Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Fevereiro (2020)

A Alfaguara traz um lançamento imperdível para os fãs do escritor japonês Haruki Murakami, autor dos celebrados 1Q84 e Sono: trata-se do segundo e último volume de O Assassinato do Comendador, cujo lançamento está previsto para a segunda metade do mês. A comediante Blythe Roberson propõe um intrigante desafio e questionamento: “Como Sair Com Homens Quando Você Odeia Homens?”. Esse é o título de seu ensaio cuja publicação fica a cargo da editora Galera. O clássico Contra a Interpretação, coletânea que reúne os ensaios da escritora e crítica de arte Susan Sontag, ganha uma nova tradução pela Companhia das Letras. A mesma editora traz Berta Isla do espanhol Javier Marías, um título elegante e contundente sobre os dilemas morais acarretados por uma vida dupla. Para quem curte Stephen King e o gênero que consagrou o autor, a antologia Terror a Bordo: 17 Histórias Turbulentas, publicação da Suma, é um prato cheio que deve presentear os leitores com diversos contos sobre pânico nas alturas devidamente selecionados pelo mestre do terror ao lado do colunista Bev Vincent. E para quem curte a série La Casa de Papel da Netflix, não pode perder o lançamento da editora Outro Planeta baseado na produção: Escape Book: O Diário do Professor. Confira abaixo capas e sinopses dos principais lançamentos literários de fevereiro:

Bodas de Sangue
Pierre Lemaitre
Gutenberg

Ninguém é imune à loucura. Sophie, que sempre levou uma vida pacífica, começa a apresentar pequenos sinais preocupantes, que se acumulam, e de repente tudo se acelera. Seria ela responsável pela morte da sogra, do marido com deficiência? Pouco a pouco, ela se vê envolvida em vários assassinatos, dos quais, curiosamente, não se lembra. Desesperada, mas com alguma lucidez, Sophie foge, muda de nome, de vida, se casa, mas o doloroso passado a alcança. Texto de rara crueza, com uma intriga original e irrefreável, Bodas de Sangue é um romance estonteante, uma fábula cruel e amoral sobre assédio e vingança, um thriller diabólico sobre o qual pairam as sombras de Hitchcock e de Brian de Palma.

A Jangada: 800 Léguas Pelo Amazonas: 1295
Júlio Verne
L&PM

Sem jamais ter estado no Brasil, Júlio Verne (1828-1905), o pai da ficção científica e de fantasia, escreveu um romance que se passa no majestoso e fascinante rio Amazonas. A família de João Garral, um próspero e digno fazendeiro de Iquitos, no Peru – próximo à foz do Amazonas –, precisa empreender uma viagem rio abaixo, com o intuito de levar sua filha até Belém do Pará, onde deve se casar com o homem que ela ama. Para tal, é construída uma jangada que é uma verdadeira aldeia flutuante: autossuficiente, reproduz a sociedade da região e da época, com a família branca de origens europeias acompanhada dos escravos negros e trabalhadores índios. Mas não só festejos e celebrações ocupam a mente do fazendeiro. Um segredo do passado o assombra, e vai colocá­-lo no caminho de Torres, um odiento capitão do mato que pode pôr tudo a perder. Publicado em 1881 em formato de folhetim e livro, A Jan­gada é, a um só tempo, um primoroso romance de aventura e mistério do grande autor francês e uma fina exploração literária da riqueza natural do Amazonas e da maior bacia hidrográfica do planeta.

As Histórias de Pat Hobby
F. Scott Fitzgerald
Todavia

Pat Hobby já foi considerado, erroneamente, alter ego de F. Scott Fitzgerald. Ambos tiveram, como roteiristas em Hollywood, uma relação conflituosa com a indústria do cinema. Compartilhavam também uma queda pelo álcool e pelas mulheres. Mas as semelhanças terminam aí. Protagonista dos últimos contos produzidos por Fitzgerald, Hobby é um personagem igualmente cômico e melancólico. Seus dias de glória ficaram para trás, no tempo do cinema mudo, que ele relembra com nostalgia enquanto tenta arrumar bicos para pagar suas dívidas. Ele bajula produtores, flerta com secretárias, junta trocados para apostar em corridas de cavalos, na vã tentativa de sobreviver numa indústria que o rejeita como uma peça obsoleta e inconveniente. Com tradução e apresentação de José Geraldo Couto, estas dezessete histórias foram publicadas originalmente na revista Esquire entre janeiro de 1940 e maio de 1941. Nelas, Hobby vive as mais diversas aventuras, ou antes, desventuras. Num dos contos, se passa por guia turístico para levar um casal de caipiras endinheirados às mansões das grandes estrelas. Em outro, tenta chantagear um grande produtor em função de um crime ocorrido há décadas. Em “Pat Hobby, pai putativo”, descobre que tem um filho biológico, rico herdeiro de um rajá indiano. Com humor e leveza, Fitzgerald comprova aqui seu talento para criar a atmosfera de uma época e um local privilegiados, e sobretudo sua sensibilidade para expressar as várias nuances do fracasso humano.

