASILEIROS DE HORROR DA DÉCADA PELO RENOMADO SITE BIBLIOTECA DO TERROR. Nina parte da pequena cidade em que morava em busca de uma vida melhor. Tudo o que ela mais deseja é deixar para trás as terríveis lembranças de quando fora brutalmente violentada. As coisas não são fáceis e sobreviver é uma luta, mas ela vê em Angel, uma jovem imponente e determinada, a companhia e o apoio de que tanto necessita. A nova companheira a introduz no universo do ocultismo, e Nina, fascinada diante de um novo horizonte de bruxarias, feitiços e rituais, demonstra uma vocação acima da média. Mas o passado bate novamente à sua porta. O desejo de vingança leva a jovem ao lado obscuro da magia. Totalmente sem controle, ela adentra um mundo diabólico de pesadelos, ruína e destruição. Um mundo de horror supremo. “Terminei a leitura de Suprema. Espero conseguir dormir essa noite. Amém!” Amanda Azevedo | Lendo e Comentando.

Dois Beijos Para Maddy: Uma História Real de Amor e Perda
Matthew Logelin
Rocco

Um livro de memórias corajoso e surpreendentemente honesto sobre o primeiro ano da vida de um pai após o nascimento da filha e a morte da esposa. “Eu prometi a Liz que continuaria aprendendo a seguir em frente. Por ela. Por mim. Por Madeline”. Matt e Liz Logelin eram namorados desde o ensino médio. Depois de anos de namoro a distância, o casal enfim foi morar em Los Angeles, dando início a uma vida plena e feliz: um casamento perfeito, uma casa nova maravilhosa e uma filha a caminho. A gravidez de Liz foi complicada, mas Madeline nasceu, linda e saudável, em 24 de março de 2008. Apenas vinte e sete horas depois, Liz sofre uma embolia pulmonar e morre instantaneamente, sem nunca poder segurar a filha cuja chegada ela esperava com tanta ansiedade. Diante do sofrimento devastador e das responsabilidades de ser um pai jovem e solteiro, Matt lidou com a situação retornando ao pequeno blog que havia criado para manter amigos e familiares atualizados sobre a gravidez de Liz – um espaço onde ele pôde compartilhar com mais de um milhão de leitores curiosos um pouco do dia a dia de duas vidas ligadas pela perda e pelo amor. Há mais na história de Matt do que apenas o desafio de criar uma filha sozinho. Ao ser surpreendido pelo apoio e pela generosidade de desconhecidos que em pouco tempo se tornaram amigos, ele passa a se dedicar a ajudar outras pessoas em situações difíceis, buscando e inspirando aqueles que enfrentam perdas ou adversidades. Uma história emocionante e comovente, permeada por lembranças de um namoro e casamento felizes e passagens bem-humoradas das desventuras de um pai de primeira viagem, Dois Beijos Para Maddy tem muito a oferecer a qualquer leitor que tenha experimentado a perda e procurado a coragem de viver novamente.

Bloodshot
Gavin Smith, Vin Diesel
Excelsior

Novelização oficial de Bloodshot, filme baseado nos quadrinhos best-seller homônimos da Valiant. Dos mesmos produtores de Velozes e Furiosos e estrelado por Vin Diesel, Guy Pearce, Sam Heughan e Eiza Gonzalez. Depois que ele e sua esposa são assassinados, Ray Garrison é ressuscitado pela equipe de cientistas da Rising Spirit Technologies. Aprimorado pelo uso da nanotecnologia, o ex-soldado se torna uma máquina de matar – conhecida como Bloodshot. A tecnologia corre em suas veias, aumentando sua força, seus reflexos e até sua capacidade de autocura. Ele é diferente de tudo o que já vimos antes e tem um verdadeiro exército dentro de seu corpo. Porém, quando finalmente recupera a memória e descobre seu passado, o maior avanço humano de nossa era foge em busca de um único objetivo: vingança!

Apátridas
Alejandro Chacoff
Companhia das Letras

Uma narrativa de personagens sem lugar no mundo, uma reflexão poderosa sobre família, desterro, violência e dinheiro, no coração de um Brasil retratado de forma nova e surpreendente. Depois de passar a infância na Filadélfia, o narrador de Apátridas retorna com sua mãe e irmã ao Centro-Oeste brasileiro. Em uma pequena cidade do Mato Grosso, ele vai travar contato com sua família materna, principalmente seu avô, José, que fez fortuna como dono de cartório. A sombra do pai ausente, um homem de moral duvidosa, parece estar em tudo. À medida que acompanhamos as histórias do clã, somos enredados em uma prosa que vai e vem no tempo, sem nunca perder a intensidade. Nesse primeiro romance, Alejandro Chacoff não idealiza; ao contrário, desdramatiza. Em um Brasil violento e indiferente, cujo vazio das planícies é também o vazio histórico e de narrativas, ele busca os matizes da memória e constrói um romance inesquecível.

