Nas Prateleiras: Lançamentos de Livros – Julho (2019)

O universo parece conspirar para que julho seja um mês definitivamente glorioso em todos os sentidos, inclusive literário! Uma infinidade de lançamentos maravilhosos invade as prateleiras das livrarias e muitos deles, provavelmente, virão parar nas estantes pessoais dos editores e redatores do site. Aceitamos de aniversário vários dos títulos abaixo, hein? Só uma dica 😉

Obra-prima da literatura holandesa e um manifesto social que se distancia do formato de manifesto, Max Havelaar finalmente ganha sua primeira tradução direta para o português pelas mãos de Daniel Drago e lançada pela editora Âyiné. Ainda falando de clássicos, a Ubu Editora traz Coração das Trevas, referência cultural sobre os horrores da colonização e que inspirou nada menos do que Apocalypse Now de Francis Ford CoppolaAs Anônimas de Amy Reed sai pela Única, apresentando aos leitores não apenas uma acusação contra a cultura do estupro como um retrato honesto do turbulento e confuso período da adolescência e sua intrínseca relação com a sexualidade. A Galera lança Especial de Ryan O’Connell, que deu origem à série Special, da Netflix e relata os desafios de ser um jovem gay com paralisia cerebral e… Millennial.

O vencedor do Pulitzer de ficção de 2018 aporta em território nacional pela Record. Trata-se de As Desventuras de Arthur Less de Andrew Sean Greer, uma história de amor que vale a pena conferir. A Globo Livros traz dois títulos de Jamie Ford: o promissor Amor e Outros Prêmios de Consolação e uma edição comemorativa incluindo um capítulo inédito do best-seller Um Hotel na Esquina do Tempo. Um thriller sombrio e perturbador e com uma das premissas mais intrigantes dos últimos tempos é O Bom Filho, da escritora coreana You-jeong Jeong, relançamento da Todavia.

Do mesmo autor do celebrado Trainspotting, Irvine Welsh, a Rocco apresenta uma nova edição do ácido Cola. Pela Arqueiro, sai o sétimo volume da série que é um sucesso editorial, Outlander: Ecos Do Futuro de Diana Gabaldon. Falando em sequências e na Arqueiro, a editora lança ainda o terceiro volume da série Os Rokesbys de Julia Quinn: Um Cavalheiro a Bordo. A Companhia das Letras traz uma nova edição de um clássico contraventor da literatura russa, com tradução direta de Rubens Figueiredo e posfácio de Henry JamesPais e Filhos de Ivan Turguêniev. A Faro apresenta um título imperdível que, certamente, fará parte da nossa coleção pessoal: o nostálgico, recheado de cultura pop, retrato do final da década da maravilhosa década de 1990 que narra as delícias do primeiro amor, Feitos De Sol de Vinícius Grossos. Para finalizar, a Pequena Zahar vem com uma pequena pérola que ainda leva um título excelente; o aclamado pela imprensa internacional O Muro no Meio do Livro de Jon Agee vem com uma mensagem atemporal sobre o preconceito. Abaixo, você confere capas e sinopses dos principais lançamentos editoriais do mês de julho.


Diário de Rowley: Um Garoto Supimpa
Jeff Kinney
V&R

Greg Heffley está enrascado. Rowley, seu melhor amigo, agora tem um diário. Ou seria um “livro de memórias”? Bom, não importa. O que importa é que chegou a vez de Rowley contar a história da amizade dos dois. E não só isso. Ele ainda escreverá a biografia de Greg, afinal, ele será rico e famoso um dia, e alguém precisa registrar os primeiros passos de uma celebridade. Diário de Rowley: Um Garoto Supimpa oferece uma nova e divertida maneira de ver o universo de Diário de um Banana.