Afora, Adentro
Kiran Bhat
Editora Labrador

Afora, Adentro reúne seis histórias que se entrelaçam em uma só: o que uma avó de Macau, um fotógrafo angolano, um professor brasileiro, uma jovem de Portugal, uma garçonete moçambicana e um casal de mulheres que vive no Timor-Leste teriam em comum? Além da língua portuguesa, um fio condutor invisível interliga esses personagens de realidades tão distintas, mas que buscam, por fim, o mesmo objetivo – se conectar com quem amam.

A Promessa de um Amigo
W. Bruce Cameron
HarperCollins

Depois de tantas vidas Bailey tem certeza de uma coisa: cachorros bonzinhos como ele vão para o Céu. Porém, antes que possa ter seu merecido descanso, esse cão de lealdade infinita recebe um pedido de seus antigos donos: ajudar uma família que precisa desesperadamente do amor de um cachorro para continuar unida. Bailey sabe que, se deixar o Paraíso para trás, as memórias que tem de seus entes queridos serão apagadas ― mas qualquer sacrifício é pequeno demais para auxiliar aqueles que precisam. Cumprindo como sempre sua promessa de tentar ser o melhor cão do mundo, Bailey parte em uma nova aventura. Agora, Bailey é Cooper, um cachorro grande e brincalhão que é adotado por Burke, um menino paraplégico que o treina para ser um cão de assistência. Apesar dos sucessos nessa empreitada, Cooper ainda precisa lidar com os obstáculos encontrados pelo restante da família, como o fato de a mãe de Burke tê-los abandonado, a rebeldia cada vez maior de Grant, irmão mais velho de seu dono, e a dificuldade de Chase, pai dos dois, para manter a fazenda funcionando, sobretudo com as ameaças de uma empresa agrícola que deseja obter todas as terras da região. Dessa vez, porém, o cachorro não estará sozinho, pois Lacey, uma nova amiga, vai lhe fazer companhia durante sua trajetória. Esse cachorro cativante e sábio traz alegria, risadas e conforto à medida em que reconcilia uma família fragmentada pelos inevitáveis problemas da vida e encoraja seus donos a buscarem o amor. A Promessa de um Amigo continua a jornada de Bailey, iniciada em Quatro Vidas de um Cachorro e Juntos Para Sempre ― ambos adaptados com incrível sucesso para os cinemas ―, e é mais uma história do autor best-seller W. Bruce Cameron, que nos mostra o papel fundamental que os cachorros têm em nossas vidas.

Rua de Dentro
Marcelo Moutinho
Record

Marcelo Moutinho mostra, nos treze contos desta obra, a verdadeira linguagem que define a cidade do Rio de Janeiro. Daí ele se desviar dos clichês da cidade maravilhosa para privilegiar os espaços menos glamourizados que a constituem, detendo-se nas agruras, complexidades e delícias do cotidiano de seus habitantes. As experiências mais corriqueiras são, nesse sentido, convertidas em pequenos assombros e epifanias, graças a um olhar incisivo que não prescinde da força dos afetos. Tudo com densidade e leveza ao mesmo tempo.A expressão do título, Rua de Dentro, traz uma bem-vinda dubiedade. Rua de dentro é aquela que, na fala popular, não é a principal (“Vai pela principal? Não, vou pela rua de dentro”). Os personagens são igualmente típicos das “ruas de dentro”: aqueles que não costumam estar sob os holofotes, nos espaços principais da cidade. Mas a expressão tem ainda um segundo sentido, ao evocar também as ruas que trazemos dentro de nós. Ou: como a experiência na vida coletiva, da rua, reverbera em nosso interior, nossas ruas íntimas.

Alexandre e Outros Heróis
Graciliano Ramos
Record

Graciliano Ramos une o real ao imaginário, cabendo ao leitor demarcar a fronteira entre outros territórios nesta nova edição de sua obra clássica. Alexandre e Outros Heróis traz histórias folclóricas sobre heróis e grandezas – todas elas inverossímeis. De certa forma, a obra representa uma rendição de Graciliano Ramos, que resolveu dar trégua à contundência com que procurava revelar as condições inóspitas da região em que nasceu. O leitor sai das páginas com a impressão de que o autor tenha por momentos interrompido a sua disposição de combatividade e procurado conviver com a realidade que tanto desejou transformar. Depois de perseguir o enredo imaginoso nos seus textos, o ficcionista aceitaria agora até mesmo a anedota. O drama cedeu o passo ao humor e ao exótico. A personalidade de Alexandre, bem trabalhada, é a viga mestra que sustenta o todo da narrativa”, como escreveu Rui Mourão no Posfácio da obra.