“Este é, sobretudo, um livro sobre um pai e um país. Ambos pouco confiáveis, ambos incapazes de cumprir suas promessas. O primeiro é o pai do narrador; o segundo, o Brasil do fim dos anos 1980 e início dos 1990. […] Desse ‘vazio imenso’, Alejandro Chacoff extrai o ouro de seu livro de estreia. A condição de quem se vê jogado na periferia do mundo o comove; os sonhos e as frustrações de seus personagens são também os dele, o que é outro modo de dizer que não há uma linha escrita sem empatia.” ― João Moreira Salles

“A riqueza da imaginação é o solvente que nos permite elevar a memória pessoal a um panorama vívido, e poucos livros recentes demonstram isso como esse romance de estreia de Alejandro Chacoff. Ao mesmo tempo crônica familiar e testemunho das engrenagens profundas de um país colonizado e condenado ao atraso, no qual o dinheiro e a burocracia são a matéria-prima das relações afetivas e sociais, Apátridas nos arrasta em seu encadeamento de detalhes nítidos e sugestivos.” ― Daniel Galera

Viagem Pindorâmica Pelo Taramelar Poético
Alexandre Silva Mourão
Ler Editorial

Faça o check-in para esta viagem, onde o veículo é a imaginação. A leitura deste livro pode fazer você se bilocar (estar em dois lugares ao mesmo tempo) sem sair de onde está, além de despertar sentimentos variados. Mostra, também, o poder que as palavras têm de transformar a realidade em sonho e vice-versa. Mas seu objetivo é levar você a viajar um pouco pela literatura poética, de modo a sair do cotidiano, do trivial do dia a dia, de forma prazerosa. Que seja uma boa leitura, de boas lembranças. Que te faça sorrir, rir e se emocionar. Coloquem os cintos e boa viagem!

O Pacto
Michelle Richmond
Globo Livros

Até onde você iria para proteger o seu casamento? Alice e Jake são recém-casados com um futuro promissor. O elo que os une parece se fortalecer ainda mais quando recebem um convite para se juntar ao Pacto, um misterioso e glamouroso grupo de casais que, por meio de um código de regras e reuniões sociais, promete manter os relacionamentos saudáveis e duradouros. O que a princípio parece ser o ambiente perfeito para o início da vida a dois, logo se mostra uma experiência perigosa, onde nada é exatamente o que parece e que fará com que ambos questionem o verdadeiro significado do “felizes para sempre”.

O Que Acontece em Londres
Julia Quinn
Arqueiro

SEGUNDO VOLUME DA TRILOGIA BEVELSTOKE.

Julia Quinn já vendeu mais 1 milhão de livros pela Editora Arqueiro. Quando Olivia Bevelstoke ouve o boato de que Harry Valentine, seu novo vizinho, matou a própria noiva, não acredita nisso nem por um segundo. Ainda assim, só por via das dúvidas, decide espioná-lo. Arruma um lugar perto da janela do quarto, se esconde atrás da cortina e passa a observá-lo. Logo descobre um homem muito intrigante, que definitivamente está tramando algo. Sir Harry Valentine trabalha para o gabinete mais sem graça do Departamento de Guerra inglês, traduzindo documentos vitais para a segurança nacional. Apesar de não atuar como espião, passou por todo o treinamento para ser um. Por isso, percebe imediatamente que sua linda vizinha está seguindo seus passos pela janela. Assim que chega à conclusão de que ela é apenas uma debutante bisbilhoteira, Harry descobre que a jovem está sendo cortejada por um príncipe estrangeiro suspeito de conspirar contra a Inglaterra. Agora, ele precisa espioná-la oficialmente, e logo fica claro que o maior risco que Olivia representa é fazê-lo se apaixonar…

A Honra das Terras Altas: 2
Hannah Howell
Editora Arqueiro

SEGUNDO VOLUME DA SÉRIE OS MURRAYS.

A honra das Terras Altas nos conduz pelas luxuriantes belezas naturais da França e da Escócia do século XV, enquanto um corajoso cavaleiro coloca a própria segurança em risco para salvar uma misteriosa desconhecida. Há sete anos atuando como mercenário na França, sir Nigel Murray se entrega cada vez mais a uma rotina perigosa de bebida, mulheres e batalhas. Mas uma jovem fugitiva vai causar uma verdadeira reviravolta em sua vida. Disfarçada de homem, Gisele DeVeau precisa escapar a qualquer custo dos capangas da família de seu falecido marido – um sujeito brutal que cometeu toda espécie de violência contra ela antes de ser encontrado morto em circunstâncias suspeitas. Todos acham que ela o matou. Ao cruzar o caminho de Nigel, ele promete protegê-la e levá-la em segurança para sua propriedade na Escócia. Nessa fuga implacável, com hordas de inimigos em seu encalço, a única coisa que os dois não esperavam era ter que enfrentar também a paixão avassaladora que nasce entre eles. Nesta história repleta de sensualidade, a lealdade de um guerreiro e a determinação de uma jovem serão postos à prova enquanto eles lutam pela sobrevivência e tentam vencer os traumas do passado para viver um grande amor.

Não Pararei de Gritar: Poemas Reunidos
Carlos de Assumpção
Companhia das Letras

Ao perfazer um arco de quase setenta anos de produção, Não Pararei de Gritar reúne poemas que tematizam, com coragem e urgência, a desigualdade racial brasileira. “Senhores/ O sangue dos meus avós/ Que corre nas minhas veias/ São gritos de rebeldia”, declara Carlos de Assumpção no emblemático “Protesto”. Escrito em 1956, o poema causou furor quando foi apresentado ao público pela primeira vez, na Associação Cultural do Negro, em São Paulo. Seus versos reescrevem a diáspora africana e denunciam um Brasil que traz na sua origem as marcas da injustiça, da desigualdade e da discriminação social. Décadas mais tarde, sua atualidade se mantém. Com dor e revolta, mas também com vitalidade e esperança na construção de um país mais justo, a poesia de Carlos de Assumpção é um testemunho poderoso sobre os tempos em que vivemos, um símbolo de luta contra o silenciamento e a opressão histórica. Esta edição conta com organização e posfácio de Alberto Pucheu.