Max Havelaar
Multatuli
Ayine

“Sou corretor de café e moro na Lauriergracht, no 37.” Com essa frase de abertura tanto prosaica quanto memorável começa o maior clássico da literatura holandesa, publicado em 1860, explodindo como se fosse uma bomba dupla: como uma obra-prima literária e um ato de acusação social. Definido como “o livro que matou o colonialismo” e uma obra de devastadora modernidade, seja pela refinada estrutura narrativa, seja pela força em denunciar crimes que adornam a história do imperialismo ocidental. Não é à toa que quando foi publicado, Max Havelaar (1860) tenha causado um terremoto político e literário, sendo considerado até hoje o principal romance da história da Holanda. Usando o pseudônimo de Multatuli, Eduard Douwes Dekker, um ex-assistente-residente (cargo semelhante ao de vice-governador), denuncia a corrupção e o massacre praticados pelo governo holandês nas então Índias Holandesas, atual Indonésia. Mas não o faz de maneira simples. Batavus Droogstoppel, mercenário corretor de café, recebe uma caixa cheia de manuscritos de um conhecido seu, Max Havelaar, e pega um deles para ler, onde Havelaar conta suas experiências como ex-assistente-residente, lutando contra um sistema político corrompido. Misturando diversos gêneros literários — peça de teatro, poemas, cartas, listas, parábolas, contos, notas, documentos — de forma extremamente inovadora e moderna, Max Havelaar sempre é comparado a Dom Quixote e Tristram Shandy. Segundo o crítico Otto Maria Carpeaux, cujo prefácio consta nesta edição, «o livro ocupa na literatura universal lugar de grande importância». Max Havelaar provocou intensas reformas na política holandesa — «é o livro que matou o colonialismo», segundo o escritor indonésio Pramoedya Ananta Toer, além de ter virado sinônimo de comércio justo — e foi estudado por intelectuais de diversas áreas, como Freud, Lênin, Mahler, Hermann Hesse. Traduzido para mais de quarenta línguas, Daniel Dago traz à luz a primeira tradução direta de Max Havelaar em português.

Baal: Um Romance da Imigração
Betty Milan
Record

O que significa ser o estrangeiro? Em Baal, Betty Milan conta um romance da imigração. Baal é uma história familiar. O patriarca e personagem principal, Omar, narra um drama sempre atual: o da imigração. No final do século XIX, quando seu melhor amigo é capturado por uma milícia para servir no exército inimigo, Omar é forçado a sair do seu país no Oriente Médio. Ao fugir da aldeia, coração partido, jura que voltará para buscar a família e a noiva. Embarca para os trópicos, atravessa o oceano e começa a vida na mascatagem, como os conterrâneos que emigraram para o Novo Mundo. Valendo-se da sua força física e da inteligência, vence as dificuldades, torna-se um próspero atacadista e constrói um palácio, Baal, “uma joia do Oriente no Ocidente”, para sua filha única, Aixa, e a família dela. Só que, depois de falecer, os descendentes dilapidam a sua fortuna. O patriarca, que morreu sem poder descansar em paz por causa dos conflitos familiares, vê a guerra do país natal se repetir no país da imigração. Indignado com o comportamento dos netos, Omar os culpa por não se darem conta da sua luta e do alto custo do berço de ouro que lhes proporcionou. Associa a crueldade deles à vergonha das origens. Diz que, além de xenófobos, são desmemoriados, “sucumbiram no fundo negro do esquecimento”. Para se opor a isso, ele relembra a história. A rememoração o obriga, no entanto, a reconhecer os seus erros. Não se empenhou em transmitir o que aprendeu na travessia e, por preconceito em relação às mulheres, não formou a filha para ser sua sucessora. Valeu-se dela para animar Baal, o seu pequeno império tropical, e não para que o palácio continuasse a existir depois da sua morte e se tornasse o que deveria ter sido, um memorial da imigração.