O Cuidadoso Despir do Amor
Carey Ann Haydu
Galera

Quando não nos resta mais nada, é preciso salvar a nós mesmos. Lorna, Delilah, Charlotte, Isla e seu irmão, Cruz, são tão íntimos que por vezes se sentem como uma pessoa só. Cresceram na mesma rua do Brooklyn, em Nova York, celebram seu aniversário no mesmo dia e o mesmo atentado tornou-os órfãos de pai. Mas, acima de tudo, o que os une é que se recusam a acreditar na Maldição que ronda a rua Devonairre. Conta Angelika, sua velha vizinha, que aqueles por quem uma garota da rua Devonairre se apaixona morrem. Prova disso são as incontáveis viúvas que ali vivem. Para proteger aos homens e a si mesmas, as jovens da rua devem se identificar pelos cabelos longos, as chaves penduradas no pescoço, as roupas de lã… E ser minuciosamente examinadas pela idosa, em busca do menor sinal de amor. Os amigos não têm medo, e Delilah parece ser a primeira a experimentar a sensação. Mas quando seu namorado, Jack, é atropelado, eles começam a questionar se amar é um direito seu. O Cuidadoso Despir do Amor é uma história delicada sobre amor, luto, tradição e identidade, passada em uma Nova York reimaginada com primor por Carey Ann Haydu.

Abra Com Cuidado! Um Livro Mordido
Nick Bromley
Editora Brinque-Book

Algo estranho está acontecendo no conto O Patinho Feio. Um crocodilo furioso surge de repente e começa a se intrometer na narrativa. As palavras, as frases e as páginas estão em perigo! O patinho vai precisar de toda ajuda possível para salvar a sua história. E você, leitor, terá de entrar em ação! O divertido Abra Com Cuidado! – em que um clássico é revirado, rasgado, mastigado – desafia o leitor a desbravá-lo, incentivando-o a enfrentar seus próprios medos.

Etílico: Sabores do Sangue 3
Simone O. Marques
Ler Editorial

Anya, Daniel e Dante pertencem a um triângulo com aroma e sabor de sangue, e cada nova descoberta sobre sua condição os leva ao confronto com sentimentos e emoções para as quais talvez não estejam preparados, uma realidade que mistura prazer, violência e amor. Mas no meio dessa tormenta surge uma esperança: uma possível cura para a doença que os aprisiona.

O Menino Que Tinha Medo de Criança
Gisele Garcia
Editora Labrador

ESTA É A HISTÓRIA DE UM MENINO COMO TODOS OS OUTROS. MAS E se o menino tivesse um medo SECRETO? Um medo grande e forte: tão grande quanto o pequeno mundo do menino, tão forte quanto a escuridão da noite… E se esse medo atrapalhasse o menino a brincar? E se não o deixasse fazer amigos? E se esse medo fosse medo de criança?

Box Trindade
Andrew Pyper
Darkside

O sobrenatural, a dor e a criação divina estão no Box Trindade com as extraordinárias obras de Andrew Pyper, publicadas pela DarkSide® Books, O Demonologista, Os Condenados e A Criatura. Três temas capazes de iluminar mistérios que desafiam nossas convicções no mundo real. Em O Demonologista, acompanhamos David Ullman, renomado professor da Universidade de Columbia, especializado na figura literária do Diabo, principalmente na obra-prima de John Milton, Paraíso Perdido. Ao aceitar um convite para testemunhar um suposto fenômeno sobrenatural em Veneza, David começa a ter motivos pessoais para mudar de opinião. O que seria apenas uma boa desculpa para tirar férias na Itália com sua filha de 12 anos se transforma em uma jornada assustadora aos recantos mais sombrios da alma. Já em Os Condenados, o protagonista é Danny Orchard, que passou por uma experiência de quase-morte em um incêndio há mais de vinte anos. Sua irmã gêmea, Ashleigh, não teve a mesma sorte. Danny conseguiu transformar sua tragédia pessoal em um livro que se tornaria um grande best-seller. Ainda que isso não signifique que ele tenha conseguido superar a morte da irmã. E em A Criatura, para dar vida ao seu próprio ser abominável, Pyper disseca alguns dos monstros sagrados do século XIX. Mary Shelley, Robert Louis Stevenson e Bram Stoker viram personagens do livro e se inspiram num ser imortal e cruel para escreverem suas obras-primas góticas. Assim, os mitos de Frankenstein, O Médico e o Monstro e Drácula ganham novas perspectivas e ficam tão assustadores como em suas origens. Prepare-se para mergulhar no universo sombrio de Andrew Pyper, uma das grandes revelações da literatura dark contemporânea. O autor, presente em diversas listas de mais vendidos pelo mundo, foi consagrado pelos darksiders e se tornou o primeiro autor best-seller da DarkSide® Books, com o livro O Demonologista.

Nem Todo Amor Tem Um Final Feliz. E Tá Tudo Bem.
Felipe Rocha
Astral Cultural

Relacionamentos podem terminar com um final feliz, como nos filmes. Relacionamentos também podem, simplesmente, terminar. E tá tudo bem. Nem Todo Amor Tem um Final Feliz. E Tá Tudo Bem. apresenta as fases de um relacionamento que se perdeu em meio à rotina e à convivência monótona, e o fim, sem “feliz” como complemento, foi o único meio. Mas, tá tudo bem, os dias continuam e o processo de amadurecimento é contínuo. Não há nada na vida que não pode ser superado ou se tornar fonte de inspiração. Términos nos proporcionam novos recomeços e as fases de uma relação a dois podem ser difíceis, mas descobrir a luz no final do túnel depois da tempestade é libertador.