“Esta publicação mostra a potência de seguir os caminhos trilhados por quem já rompeu muitos silêncios. Além de um presente para as próximas gerações, é canção para sonhar liberdades.” ― Djamila Ribeiro

Mortina e o Amigo Fantasma: 3
Barbara Cantini
Companhia das Letrinhas

Em sua terceira aventura, Mortina enfrentará grandes desafios para ajudar o simpático fantasminha que um dia surge no Palacete Decrépito. Quem será que é o menino-fantasma que fica tentando entrar no Palacete Decrépito logo antes da festa de Ano-Morto? Quando Mortina o encontra, o grande mistério continua, porque o próprio fantasminha não lembra de seu nome e não sabe quem é! E isso o coloca em risco de desaparecer para sempre… A menina-zumbi vai fazer de tudo para ajudar o seu novo amigo e descobrir sua história. Não vai ser fácil, mas Mortina gosta muito de desafios ― principalmente desses um tanto sobrenaturais. Nesse terceiro volume, um novo personagem passa a fazer parte do universo encantador ― e um tantinho assustador ― de Mortina. Este livro é indicado para crianças a partir de 6 anos.

Rainhas de Fennbirn
Kendare Blake
Globo Alt

Conheça os segredos da Ilha de Fennbirn em dois contos inéditos do universo de Três Coroas Negras. No primeiro conto, A Rainha do Oráculo, somos apresentados ao reinado de Elsabet, um período repleto de ataques de loucura, tirania e mortes arbitrárias. Depois dela, todas as rainhas com a dádiva da visão foram afogadas no nascimento, extinguindo qualquer chance de perpetuar a linhagem. Conheça a verdadeira história por trás da rainha que podia prever o futuro, mas não a sua própria queda. Já em As Jovens Rainhas, acompanhamos o passado de Mirabella, Arsinoe e Katharine. Antes de virarem inimigas, as rainhas trigêmeas viviam em harmonia, e a ideia de terem de batalhar entre si até a morte sequer era uma possibilidade. Até elas serem separadas. Descubra os acontecimentos que levaram a uma vida de rivalidade e ódio na realeza.

Vamos Comprar um Poeta
Afonso Cruz
Dublinense

Em uma sociedade dominada pelo materialismo, as famílias têm artistas em vez de animais de estimação. É nesse cenário, onde cada espaço tem um patrocinador, cada passo é medido com exatidão, e até a troca dos afetos é contabilizada, que uma menina pede ao pai um poeta. Com humor e leveza, Afonso Cruz conduz uma narrativa para fazer pensar sobre o utilitarismo e o papel da arte em um mundo onde tudo precisa ser mensurado.

Sonhos Elétricos
Philip K. Dick, Daniel Lühmann
Editora Aleph

Philip K. Dick publicou seus primeiros contos no início dos anos 1950, e neles já se notava a natureza inquietante de toda a sua obra. Ao questionar incessantemente o que está por trás das aparências e o que nos define como seres humanos, Dick sobrepôs realidades, subverteu o tempo, vislumbrou autômatos e mundos extraterrestres enquanto mergulhava a fundo na mente humana. Dessa perturbadora mistura nasceram textos incríveis e cheios complexidade, que há décadas vêm inspirando o universo do cinema e da tevê. Esta edição reúne os dez contos adaptados para a série de TV, Electric Dreams, apresentados pelo roteirista de cada um dos episódios. Os textos abordam realidades paralelas e distópicas, a relação entre homens e máquinas além de outras temáticas ao gosto desse mestre da ficção científica. Um reflexo de sua maneira muito pessoal e desconfiada de ver o mundo.

Ato Poético: Poemas Pela Democracia
Luis Maffei, Marcia Tiburi
Oficina Raquel

Manifestação antifascista com cerca de 70 escritoras(es) na forma de livro de poemas.

O Conde de Monte Cristo: Edição Comentada e Ilustrada (Clássicos Zahar)
Alexandre Dumas
Zahar

Nova edição da obra consagrada de Alexandre Dumas em dois volumes reunidos em luxuoso Box. O Conde de Monte Cristo é um clássico da literatura mundial que mexe com a imaginação e a sensibilidade de milhões de leitores há mais de 170 anos. E essa obra-prima está de volta na edição brasileira que merece, trazendo o texto integral na tradução viva que venceu o prêmio Jabuti, 170 gravuras de época e mais de 500 notas explicativas, além de uma magnífica apresentação e cronologia de vida e obra do autor. A edição impressa é composta de dois volumes com acabamento em capa dura em um lindo box. Manipulando com maestria os cordões da trama, Alexandre Dumas prende o leitor em uma teia de peripécias de tirar o fôlego – traições, denúncias anônimas, tesouros fabulosos, envenenamentos e vinganças – e apresenta uma galeria de personagens que retrata o espectro social de um mundo em transformação. Um livro maravilhoso em uma edição imperdível.