Coração das Trevas
Joseph Conrad
Ubu Editora

Obra-prima da literatura inglesa, o Coração das Trevas se tornou também uma referência cultural sobre os horrores da colonização. A história de Marlow, capitão de um barco a vapor, em sua ida de encontro a Kurtz, um explorador de marfim de métodos questionáveis, que vivia entre os selvagens do Congo e precisava ser levado de volta à civilização. O romance mergulha no mundo interior do personagem principal, em busca do inominável, tendo as trevas da selva africana como imagem do inconsciente. O livro ficou conhecido ainda por ter inspirado o filme Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola. A artista plástica Rosângela Rennó é autora das imagens do livro. A edição traz um posfácio inédito do escritor Bernardo Carvalho, ensaios críticos de Walnice Nogueira Galvão e Paulo Mendes Campos, e um texto in memoriam que Virginia Woolf escreveu sobre Conrad.

As Anônimas
Amy Reed
Única

Mas quem são essas garotas? Quem são as Anônimas? Elas são todas as garotas do mundo! E estão em toda parte. GRACE SALTER é nova na cidade. Sua família foi expulsa de sua antiga comunidade depois que sua mãe, uma pregadora fanática, tornou-se uma radical liberal após sofrer um acidente e bater a cabeça muito forte. ROSINA SUAREZ, queer punk, pertence a uma família mexicana imigrante e muito conservadora. Seu maior sonho é viver de música em vez de trabalhar como babá dos seus primos e servir mesas no restaurante do seu tio. ERIN DELILLO é obcecada por duas coisas: biologia marinha e Jornada nas Estrelas. Mas essas duas coisas não são o suficiente para distraí-la da sua real suspeita: ela poderia ser, de fato, um androide. Quando Grace descobre que Lucy Moynihan, antiga ocupante de sua nova casa, foi expulsa da cidade por ter acusado os garotos mais populares do colégio de estupro coletivo, fica indignada pela garota nunca ter conseguido se vingar e ela não é a única. Grace está determinada a fazer algo a respeito do que aconteceu com Lucy. Ela, Rosina e Erin formam um grupo no colégio para resistir à cultura do sexismo e boicotar o sexo de qualquer gênero com os meninos. Contada em diferentes perspectivas, essa história empolgante é não só uma acusação contra a cultura do estupro, como também explora, com honestidade, as mais profundas perguntas sobre adolescência e sexualidade.

Em Busca da Nossa Melhor Versão
Luisa Peleja
Labrador

Nestas 66 crônicas, Luísa mergulha dentro de si para entender, aceitar e desfrutar de cada etapa e transformação da vida de forma positiva, instigando o leitor a fazer o mesmo. Por meio dos textos, mostra que a felicidade mora em todo o caminho durante a busca pelo destino final: o autoconhecimento. As crônicas são como terapia e autoanálise. Uma série de informações e pensamentos digeridos e colocados para fora, de uma forma leve, como a vida deve ser.

Ursinho Procura Seus Sete Amigos – Livro Cartonado
Daniela Kulot, Antonio Erivan Gomes
Telos Editora

Um livro de procura e acha que a criança lerá repetidas vezes, para contar histórias, para procurar e descobrir novas amizades.

Para Contar na Cama
Daniela Kulot
Telos Editora

Aprenda a contar com corças, castores e ovelhas. Um livro ilustrado para contar, rimar e sonhar. Para ler com seu filho pequeno a qualquer hora, mas principalmente na hora de dormir.

Quase Ninguém Viu
Aline Abreu
Jujuba Editora

De onde viemos? Quem são nossos pares, família, que estarão sempre com a gente? Aline Abreu, escritora e ilustradora deste já premiado livro (vencedor do Prêmio João-de-Barro de Livro Ilustrado 2016), traz esta e outras questões que permeiam nossa existência pela voz de um sapinho, que se perde de sua família e vive em busca de sua essência. Poeticamente, a autora nos mostra que, quando juntos, somamos nossas diferenças e compartilhamos nossos melhores afetos.