BelHell
Edyr Augusto Proença
Boitempo

Belhell é Belém, capital paraense, que, mais uma vez, pelas mãos de Edyr Augusto, se vê transformada não em cenário, mas em verdadeiro personagem desse brevíssimo romance urbano. Suas ruas, avenidas, becos, lanchonetes, clubes, casas noturnas, prostíbulos e hospitais são redimensionados pelas ações de Gil, Paula, dr. Marollo, Paulo e Sérgio Aragão. Contudo, é no clandestino cassino Royal, entre dados, cartas, fichas, dinheiro, uísque, cocaína, sexo e regras precisas, declaradas ou não, que o destino dos protagonistas é fatalmente posto em jogo. Uma narrativa que dá forma literária às diversas manifestações da violência cotidiana, revelando que o submundo está bem mais próximo do que ousamos imaginar. Após o sucesso de Pssica (2015), Edyr Augusto lança Belhell, sua sétima obra literária, todas publicadas pela Boitempo. O paraense tem uma carreira consolidada como romancista de histórias ácidas e cruas, com forte sotaque, a umidade e os dissabores da Amazônia. Seus thrillers incomodam e seduzem, mas também propõem reflexões sobre problemas encontrados em qualquer cenário urbano. Ler Edyr é um verdadeiro tratamento de choque: a velocidade brutal aliada à barbárie potencializa ao extremo o realismo presente em cada frase seca e cortante de suas narrativas. O estilo implacável, mordaz e direto, remete a algo como um soco no estômago de quem lê: “Meus livros falam sempre sobre pessoas. Pessoas que são atingidas por golpes de violência, pessoas que são atingidas em seu âmago e precisam reagir”, conta o autor em vídeo para a TV Boitempo. O autor teve quatro romances publicados na França nos últimos anos: Os Éguas (que, por lá, saiu com o título Belém e recebeu o prêmio Caméléon de melhor romance estrangeiro, na Université Jean Moulin Lyon 3), em 2013, Moscow, em 2014, Casa de Caba (Nid de vipères), em 2015, e Pssica, em 2017. Em 2020, quase simultaneamente a seu lançamento no Brasil, Belhell será publicado na França pela editora Asphalte, que publicou todos os anteriores no país. A obra Pssica teve seus direitos comprados pela 02 Filmes e será o primeiro longa-metragem dirigido por Quico Meirelles.

O Inominável Atual
Roberto Calasso
Companhia das Letras

Mais contemporâneo do que nunca, O Inominável Atual é uma análise provocadora de um mundo marcado pela violência e pelo confronto de identidades, escrita com a verve ensaística e a eloquência de um dos grandes pensadores de nosso tempo. Turistas, terroristas, secularistas, fundamentalistas, hackers. Todos esses personagens habitam e movimentam o inominável atual ― um mundo ilusório, que parece ignorar seu passado, mas cuja forma já fora prenunciada entre 1933 e 1945, quando tudo parecia se voltar para a autoaniquilação. Nesse livro iluminador, o italiano Roberto Calasso ― chamado de “instituição literária” pela The Paris Review ― oferece uma elegante reflexão sobre as transformações que ocorrem nas sociedades de hoje, em que a era da ansiedade de W. H. Auden dá lugar a algo muito mais perturbador: a era da inconsistência.

“A erudição de Calasso é deslumbrante.” ― Times Literary Supplement

“Um dos muitos prazeres de ler Calasso é poder percorrer com ele os meandros de seus pensamentos.” ― John Banville, The New York Review of Books

Contra a Interpretação: e Outros Ensaios
Susan Sontag
Companhia das Letras

Primeira coletânea de ensaios de Susan Sontag, Contra a Interpretação logo se tornou um clássico moderno. Em nova tradução, a obra traz brilhantes comentários sobre os mais diversos aspectos culturais dos convulsivos anos 1960. Uma série de discussões provocativas sobre os temas culturais mais prementes da década de 1960, este livro é a coletânea definitiva dos trabalhos mais conhecidos e importantes de Susan Sontag e foi a obra que a consagrou como uma das pensadoras mais incisivas do nosso tempo. Publicada pela primeira vez em 1966, esta coletânea de ensaios nunca saiu de catálogo e influenciou profundamente muitas gerações de leitores, assim como o campo da crítica cultural no mundo todo. Inclui os textos revolucionários “Notas sobre o camp” e “Contra a interpretação”, e também o debate acalorado de Sontag sobre autores como Sartre, Camus, Weil, Godard, Beckett, Lévi-Strauss, a psicanálise, filmes de ficção científica e o pensamento religioso contemporâneo. Além da nova tradução, esta edição traz o posfácio “Trinta anos depois”, no qual Sontag reafirmou os termos de sua batalha contra os filisteus, contra uma ética frágil e contra a indiferença. Eleito um dos cem melhores livros de não ficção de todos os tempos pelo The Guardian.