A Obscena Senhora D
Hilda Hilst
Companhia das Letras

Ao embaralhar os gêneros em uma prosa densa e radical, A Obscena Senhora D é uma novela sobre o luto com fartas doses de dramaturgia, filosofia e poesia. Aos sessenta anos, após a morte do marido, Hillé ― a senhora D ― percebe que está absolutamente sozinha. Em seu luto, a protagonista decide viver no vão da escada de casa e experimentar o mais profundo isolamento. Em um intenso fluxo de consciência, ela se vê às voltas com lembranças do passado, ao mesmo tempo em que se pergunta sobre o verdadeiro sentido da vida. Lançado originalmente em 1982, A Obscena Senhora D é uma das obras mais cultuadas e transgressoras de Hilda Hilst. Incluída em Da Prosa, a edição conta com posfácio inédito da professora Eliane Robert Moraes.

Virgin River – Um Lugar Para Sonhar
Robyn Carr
Harlequin

“Mel sentia que estava sem forças, em frangalhos. E isso não se comparava à solidão da sua cama vazia. Os amigos tinham implorado a ela que ignorasse o impulso de fugir para uma cidade desconhecida, mas nem os grupos de apoio nem a terapia a dissuadiram da ideia. Frequentara mais a igreja nos últimos nove meses do que nos dez anos anteriores, mas nada ajudara. O único alento era sua fantasia de fugir para algum vilarejo no interior, onde os moradores não precisavam trancar as portas e a única coisa a temer era a possibilidade de um cervo comer as plantas do jardim. Um lugar que parecesse um cantinho do paraíso. Agora, olhando as fotos à luz pálida do interior do carro, Mel se deu conta do quanto fora ridícula. Recostou-se no banco e fechou os olhos. Um rosto muito familiar surgiu em sua mente: Mark. Às vezes, a vontade de vê-lo mais uma vez, de falar com ele só por um momento, era esmagadora. Não se tratava apenas da dor, mas da simples falta que ele fazia; sentia saudade de ter um companheiro em quem se apoiar, de esperar sua chegada e de acordar ao seu lado. — O que existe entre nós é para sempre. O ‘para sempre’ tinha durado quatro anos.”

Eu Destilo Melanina e Mel
Upile Chisala
Casa dos Mundos

Uma nova poeta que, com sensibilidade, fala sobre o que é ser negra e mulher, sobre como nos tornamos quem somos e superamos a dor, a violência, o preconceito e os obstáculos.

Eu destilo melanina e mel.
Sou negra e não peço desculpas por isso.

Após apresentar ao leitor brasileiro a poesia de Amanda Lovelace, autora dos best-Sellers A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro e A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro, a LeYa Brasil lança a jovem poeta africana Upile Chisala, nascida no Malawi. Seu livro Eu Destilo Melanina e Mel é uma coleção de poemas curtos que tratam sobre o que é ser negra e mulher, sobre como nos tornamos quem somos e superamos a dor, a violência, o preconceito e os obstáculos, sobre como a alegria e a espiritualidade estão profundamente conectadas e sobre como as palavras têm o poder de transformar a nós mesmos e ao mundo ao nosso redor. Em poemas corajosos que combinam ternura e contundência (“Sou ao mesmo tempo mel e limão”, diz um deles), Upile parte da própria experiência de viver como uma mulher negra no século XXI para, com muita sensibilidade, atingir leitores de qualquer gênero, idade e cor da pele. Sua escrita cativa e inspira, trafegando com destreza entre o lírico e o confessional, em palavras que exalam liberdade e amor próprio. Em um dos versos, ela afirma: “Espero fazer com palavras o que dançarinos fazem com braços e pernas”. E cumpre a promessa. Eu Destilo Melanina e Mel é um livro para ser lido e relido.

Box House of Night: Coleção Completa v.1 (livros 1 a 6)
P.C. Cast, Kristin Cast
Novo Século

ATREVA-SE A ENTRAR NO MUNDO DE HOUSE OF NIGHT, A FENOMENAL SÉRIE BEST-SELLER DO NEW YORK TIMES, COM ESTA COLEÇÃO COMPLETA EM DOIS VOLUMES. Quando Zoey Redbird, de 16 anos, é marcada por um rastreador de vampiros e sua mudança para a forma de vampira se inicia, ela tem de deixar para trás sua família e se mudar para Morada da Noite, um internato para calouros como ela. Como se não bastasse encarar esse desafio em meio a tantas mudanças, a jovem descobre que ela não é uma novata comum. Zoey foi escolhida pela deusa vampira Nyx e, embora tenha ganhado poderes impressionantes, não é tão fácil se encaixar quando todos sabem que você é “especial” – ainda mais quando algumas pessoas desejam que você não fosse… Enquanto Zoey tenta se enturmar e talvez encontrar um namorado (ou três), ela enfrenta todos os tipos de males, desde a garota superpopular e toda perfeita, com planos não tão inocentes, até as misteriosas mortes que acontecem na escola e em seus arredores, além da linda Neferet, alta sacerdotisa que parece ter os melhores interesses para Zoey (será mesmo?). Em Morada da Noite, as coisas raramente são o que parecem, e Zoey terá de encontrar a mais profunda coragem para chegar à verdade e abraçar seu destino. Leia toda a série épica das autoras best-seller do New York Times e do USA Today, P.C. Cast e Kristin Cast, neste volume 1 contendo os livros “Marcada”, “Traída”, “Escolhida”, “Indomada”, “Caçada” e “Tentada”.