Especial
Ryan O’Connell
Galera

O livro que deu origem à série Special, da Netflix. Como se os desafios de ser um jovem gay com paralisia cerebral não fossem o bastante, Ryan O’Connell viveu todos os clichês de um Millennial. Ele passou a segunda década de sua vida estagiando para divas delirantes, engolindo todos os remédios que conseguia encontrar pelo caminho e tentando achar o amor verdadeiro ― coff coff ― no Grindr. Mas depois de tanta tentativa e erro, Ryan pode dizer, com propriedade, que mancou elegantemente todo o caminho para a vida adulta. Especial, seu (hilário) relato autobiográfico, é uma reflexão sobre o mundo cruel que espera jovens de vinte e poucos anos superprotegidos pelos pais e uma lição de como encontrar a si mesmo em meio às disputas por likes e seguidores.

As Desventuras de Arthur Less
Andrew Sean Greer
Record

Uma divertida sátira da vida no livro vencedor do Pulitzer de ficção de 2018. Arthur Less é um escritor medíocre prestes a completar 50 anos. Certo dia, recebe um convite de casamento: o homem com quem teve um relacionamento não tão sério assim nos últimos nove anos está com data marcada para se casar. Ele não pode dizer que vai, pois seria estranho demais, e não pode dizer que não vai, já que seria o mesmo que admitir a derrota. Less pensa: “O que eu posso fazer para não estar na cidade na época do casamento?” Então, em sua mesa, vê vários convites para eventos literários menores no mundo inteiro. O que ele faz? Aceita todos! O que poderia dar errado? Arthur Less quase se apaixona em Paris, por pouco não morre caindo em Berlim, foge de uma tempestade de areia no deserto do Saara, reserva, por acidente, estadia em um retiro cristão na Índia e encontra, em uma ilha deserta no mar Arábico, a última pessoa que gostaria de ver no mundo. Em algum lugar, no meio disso tudo, ele faz 50 anos. E, em algum momento em meio a isso tudo, ele encontra seu primeiro amor. E seu último. Porque, apesar de todos esses erros, de todos esses mal-entendidos, de todos esses enganos, As Desventuras de Arthur Less é uma história de amor.

Loucamente Apaixonada na Livraria dos Corações Solitários (Vol. 3: A Livraria dos Corações Solitários)
Annie Darling
Verus

Novo romance da série A Livraria dos Corações Solitários, sobre a vida dos funcionários da livraria que, por uma razão ou outra, desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam. Cheia de tatuagens e com o cabelo cor-de-rosa, a dublê de pinup, Nina, adora bad boys ― quanto mais cara de mau, melhor. Apesar dos receios de seus amigos, ela acredita firmemente que o amor verdadeiro só tem uma forma: selvagem, intenso e pontuado por brigas tempestuosas ― como na história de Heathcliff e Cathy, o casal angustiado de O Morro dos Ventos Uivantes. E ela não vai se contentar com nada menos que isso. Mas anos de encontros marcados por aplicativo não trouxeram nada além de caras esquisitos e paqueras banais, e Nina não está nem um pouco mais perto de encontrar o amor. Quando um homem de seu passado entra na livraria, Nina sabe que não tem nada a temer: o garoto mais nerd da escola se tornou um analista de negócios tedioso que combina o terno com a gravata, sem chance de fazer seu coração bater mais rápido. O que só mostra quão pouco Nina sabe sobre bad boys, analistas de negócios e o próprio coração… Este é mais um romance delicioso da série A Livraria dos Corações Solitários, sobre a vida dos funcionários da livraria, um “alegre bando de desajustados”, que por uma razão ou outra desistiram do amor e, ainda assim, o encontram quando menos esperam.

Das Terras Bárbaras
Ricardo Da Costa Aguiar
Tordesilhas

O que pode ligar um jesuíta do século XVII a um jovem diplomata dos nossos dias? Muita coisa, sobretudo se o funcionário for descendente do padre. Das Terras Bárbaras conta o sofrimento do jesuíta Diogo Vaz de Aguiar, seus percalços e deleites no Novo Mundo. Entre seus fabulosos personagens, há vários históricos, e as pessoas verídicas daquele tempo emprestam realismo a uma narrativa de muitas guinadas. Das Terras Bárbaras não é apenas repleto de surpresas, mas tem cheiro, gosto, cores e sons do Brasil seiscentista, do Portugal barroco, da África colonial, da São Paulo metrópole, da Lisboa moderna e até de Brasília. É um romance sobre arrebatamentos e temores de todos os tamanhos.