Berta Isla
Javier Marías
Companhia das Letras

Do consagrado autor de Coração Tão Branco e Os Enamoramentos. É possível dizer que conhecemos uma pessoa, mesmo tão próxima, quando boa parte do que ela diz e faz permanece nas sombras? Berta Isla e Tom Nevinson não passavam de adolescentes quando se conheceram e se apaixonaram. Em 1974, poucos anos depois das primeiras trocas de olhares no colégio madrilenho, já eram marido e mulher. Berta não sabia, mas Tom ― filho de pai inglês e mãe espanhola, fluente em várias línguas e capaz de imitar sotaques e dicções com perfeição ― fora recrutado para o serviço secreto britânico pouco antes do casamento. Tom engana Berta como pode, até que um incidente horripilante o obriga a revelar a atividade a que dedica boa parte dos dias. A regra, acatada por ela ao descobrir que o marido é um espião, e que deve valer por toda uma vida, é não fazer perguntas. Berta concorda, assim, em ignorar metade da existência de Tom, o que inclui a natureza de seus atos e os lugares por onde ele andou. Vivemos no escuro, diz ela, e mal conhecemos a pessoa com quem estamos casados. O quanto ainda há em Tom daquele adolescente que Berta conheceu e por quem se apaixonou? Javier Marías retorna, aqui, ao tema da espionagem, eixo da monumental trilogia Seu Rosto Amanhã. Com a prosa elegante de sempre, disseca não apenas os perigos e dilemas morais de se levar uma vida dupla, mas as marcas que as zonas de sombra podem deixar no afeto e na intimidade.

Flush
Virginia Woolf
Penguin

Neste envolvente exercício imaginativo, Virginia Woolf aborda questões de classe e gênero ― temas tão cruciais na obra de uma das maiores escritoras do mundo ― ao reconstituir a história de vida de um cão na Inglaterra vitoriana. Logo após publicar o romance As Ondas, Virginia Woolf começou a trabalhar em Flush, uma biografia do cocker spaniel da poeta Elizabeth Barrett Browning (1806-61). Nela, o leitor o acompanha desde o nascimento, passando por sua infância ao lado da escritora Mary Russell Mitford (1787-1855), até suas viagens para Pisa e Florença na companhia de Browning. Apesar da premissa incomum, este livro é mais do que um mero divertimento literário: explora a ideia de uma vida livre da tirania das palavras e é um testemunho ímpar da trajetória pouco estudada das duas poetas inglesas, praticamente esquecidas desde a década de 1930. Adotando o ponto de vista de um cão, Woolf sonda com humor inigualável as questões de classe e gênero na Londres vitoriana. Encantador, mas também radical, Flush é um exercício de imaginação, um texto aparentemente leve que aborda temas cruciais que irão perpassar toda a obra da autora.

“Haverá melhor romancista vivo que Javier Marías?” ― The Independent

Não Há Segunda Chance
Harlan Coben
Editora Arqueiro

HARLAN COBEN JÁ VENDEU MAIS DE 70 MILHÕES DE LIVROS VENDIDOS NO MUNDO.

O que você seria capaz de fazer para salvar um filho?

“Ágil e engenhoso, Não há segunda chance mostra Harlan Coben em sua melhor forma.” – The New York Times

“Uma delicada metáfora sobre reconstrução.” – The Guardian

Após ser gravemente ferido numa invasão à sua casa, o Dr. Marc Seidman desperta de um coma de quase duas semanas e descobre que sua vida foi destruída. A esposa foi assassinada. A filha, Tara, de 6 meses, desapareceu. Depois de tanto tempo, parece impossível descobrir onde a bebê está, mas de repente Marc tem um alento ao receber um pedido de resgate. Só que o bilhete faz uma clara advertência: se ele falar com a polícia, nunca mais verá a filha. Não haverá segunda chance. Sem ter a quem recorrer, Marc fica dividido entre a agonia e a esperança. E quando os investigadores passam a considerá-lo o principal suspeito dos crimes, ele precisa se lançar numa busca desesperada pela verdade não apenas para recuperar Tara, mas também para salvar a própria vida. Com personagens envolventes e reviravoltas inimagináveis, Não Há Segunda Chance é um livro de tirar o fôlego, no qual o suspense se sustenta até a última página.

Terror a Bordo: 17 Histórias Turbulentas
Vários autores (Autor), Stephen King, Bev Vincent (Compiladores)
Suma

Apertem os cintos para esta antologia de contos turbulentos, com curadoria do mestre do terror e autor best-seller mundial, Stephen King, e do colunista da famosa revista de terror Cemetery Dance, Bev Vincent. Stephen King odeia voar. E agora, junto com seu coeditor Bev Vincent, ele está pronto para compartilhar esse medo com você. Bem-vindos a Terror a Bordo, uma antologia sobre tudo que pode dar terrivelmente errado quando se está a 20 mil pés de altura, cortando os céus a 800 km/h, preso em uma caixa de metal com centenas de desconhecidos. Aqui você vai encontrar todas as maneiras como sua agradável viagem pelos ares pode se transformar em um pesadelo, incluindo algumas formas que você nunca imaginou… mas que vai imaginar da próxima vez em que estiver atravessando a ponte de embarque e entregando sua vida nas mãos de um estranho. Incluindo histórias inéditas de Joe Hill e Stephen King, além de catorze contos clássicos e um poema de mestres como Richard Matheson, Ray Bradbury, Roald Dahl, Dan Simmons e muitos outros, Terror a Bordo é, nas palavras de Stephen King, “perfeito para ler em aviões, principalmente durante aterrisagens turbulentas”.