O Segredo da Livraria de Paris
Lily Graham
Gutenberg

Valerie tinha três anos de idade quando foi levada de Paris para Londres, durante a Segunda Guerra Mundial. Agora, aos vinte anos e sozinha no mundo, ela se candidata, com nome falso, a uma vaga de emprego na livraria do avô, Vincent Dupont. Ele é seu único parente vivo e a única pessoa que sabe o que realmente aconteceu com seus pais biológicos. À medida que passa a conhecer melhor o ranzinza e reservado Dupont, Valerie vai puxando o fio da própria história. Mas essa história não se completa: qual seria o segredo devastador que Vincent estava disposto a tudo para esconder? Esta é uma comovente história de amor, medo e coragem em tempos de guerra. O Segredo da Livraria de Paris vai levar você para essa icônica cidade dos anos 1940 e 1960. Você vai chorar de emoção, rir, se admirar e perder o fôlego em diversos momentos dessa leitura impossível de ser interrompida.

Box Terríveis Mestres (3 livros + pôster + suplemento)
Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft, Arthur Conan Doyle
Novo Século

BOX EXCLUSIVO REUNINDO TRÊS MESTRES DA LITERATURA: EDGAR ALLAN POE, H.P. LOVECRAFT E ARTHUR CONAN DOYLE. Chegou a noite. O extraordinário que arrepia. O estranho que nos arrebata. A imaginação que nos assombra. Essas são algumas das sensações que podemos sentir – e apenas tentar explicar em palavras – ao ler autores como Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft e Sir Arthur Conan Doyle, pela primeira vez reunidos neste box exclusivo. Aqui, você encontrará um compilado de histórias essenciais para quem sempre preferiu as sombras: 6 “Histórias primordiais” de Poe, responsável por, de certa maneira, criar os contos de terror; 6 “Histórias favoritas” de Lovecraft, eleitas pelos fãs do autor em pesquisa da comunidade The H.P. Lovecraft Archive; e 6 “Histórias de horror” de Doyle, o maior contista policial da história em uma faceta desconhecida como a noite, mas essencial como nossa adoração por ela. Chegou a hora de explorar os seus instintos. Boa sorte.

O Chamado de Cthulhu – Edição Especial
H. P. Lovecraft, Salvador Sanz
Skript Editora

O Chamado de Cthulhu, a obra máxima de H.P. Lovecraft, em uma versão inédita no Brasil, com ilustrações de Salvador Sanz. O conto é uma excelente, e assustadora, “porta de entrada” para o universo lovecraftiano. O escritor é considerado o Pai do Terror Cósmico e sua influência está em toda cultura pop. Diferentemente das outras edições internacionais, a versão brasileira ganha ilustrações exclusivas do mundialmente conhecido Salvador Sanz. O artista nasceu em 1975, é natural de Buenos Aires/Argentina e considerado um dos maiores nomes da nova geração. Sanz estudou na Escola Nacional de Belas Artes Manuel Belgrano – Mestre Nacional de Desenho; na Escola Prilidiano Pueyrredón – Professor de Pintura; na Escola Argentina de Historieta (EAH) e no IDAC. Participou de longas e curtas de animação, ilustrou livros, realizou storyboards para cinema/publicidade e publicou diversos quadrinhos, entre eles Legião, Desfigurado, Noturno e Angela Della Morte. No Brasil, suas HQs saíram pela Zarabatana Books. O prefácio de O Chamado de Cthulhu é escrito por Nathalia Sorgon Scotuzzi, editora da Diário Macabro, pesquisadora, especialista em Lovecraft e doutoranda na UNESP, onde estuda sobre o horror cósmico. Nathalia é autora da obra Relances Vertiginosos do Desconhecido e administradora do Lovecraft Brasil, maior grupo nacional sobre o autor. O posfácio é de Thiago de Barros Carneiro, profissional de Comunicação & Marketing e criador do AfroNerd. Thiago escreve sobre quadrinhos com foco em trazer a pluralidade das HQs através de resenhas das mais diversas publicações. Ele também estimula a representatividade no meio com campanhas como: a Maratona AfroPower e a Semana LGBTQ HQ. A tradução é de Mariana Fernandes Morgado Costa. Formada em Letras – Inglês pela Estácio de Sá em 2017, atualmente é pesquisadora voluntária do Projeto de Tradução da Universidade Federal de Juiz de Fora. Mariana já traduziu diversas obras, como por exemplo “O Corpo Roubado”H.G Wells, “Memory”H. P Lovecraft e “Ex Oblivione”.

Mais Longa Vida
Marina Colasanti
Record

Mais Longa Vida é um dos livros mais fascinantes de Marina Colasanti, mesma autora de Passageira em Trânsito. Nesta obra em que impera a delicadeza, a autora transborda sua ampla cultura literária e sua intimidade com a poesia italiana e luso-brasileira. Ao escrever sobre temas como família, amor, perdas, viagens, saudade e tantos outros que perpassam uma vida plena, Marina reveste de simplicidade o que é altamente complexo e invoca um diálogo raro, nas tramas da alma, da terra e da língua.