Cancún
Miguel Del Castillo
Companhia das Letras

Entre a Barra da Tijuca e o balneário mexicano de Cancún, um comovente romance de formação, mergulho de rara sinceridade em temas como religião e paternidade. Às portas da adolescência, Joel sente-se deslocado entre os amigos da escola e do prédio onde mora. O ano é 1998 e o mundo parece cada vez mais um lugar ameaçador. Ao mesmo tempo em que busca acolhimento em um grupo de jovens de uma igreja evangélica, entra em colisão com o modo de vida do pai, que acaba de regressar ao Brasil após quatro misteriosos anos na cidade de Cancún. Décadas depois, com a morte do pai, longe da religião e prestes a ter um filho, Joel decide voltar, sozinho, ao balneário mexicano. Ao tentar repetir os passos paternos, uma viagem simples se torna complexa, e o que se evidencia são os caminhos que levaram Joel a ser quem é. Com uma prosa clara e irretocável, Miguel Del Castillo faz o retrato de uma classe forjada em condomínios fechados e paraísos fiscais, em colégios onde a violência é a regra e no brilho plástico dos fast foods. Um dos romances mais surpreendentes da nova geração de autores brasileiros.

“Miguel Del Castillo conduz o leitor com firme serenidade por um relato impecavelmente estruturado, no qual a família é a expressão imperfeita e acolhedora dos mistérios da vida.”Daniel Galera

“Nesta jornada sutil de reconhecimento do pai, o que está em jogo, ao fim, são as zonas de sombra de todos nós.”Noemi Jaffe

Amor e Outros Prêmios de Consolação
Jamie Ford
Globo Livros

Para Ernest Young, um órfão de doze anos, descendente de chineses e aluno bolsista de um internato, a chance de ir à Feira Mundial de Seattle parece um milagre. Porém, assim que se vê entre as exibições exóticas, os fogos de artifício e as rodas-gigantes, ele descobre que será um dos prêmios do grande sorteio realizado naquela noite. O bilhete vencedor pertence à extravagante dona de um bordel de luxo. Ernest se torna seu novo empregado e, contra todas as possibilidades, encontra o amor e o lar que sempre desejou. Entretanto, quando uma onda de protestos pela moralidade toma conta de Seattle, Ernest e seus amigos veem o futuro de seu negócio ameaçado e precisarão unir forças para garantir sua sobrevivência. Em um cenário exuberante de amor, coragem, glamour e vício, Amor e Outros Prêmios de Consolação é uma história emocionante sobre inocência e devoção em um mundo onde tudo, e todos, podem estar à venda.

Um Hotel na Esquina do Tempo
Jamie Ford
Globo Livros

EDIÇÃO COMEMORATIVA DE UM DOS MAIORES BEST-SELLERS DE TODOS OS TEMPOS, EM NOVA EDIÇÃO COM CAPÍTULO INÉDITO Mais do que uma história a respeito de um casal que luta para ficar junto apesar da oposição de suas famílias – que, após imigrarem para o Novo Mundo, resgatam rixas ancestrais entre japoneses e chineses – e das atrocidades da Segunda Guerra Mundial, Um Hotel na Esquina do Tempo é um romance inesquecível sobre os danos causados por um dos mais bárbaros conflitos criados pelo homem. A trama, porém, ultrapassa os já tão conhecidos infortúnios dos campos de batalha para mostrar as dores causadas nos corações e nas almas das pessoas comuns, que tentam sobreviver, encontrar a felicidade e amar, apesar de todas as adversidades.