As Flores do Mal
Charles Baudelaire
Martin Claret

O poeta e crítico Charles Baudelaire marcou as últimas décadas do século XIX e As Flores do Mal é sua obra prima. Julgado imoral para a época, o livro levantou polêmica e despertou hostilidades na imprensa. Baudelaire e seu editor foram processados e, além de pagar multa, tiveram que reimprimir a obra, excluindo poemas da primeira publicação. Nesta edição, disponibilizamos para o leitor a versão completa de “As Flores do Mal“, com os poemas censurados e os incluídos posteriormente. A primorosa tradução é de Mário Laranjeira, professor da Universidade de São Paulo.

Darkdawn: As Cinzas da República: 3
Jay Kristoff
Plataforma 21

Nobre amigo, depois de um breve silêncio, podemos enfim voltar os olhos para a saga de nosso pequeno corvo. É certo que você deve estar curioso para saber o que aconteceu após os eventos sanguinários que abalaram as arenas de Godsgrave. Com o irmão caçula nos braços, Mia Corvere saboreia seu triunfo. Foi uma longa jornada até aqui. A menina assustada que presenciara o enforcamento do pai tornou-se a assassina mais temida de toda a República de Itreya. Passados oito anos desde que começou a planejar sua vingança, Mia finalmente instaurou o caos na Cidade das Pontes e dos Ossos ao ceifar a vida do grão-cardeal e do cônsul. No entanto, nem tudo é glória na vida da Faz-Rei. Os soldados luminatii e os servos da Igreja Vermelha estão à sua caça. Mercurio foi capturado e Mia deve salvá-lo antes que seu querido mentor pereça dentro dos muros da escola de assassinos. Entre sua fuga e o resgate do velho, ela precisa conquistar a confiança de Jonnen, seu irmão. Pois, neste momento, o que sobrou de sua família deseja vê-la morta. Além disso, há algo mais assombrando seu destino. Um enigma fúnebre que cresce sob Godsgrave à medida que a veratreva se aproxima: os muitos eram um e serão de novo. Quando a noite chegar, talvez em definitivo, Mia Corvere conseguirá sobreviver num mundo em que até a luz dos sóis pode morrer?

O Assassinato do Comendador – Vol. 2: Metáforas que Vagam
Haruki Murakami
Alfaguara

Uma obra tão monumental quanto 1Q84, este livro perturbador e hipnotizante revela as obsessões mais íntimas do mestre Haruki Murakami. Como um mágico no auge de seu poder, Murakami dá vida a um universo inteiro povoado por personagens, histórias e enigmas que têm o poder inesquecível dos sonhos mais vívidos. No primeiro volume desta história, deixamos o protagonista ansioso para saber o que está escondido atrás da pintura chamada de “O assassinato do comendador”. Ele também aprendeu a conviver com os estranhos personagens e objetos que o cercam desde que se estabeleceu em uma casa nas montanhas. E, a pedido de seu vizinho, ele começou a esboçar o retrato de uma adolescente peculiar, Mariê Akikawa. Contudo, Marie desaparece misteriosamente no caminho de volta da escola, e nosso protagonista se lança em uma busca frenética. Neste segundo livro, de ritmo acelerado e cheio de suspense, os desfechos são revelados e se encaixam como em um quebra-cabeça, para que toda a pintura faça sentido.

Unicelular
Tarsis Magellan
Martin Claret

Rosa Villar, agente da ABIN, é chamada às pressas para investigar o atípico envenenamento do filho de uma influente jornalista australiana que passava férias numa praia isolada no nordeste brasileiro. O que Rosa não imaginava é que o bem-estar da criança estaria ligado a membros do alto escalão da embaixada americana. Para sanar os problemas diplomáticos que surgem, Rosa corre contra o tempo à procura do antídoto para a criança. A agente tem fortes indícios de que a Biotech, uma grande empresa farmacêutica chinesa que comanda uma empreitada gigantesca no país, está envolvida no incidente. Sua investigação leva ao centro de controle da corporação, na distante Ilha de Trindade. Lá, Rosa é apresentada à Iniciativa Unicelular, um projeto que imaginou existir somente em histórias fantásticas. No entanto, ela sente que algo mais está à espreita, capaz de colocar não só a sua vida, mas a de todos em risco. Envolta em uma teia de mentiras, conspirações, segredos corporativos e inúmeras mortes, Rosa, para conseguir o que quer, deve descobrir os mistérios escondidos em um lugar onde não só o homem, mas também a natureza serão seus piores inimigos.

Um Anjo de Mochila Azul
Diogo Almeida
Novo Século

DO CRIADOR DO SHOW DE COMÉDIA “VIDA DE PROFESSOR”, ASSISTIDO POR MAIS DE 600 MIL PESSOAS. Mulher, mãe, professora, exausta e querendo desistir. Você com certeza conhece alguém com esse perfil. Descubra a história de Francislena, a Francis, uma professora recém-separada, endividada, afastada do filho, e decepcionada com a docência. Sem motivação para ensinar e tampouco disposta a aprender, Francis encontra-se cada vez mais distante de si mesma e de seus alunos. No entanto, a chegada de um sarcástico e misterioso estudante faz com que Francis encontre esperanças onde ela jamais imaginou, e grandes surpresas e revelações estão à sua espera. Ela contará com a ajuda de um grupo peculiar de amigas atrapalhadas em sua jornada para retomar sua vocação e sua vida. Um Anjo de Mochila Azul é uma história leve, divertida, bem-humorada e quase real, mas com um toque sobrenatural. Às vezes o divino se encontra na forma mais humana!