Uma Luz no Outono (Vol. 4 As irmãs Shakespeare)
Carrie Elks
Verus

Um pai solteiro, uma mulher atraente e uma segunda chance para o coração de Juliet… Juliet Shakespeare não está em busca de um amor. Ela já tem o suficiente para ocupar o tempo: uma floricultura para administrar, uma filha pequena e um divórcio problemático em andamento. A vida dela já está complicada o bastante. Por que arrumar mais preocupações? Mas, quando um pai solteiro muito sexy se muda para a casa ao lado, tudo sai do controle de Juliet. Ryan Sutherland é lindo e talentoso e, desde a primeira vez que se encontram, ela não consegue parar de olhar para ele. Ryan está de volta à cidade para acertar algumas contas e não tem tempo para se distrair com a linda vizinha, mas toda vez que a vê, ele não consegue deixar de desejá-la. Quando o outono dá os primeiros sinais na pequena Shaw Haven e as folhas começam a despencar das árvores, a questão é: Ryan e Juliet também vão cair nos braços um do outro? Uma Luz no Outono é o volume final da série As Irmãs Shakespeare, que, com certeza, vai deixar saudade no coração dos leitores. Quatro irmãs, quatro histórias… Quatro maneiras de encontrar o amor verdadeiro.

Tudo Em Seu Lugar: Primeiros Amores e Últimas Histórias
Oliver Sacks
Companhia das Letras

Coletânea póstuma de ensaios de Oliver Sacks, Tudo Em Seu Lugar traz a compaixão e a perspicácia características do autor. Mais uma espiada na mente generosa, curiosa e brilhante de um gênio. Neste livro, o leitor terá acesso às várias facetas de Oliver Sacks, um dos cientistas mais acessíveis de todos os tempos. Desde sua paixão por plantas, museus e peixes, até histórias pungentes sobre pacientes com esquizofrenia, demência e Alzheimer. Oliver Sacks foi um grande contador de histórias, amado pelos leitores tanto por seus relatos como neurocientista quanto pelo fascínio com o comportamento humano em sua acepção mais ampla. Tudo Em Seu Lugar é uma celebração dos inúmeros interesses do autor, contados com a beleza e a erudição particulares de sua prosa luminosa.

“Os livros de Oliver Sacks transbordam vida. Ele foi e continuará sendo um escritor inigualável.” ― The New York Times

“Extraordinariamente tocante.” ― The New York Review of Books

Conclave
Robert Harris
Alfaguara

Nessa brilhante reconstrução histórica, Robert Harris traça um retrato assustadoramente fidedigno do Vaticano durante um conclave papal agitado por muitos mistérios e intrigas. O papa, um reformista com antipatia pela pompa do cargo, acaba de morrer. Dias depois, mais de cem cardeais do mundo todo se reúnem para eleger seu sucessor. São todos homens santos, mas têm rivalidades, ambições e fraquezas, e, nas próximas setenta e duas horas, um deles se tornará a figura espiritual mais poderosa da Terra. A tarefa não se mostrará nada simples, pois entre os elegíveis e os grupos que se formam em torno deles há diferenças inconciliáveis: globalistas e isolacionistas, os que clamam pelo primeiro papa negro, religiosos com fortes opiniões sobre o papel das mulheres e do casamento gay, as correntes conservadoras e os reformistas, os que rejeitam a riqueza e os que abraçam o luxo. E, para completar, surge a notícia de que o falecido papa elegeu, em segredo, um cardeal até então desconhecido de todos. O palco está armado para o confronto. Um romance instigante em que o poder de Deus é quase igualado à ambição dos homens.

“Impossível de largar.” ― The Guardian

“Uma história bem amarrada sobre as artimanhas do poder nos altos escalões da Igreja católica.” ― New York Times

“Independentemente de você ter fé em Deus, na Igreja ou em nenhum deles, Conclave o manterá totalmente entretido.” ― Dennis Drabelle, Washington Post

O Fim em Doses Homeopáticas – Textos Cruéis Demais
Igor Pires, Anália Moraes
Globo Alt

O terceiro livro do best-seller de poesia Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente. Após o sucesso absoluto dos dois volumes de Textos Cruéis Demais Para Serem Lidos Rapidamente, Igor Pires retorna em mais uma coletânea inédita de textos poéticos, desta vez sobre as características das complexas fases que percorrem os relacionamentos. Dividido em quatro partes, O Fim Em Doses Homeopáticas explora de modo sensível o inevitável fim. O livro conta ainda com as belas ilustrações de Anália Moraes (Casa Dobra).

O Grande Livro dos Gatos
Vários autores
Alfaguara

Um pequeno grande livro para os amantes de gatos. Bichanos se esparramando pelo sol, felinos endiabrados e gatinhos falantes são apenas alguns exemplos do que o leitor encontrará nesta deliciosa coletânea. Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem, mas precisamos concordar que são os gatos os melhores amigos da literatura. Grandes escritores como Patricia Highsmith, Raymond Chandler e Haruki Murakami são conhecidos por seu amor e dedicação aos bichanos. Nesta coletânea, estão reunidos os contos mais clássicos sobre a relação dos felinos com a humanidade. Desde Théodore de Banville, passando por Émile Zola, Charles Perrault, Honoré de Balzac, Edgar Allan Poe, H. P. Lovecraft, Guy de Maupassant, Arthur Conan Doyle e muitos outros, os gatos são protagonistas dessas histórias cheias de mistério, reviravoltas e… Sonecas. Bem ao estilo felino.