“Uma história de Romeu e Julieta entre famílias chinesas e japonesas durante a Segunda Guerra que vai além de todos os clichês e se tornou um clássico moderno” ― The Seattle Times

Ideias Para Adiar o Fim do Mundo
Ailton Krenak
Companhia das Letras

Uma parábola sobre os tempos atuais, por um de nossos maiores pensadores indígenas. Ailton Krenak nasceu na região do Vale do Rio Doce, um lugar cuja ecologia se encontra profundamente afetada pela atividade de extração mineira. Neste livro, o líder indígena critica a ideia de humanidade como algo separado da natureza, uma “humanidade que não reconhece que aquele rio que está em coma é também o nosso avô”. Essa premissa estaria na origem do desastre socioambiental de nossa era, o chamado Antropoceno. Daí que a resistência indígena se dê pela não aceitação da ideia de que somos todos iguais. Somente o reconhecimento da diversidade e a recusa da ideia do humano como superior aos demais seres podem ressignificar nossas existências e refrear nossa marcha insensata em direção ao abismo. “Nosso tempo é especialista em produzir ausências: do sentido de viver em sociedade, do próprio sentido da experiência da vida. Isso gera uma intolerância muito grande com relação a quem ainda é capaz de experimentar o prazer de estar vivo, de dançar e de cantar. E está cheio de pequenas constelações de gente espalhada pelo mundo que dança, canta e faz chover. […] Minha provocação sobre adiar o fim do mundo é exatamente sempre poder contar mais uma história.” Desde seu inesquecível discurso na Assembleia Constituinte, em 1987, quando pintou o rosto com a tinta preta do jenipapo para protestar contra o retrocesso na luta pelos direitos indígenas, Krenak se destaca como um dos mais originais e importantes pensadores brasileiros. Ouvi-lo é mais urgente do que nunca. Ideias Para Adiar o Fim do Mundo é uma adaptação de duas conferências e uma entrevista realizadas em Portugal, entre 2017 e 2019.

Mil Sóis: Poemas Escolhidos
Primo Levi
Todavia

Uma seleção de poemas de Primo Levi no ano de seu centenário. Com uma poesia bissexta, escrita em períodos fervorosos de criatividade, a lírica de Primo Levi atravessou diversas fases. Em todas, temas como a sobrevivência em meio às catástrofes e a desumanização se unem a um registro delicado que parece buscar a claridade, a comunhão e o amor por todos os seres vivos. Nesta antologia, preparada por Maurício Santana Dias, o leitor brasileiro conhecerá a poesia de um escritor que transformou o compromisso moral em alta literatura, e a força da memória, em um verdadeiro ofício.

O Bom Filho
You-jeong Jeong
Todavia

Um thriller sombrio e surpreendente escrito por uma das maiores autoras coreanas da atualidade. Jovem nadador com um futuro brilhante, Yu-jin vê sua carreira ser interrompida pela epilepsia. Os remédios que previnem seus ataques acabam por cobrar um preço alto, e o sonho de ser um esportista é sepultado para sempre. Isso não o impede de sair escondido todas as noites para correr, contrariando sua mãe. Para ele, os riscos à saúde não se comparam aos prazeres da velocidade e da força. Em uma manhã qualquer, Yu-jin desperta sentindo cheiro de sangue. Tudo indica que tenha sofrido um ataque epiléptico à noite, mas, ao percorrer o apartamento, encontra o corpo da mãe ao pé da escada. Aos poucos, sua memória vai voltando, e ele tem a lembrança de tê-la ouvido chamar seu nome. Não está certo, no entanto, se ela pedia ajuda ou se tentava salvar a própria vida. Começa assim a busca desesperada do protagonista para esclarecer o que ocorreu na noite anterior. Juntando algumas poucas pistas, Yu-jin tentará montar o quebra-cabeça e descobrir o assassino. Conforme prossegue na investigação, procurará na própria memória as explicações para o crime, mas o passado esconde armadilhas mais tenebrosas do que ele pode prever. O Bom Filho, fenômeno literário que rendeu a You-Jeong Jeong o apelido de Stephen King coreana, é um thriller psicológico e um mergulho no que há de mais sombrio na alma humana. A cada resposta abrem-se mais perguntas. Neste romance perturbador e surpreendente o terror se esconde onde menos se espera.