Daqui Não Saio
Marco Balzano
Bertrand Brasil

Um dos maiores fenômenos literários da Europa nos últimos anos. Uma narrativa confessional e comovente sobre a ascensão e a queda do nazifascismo. Quando uma guerra ou inundação chega a um lugar, as pessoas saem. Trina não. Teimosa como a cidadezinha na fronteira onde nasceu, tem a coragem de se opor aos fascistas que a impedem de lecionar, sem medo de fugir para as montanhas com o marido desertor. E, quando as águas da represa estão para inundar os campos e as casas, ela se defende com aquilo que ninguém jamais lhe poderá tirar: as palavras. Daqui não saio é uma história social atualíssima, que cativa desde a primeira página. Marco Balzano tem a habilidade dos grandes narradores: harmoniza a escrita à respiração das personagens. Com uma voz íntima que devolve vida à história, ele retrata a força de uma comunidade no momento em que, agarrando-se a raiva, opta por resistir.

“Marco Balzano é certamente um dos autores com a voz narrativa mais segura na atual geração.” – Tuttolibri

“Uma história de não pertencimento e temporalidade profundamente enraizada na realidade de hoje.” – La Lettura“Um romance que fica ainda melhor a cada capítulo.” – L’Espresso

O Farol de Fisher
Tara Sivec
Verus

Para conseguir o fim que desejam, Lucy e Fisher terão de voltar ao início… Lucy e Fisher se conheceram no último ano do ensino médio, no mesmo dia em que ele se juntou aos fuzileiros navais. As únicas certezas na vida de Fisher são o serviço ao seu país e o amor por Lucy. Após o casamento, eles vão viver em uma pequena ilha na costa Leste. Lucy já aceitou a profissão do marido, apoiando-o e tentando tolerar seu comportamento errático toda vez que ele volta de uma missão. Fisher, no entanto, é profundamente afetado pela experiência em zonas de guerra. Um dia, Fisher conclui que está se tornando um perigo para aqueles ao redor, especialmente para sua mulher, e deixa a ilha em busca de curar suas feridas. Mas agora ele está de volta, determinado a convencer Lucy de que nunca deixou de amá-la.Por meio das memórias ― boas e ruins ― de seu relacionamento, Lucy e Fisher vão precisar lembrar por que sempre conseguiram voltar um para o outro. E por que, não importa o que aconteça, esta pode ser a última vez.

Aranhas
Carlos Henrique Schroeder
Record

Cheio de possibilidades interpretativas, este livro é a prova contundente de que a literatura é um jogo. Com erudição sarcástica e imaginação tão extraordinária quanto rigorosa, o livro reúne dezenas de contos que giram em torno desses artrópodes de oito patas. Eles surgem como personagens ou inspiram, através de sua aparência ou nome, comportamentos e destinos, criando uma espécie de teia narrativa – onde afinal tudo se entrelaça e nos enreda. Autor do best-seller As Fantasias Eletivas, Carlos Henrique Schroeder mais uma vez prova ser um dos mais inventivos escritores brasileiros, e faz uma espécie de tour de force social para tratar de temas como preconceito, amor, morte, inveja e a nossa absoluta falta de compreensão do que é ser humano.

Como Sair Com Homens Quando Você Odeia Homens
Blythe Roberson
Galera

Às vezes um encontro não é apenas um encontro… Será que no menu daquele inofensivo jantar romântico, a autonomia e a personalidade que você fortaleceu com muita teoria feminista e ativismo não estão sendo servidas de bandeja para o patriarcado? Como se já não fosse suficientemente difícil definir se aquele barzinho com o crush caracteriza um encontro, vivemos em uma sociedade em que o relacionamento entre homens e mulheres é mais vantajosos para eles – a ciência comprova, mas todas nós já sabíamos disso! Reunindo toda a experiência adquirida em anos de solteirice, saindo com homens e assistindo incontáveis vezes a Mens@gem Para Você, a comediante Blythe Roberson oferece este bem-humorado ensaio filosófico sobre mulheres que saem com homens, mesmo sem gostar tanto assim deles. As histórias de Blythe são excelente companhia para atravessar o campo minado por boys lixo dos relacionamentos contemporâneos.