Contos presentes nessa coletânea:

O gato, Théodore de Banville
A gata persa da Tia Cynthia, Lucy Maud Montgomery
O paraíso dos gatos, Émile Zola
O gato de botas, Charles Perrault
Penas de amor de uma gata inglesa, Honoré de Balzac
O gato preto, Edgar Allan Poe
Os gatos de Ulthar, H. P. Lovecraft
Sobre os gatos, Guy de Maupassant
O gato, Mary E. Wilkins Freeman
O gato-brasileiro, Arthur Conan Doyle
A fase felina de Maurice, Edith Nesbit
Vida e opiniões filosóficas de um gato, Hippolyte Taine
O gato que caminhava só, Rudyard Kipling
Tobermory, Saki
Tom Vieiro, Mark Twain
Gato, Banjo Paterson
A gata branca, Edith Nesbit

A Viagem de Cilka: Baseado Em Uma História Real de Amor, Coragem e Esperança
Heather Morris
Planeta

O inferno de Cilka é baseado na história real de Cilka Klein e na de tantas outras mulheres presas nos campos de concentração nazistas e, após o fim da Segunda Guerra Mundial, nos gulagui russos. Nessa emocionante sequência do grande best-seller mundial O Tatuador de Auschwitz, Heather Morris nos apresenta um testemunho não apenas do poder do amor e da esperança, mas também da força que há nas mulheres. A beleza salvou sua vida… Mas também a levou ao inferno. Cilka Klein tinha apenas dezesseis anos quando foi levada ao campo de concentração e extermínio de Auschwitz-Birkenau, em 1942. Seus lindos e longos cabelos – os mesmos a atraírem a atenção e a curiosidade do tatuador de Auschwitz, em meio a tantas cabeças femininas raspadas naquela prisão de grandes horrores – são notados pelos oficiais nazistas. No entanto, é ninguém menos que o comandante do campo, Schwarzhuber, que a separa das demais prisioneiras, forçando-a a se submeter a terríveis violências… Se quiser sobreviver. Anos depois, vem a liberação do campo. Pela proximidade de sua relação com o alto comando nazista, o exército russo classifica Cilka como “colaboradora”, e a ainda jovem é levada para uma brutal prisão soviética na Sibéria. Inocente, mas prisioneira mais uma vez, Cilka deve enfrentar novos (e outros já familiares) desafios cruéis, batalhando a cada dia pela própria sobrevivência. E em meio a esse inferno, será possível que Cilka encontre espaço em seu coração para o amor?

Indestrutível: Como um Homem Mudou o Curso da Segunda Guerra Mundial
John R. Bruning
Objetiva

A história do piloto americano que revolucionou a guerra moderna ao lutar contra todas as probabilidades para salvar sua família. Quando a Segunda Guerra Mundial chegou às Filipinas, Paul Irving “Pappy” Gunn foi convocado pela Força Aérea dos Estados Unidos. Enquanto realizava uma missão secreta na Austrália, os japoneses capturaram sua família, e Pappy faria o que estivesse ao seu alcance para resgatar sua amada esposa, Polly, e seus quatro filhos. Com uma pistola e um pequeno grupo de pessoas leais, ele roubou suprimentos e aeronaves, inventou novas armas e modificou bombardeiros para serem mais potentes e causarem mais destruição. Quando os aviões modificados de Pappy foram finalmente usados durante a Batalha do Mar de Bismarck, os Estados Unidos tiveram uma das vitórias mais decisivas da Segunda Guerra Mundial. Levando os leitores dos céus escaldantes do Pacífico às selvas da Nova Guiné, e das Filipinas para um dos campos de prisioneiros mais notórios da guerra, Indestrutível narra a jornada de um homem para libertar as pessoas que amava e a revolução aérea que ele iniciou ― e que continua a ressoar nos modernos campos de batalha dos Estados Unidos.

“Tem ritmo acelerado e é impossível de largar. Um olhar original sobre a Guerra do Pacífico.” ― Men’s Journal

A Comunidade Secreta: 2
Philip Pullman
Suma

Retorne ao mundo de Fronteiras do Universo ― agora uma superprodução da HBO.

Vinte anos se passaram desde os eventos de La Belle Sauvage, a primeira parte da trilogia O Livro das Sombras, quando Lyra Belacqua era apenas um bebê em grave perigo. E faz sete anos desde que os leitores deixaram Lyra e o amor de sua vida, Will Parry, sentados em um banco nos jardins de Oxford, ao fim do extraordinário último volume da trilogia Fronteiras do Universo. Agora, em A Comunidade Secreta, conhecemos Lyra da Língua Mágica, e ela não é mais uma criança… Nesse segundo volume, Lyra tem vinte anos, lembranças dolorosas, nenhuma certeza e uma relação cada vez mais difícil com seu daemon, Pantalaimon. Mais uma vez, os dois são obrigados a deixar o santuário de Oxford e se aventurar em um mundo cheio de perigos e criaturas estranhas. Acompanhando-os nessa jornada está Malcolm, agora um homem com um forte senso de dever e justiça. A Comunidade Secreta não poderia ser um livro mais atual; uma aventura incrível com visões críticas sobre o que é compreender a si mesmo, crescer e enxergar o mundo ao redor. Uma história emocionante de um dos maiores escritores dos nossos tempos.

O Que Ela Sussurra
Noemi Jaffe
Companhia das Letras

O novo romance de uma das autoras mais originais da literatura brasileira retrata a vida de Nadezhda, a jovem russa que guardou na memória os poemas de seu marido morto pela censura soviética para evitar que fossem apagados para sempre da história. Neste romance envolvente e poético, Noemi Jaffe conta, com suas próprias palavras e invenções, a vida de Nadezhda Mandelstam. Vivendo sob a opressão stalinista, Nadezhda se casa com o poeta Óssip, que falecerá em um gulag na Sibéria como inimigo do regime. Contudo, para que os poemas que levaram o marido à desgraça não desapareçam, Nadezhda os memoriza e os sussurra sempre. Serão essas versões que chegarão à contemporaneidade. Baseando-se nessa história real, Noemi Jaffe constrói um romance único sobre o poder do amor, as agruras da repressão e, sobretudo, sobre o desejo feminino e seu constante apagamento.

“Noemi Jaffe é uma arqueóloga de palavras.” ― Época

“Quero que Sonia, Vassilisa e Lizotchka aprendam a passar as horas murmurando coisas de que elas gostem, que treinem a memória para se expressar em voz baixa, como se pelo sussurro todas as mulheres da Rússia se comunicassem numa sintonia desconhecida, nós então formaríamos uma rede clandestina de sussurros, que não salvariam nada, a não ser um pouco a nós mesmas, mas que deteriam o tempo e se enovelariam, fazendo com que ele passasse menos ou mais devagar pelos lugares onde nós falamos.”

Divã Ocidento-Oriental
Johann Wolfgang Goethe
Estação Liberdade

O Divã Ocidento-Oriental é o resultado do movimento de Goethe em direção ao Oriente, “de onde há milênios têm chegado a nós tantas coisas grandiosas, boas e belas”. Este desejo teve sua gênese no encontro do poeta alemão com o Diwan“Coletânea”, “Ciclo” ― do persa Hafez. Reunindo mais de 500 gazéis (poemas curtos e líricos, de temática mística ou amorosa), o Diwan de Hafez circulava pelo Oriente desde o século XIV. Quando a primeira tradução integral deste conjunto chega a Goethe, ele é arrebatado por sua leitura e tomado de uma necessidade de responder produtivamente à “poderosa aparição” de Hafez, a quem Goethe passou a considerar um “gêmeo”. O alemão, então com 64 anos, decide renovar-se como criador e empreender sua viagem literária rumo ao Oriente. Por meio de leituras, pesquisas e traduções, o poeta se transplanta ao antigo mundo das Mil e Uma Noites, às civilizações dos livros sagrados e suas tradições poéticas. O Divã Ocidento-Oriental é o relato dessa imersão. Sob estes signos, Goethe produz intensamente ― só no primeiro ano de trabalho foram mais de 100 poemas. Ao fim do processo, as poesias “orientalizantes” foram reunidas em 12 livros temáticos. Os versos cantam o amor, a guerra, as religiões abraâmicas, o zoroastrismo, a sabedoria popular, a própria poesia, a mística islâmica do sufismo, bem como o êxtase da sensualidade e dos prazeres do corpo, incluídos aí a comida e o vinho. Aos poemas segue-se uma seção em prosa, em que Goethe destrincha seu fazer poético, suas fontes e brinda suas ideias sobre a história da literatura e da tradução. Outro encontro marcante na história do Divã é o de Goethe com Marianne von Willemer. A jovem é a interlocutora do jogo dialógico-amoroso presente em todo o Divã, onde assume a figura de Zuleica e Goethe, a de Hatem. No “Livro de Zuleica”, três poemas são da pena de Marianne, embora nunca creditados. Esta tradução é a primeira vez em que a íntegra da poesia (aqui em versão bilíngue) e da prosa que compõem o Divã Ocidento-Oriental aparecem conjuntamente em português. O trabalho foi objeto de doutorado do tradutor e pesquisador Daniel Martineschen. O tradutor também assina um posfácio que conta mais sobre a escrita do Divã por Goethe, a história das traduções da obra, e a história da presente tradução.

The Play: Os Desencontros de Demi e Hunter: 3
Elle Kennedy
Paralela

No terceiro spin-off da série Amores Improváveis, Elle Kennedy entrega o que tem de melhor: humor, um romance cativante e personagens viciantes e inesquecíveis.

O que eu aprendi depois de as distrações do ano passado terem custado ao meu time de hockey toda a temporada? Não ficar com mais ninguém. Como o novo capitão do time, eu precisei de uma nova filosofia: hockey e faculdade agora, mulheres depois. O que significa que eu, Hunter Davenport, estou oficialmente iniciando o celibato… Não importa o quanto isso torne as coisas mais difíceis. Mesmo assim, não há nada no livro de regras que me impeça de ser amigo das mulheres. E eu não vou mentir: minha nova amiga Demi Davis é uma garota legal. É inteligente e gostosa pra caramba, mas o fato de ela ter um namorado elimina a tentação de tocá-la. Exceto que, três meses depois de nos conhecermos, Demi está solteira e buscando carne fresca. E eu sou sua presa. Evitá-la é impossível. Nós fomos colocados para trabalhar em dupla durante o ano todo num projeto da faculdade, mas estou confiante de que posso resistir a ela. Ficar com ela é uma péssima ideia, eu só preciso convencer o meu corpo ― e o meu coração. CONTEÚDO ADULTO.

Andrizy Bento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s