Questão de Ênfase: Ensaios
Susan Sontag
Companhia de Bolso

Mais de quarenta artigos foram reunidos no penúltimo livro da brilhante ensaísta americana. De Machado de Assis a Robert Mapplethorpe, ela analisa a literatura, o cinema, a fotografia, a música, a dança e outros temas culturais. Susan Sontag foi uma das mais influentes intelectuais contemporâneas. Polivalente, ela nunca se contentou apenas com a crítica literária e, desde os anos 1960, aliava o ensaísmo mais rigoroso a um incessante ativismo político. Sontag esteve entre os poucos intelectuais que decidiram manifestar sua solidariedade à capital da Bósnia, sitiada e bombardeada diariamente pelos sérvios durante a guerra. “Esperando Godot em Sarajevo”, incluído nesta coletânea, relata a estada de Sontag na cidade, onde dirigiu uma versão da famosa peça de Samuel Beckett, em 1993. O espetáculo estreou à luz de velas (a energia elétrica tinha sido cortada) e ao som de bombas e tiros de franco-atiradores. “Cultura, cultura séria, é uma expressão da dignidade humana”, afirmava Sontag. Os ensaios dedicados à literatura e às artes visuais mostram o mesmo interesse pelo mundo. Seus comentários se voltam para artistas e escritores de toda parte: Jorge Luis Borges, Roland Barthes, Robert Mapplethorpe, Joseph Brodsky, Juan Rulfo, Elizabeth Hardwick, Machado de Assis, entre muitos outros.

O Fazedor de Velhos 5.0
Rodrigo Lacerda
Companhia das Letras

Mais de uma década depois da publicação do aclamado O Fazedor de Velhos, Rodrigo Lacerda retoma a história de Pedro nesta sequência extraordinária. Um sensível e brilhante romance de formação. Prestes a completar cinquenta anos, parte da vida adulta de Pedro já se passou, e, como costuma acontecer, incluiu um punhado de tristezas e fracassos. Seu casamento com Mayumi não correu como o esperado, mas eles tiveram três filhos: Carlos, o mais velho, é também o mais problemático; Estela, a do meio, é uma estudante universitária, politicamente engajada e confrontada com um grande desafio de amadurecimento; e André, o caçula, é, nas palavras do pai, “uma mistura química de resultados imprevisíveis”. A eles se juntam novos e incríveis personagens, como Filomena, uma milionária excêntrica, de coração ainda maior do que sua conta bancária; Rodolfinho “Puccini”, um editor e colecionador de arte; e, por fim, José Roberto, o namorado de Estela, líder estudantil em um cenário político conturbado, que guarda ecos das manifestações de 2013 e de tudo que o Brasil viveu desde então. Embora este O Fazedor de Velhos 5.0 seja independente do livro anterior, o leitor terá a chance de constatar, não sem ternura, que a autodescoberta e o amadurecimento se dão em todas as idades. Nunca cessamos de aprender e de mudar ― é o que parece nos dizer a todo momento este romance emocionante, escrito por um dos principais autores da literatura contemporânea brasileira.

“UMA COMBINAÇÃO EXPLOSIVA DE SUSPENSE, FICÇÃO CIENTÍFICA E TERROR TECNOLÓGICO PARA QUEM É FÃ DE JURASSIC PARK E BLACK MIRROR” – RAPHAEL MONTES (AUTOR DE “JANTAR SECRETO” E “SUICIDAS”)

As Testemunhas: Na Mira do Tráfico
Cácia Leal
Novo Século

Víctor e seus amigos sempre deixaram bastante claro que gostavam de viver intensamente, ainda que isso significasse desafiar qualquer forma de autoridade. Kefer tinha a certeza de que a cidade de Lauro Müller seria perfeita para montar seu cartel e colocar em movimento uma rede de tráfico que conectaria toda a região Sul do Brasil. Uma tarde de domingo aparentemente corriqueira; o encontro com um caçador misterioso; um corpo boiando no rio, remexendo-se com o molejo da água… A partir de então, nada mais seria como antes. Mais que uma história sobre assassinatos, tráfico de drogas e investigação policial. Uma trama envolvente, que retrata a transformação de uma simples aventura na maior tragédia da vida de seis jovens. Uma narrativa que expõe as entrelinhas de famílias notórias e bem-sucedidas profissionalmente. Um livro empolgante e surpreendente do início ao fim.

La Casa de Papel: Escape Book: O Diário do Professor
Ivan Tapia, Linde Montse
Outro Planeta

Escape Book baseado na série La Casa de Papel. Sergio Marquina, mais conhecido como “o Professor”, líder do maior roubo da história da Espanha, passou parte de sua infância e adolescência no hospital de San Juan de Dios de San Sebastián, onde se tornou amigo de Jero Lamarca. Nos piores dias de Jero, Sergio, que já revelava ter uma mente privilegiada, criou jogos para manter sua amigo acordado. Quando Sergio se perdia nos pensamentos, era Jero que o trazia de volta ensinando-o a fazer dobraduras de papel. Já faz um tempo desde o roubo milionário na Casa da Moeda. Hoje, enquanto junta as poucas coisas restantes na oficina de motocicletas prestes a fechar, Jero recebe um pacote. No interior, uma carta não assinada, um caderno, uma caixa fechada com cadeado, uma foto de uma máscara de Dalí e uma gravata vermelha. Jero não tem dúvidas. Lá fora, Sergio Marquina o deixou um tesouro escondido, uma nova oportunidade. Ele só precisa desvendar as pistas para encontrá-lo. E você? Será capaz de chegar ao final?

Andrizy Bento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s