Esboço
Rachel Cusk
Todavia

Quando Esboço foi publicado originalmente, em 2014, um pequeno furor tomou conta do mundo literário. Como era possível uma trama tão simples e uma escrita tão desprovida de artifícios produzir um efeito tão poderoso? Uma escritora vai à Atenas, em um verão particularmente quente, para ministrar um curso de criação literária. Ela propõe aos alunos exercícios de narrativa. Ela vai a restaurantes com amigos. Ela sai para um passeio de barco com um grego que encontra no avião. As pessoas a seu redor falam livremente sobre suas fantasias, ansiedades, teorias, arrependimentos e desejos. A vida familiar ocupa o centro das conversas: relacionamentos interrompidos, casamentos frustrados, os dilemas da maternidade, as encruzilhadas profissionais à medida que a idade avança. Esboço é o primeiro de livro de uma trilogia magistral ― os seguintes são Trânsito e Kudos ―, a ser lembrada como uma das grandes conquistas literárias do nosso tempo.

Bom Crioulo
Adolfo Caminha
Todavia

Clássico do romance naturalista, é um retrato poderoso do Brasil do século XIX e se tornou uma referência da nossa melhor literatura. Amaro é um escravo foragido que, ingressando na Marinha, vê realizar-se seu sonho de liberdade. Graças ao biótipo sólido e sua quase inesgotável força física, torna-se um marujo voluntarioso e benevolente, recebendo o apelido de “Bom Crioulo”. É nessa nova etapa da vida que conhece Aleixo. Surge então uma história de desejo, frustração e tragédia. A publicação causou polêmica ao mostrar seus protagonistas ― um negro e um branco ― em uma relação homossexual.

A Pequena Princesa
Frances H. Burnett
Nova Fronteira

Ao contrário da bem-nascida Sara, protagonista desta história, Frances Hodgson Burnett (1849-1924) passou um longo período de dificuldade financeira até estabelecer-se como escritora e dramaturga, tendo escrito outros livros, como O Pequeno Lorde e O Jardim Secreto. Nesta versão do clássico de 1905, Sara vai da riqueza, exibida em vestidos e brinquedos, à desgraça, após a falência e o falecimento do pai. Órfã, essa doce, altiva e inteligente menina passa a morar no sótão e a sofrer a humilhação de Miss Minchin, sempre severa e odiosa. Mas o destino ainda lhe reserva outra reviravolta, com direito a elementos inesperados para esta história deliciosa e cativante.

Spoonbenders: A Fabulosa Família Telemachus
Daryl Gregory
Fábrica231

Finalista do prêmio Nebula de melhor livro (2017)
Finalista do prêmio Locus de melhor livro de fantasia (2018)
Finalista do World Fantasy Award de melhor livro (2018)

Em meados dos anos 1960, em plena Guerra Fria, Teddy Telemachus, um sedutor trapaceiro nas cartas e nos truques de mágica, resolve participar de um estudo secreto do governo federal sobre habilidades paranormais. Lá ele conhece Maureen McKinnon, uma paranormal legítima, dotada de misteriosos poderes psíquicos, por quem se apaixona. Eles se casam, têm três filhos, todos com dotes excepcionais: Irene é um detector de mentiras humano, Frankie possui o dom da telecinese, e Buddy é capaz de prever – ou melhor, recordar – o futuro. Em pouco tempo, os cinco começam a sair em turnês para exibir seus poderes, ficando conhecidos nacionalmente como A Fabulosa Família Telemachus. Até que, um dia, sua fama se quebra ao serem desmascarados em um influente programa de TV exibido em todo o país. A partir daí, tem início a tragédia na vida de uma família que se esfrangalha em dívidas financeiras e instabilidade emocional. Em Spoonbenders, Daryl Gregory, premiado autor de histórias fantásticas e de terror, desfia um elenco de personagens excêntricos, problemáticos e extremamente envolventes em uma complexa saga familiar que mistura melodrama, humor, a máfia de Chicago e programas secretos de agências governamentais com a dinâmica de uma família socialmente inepta, mas, ao seu modo, bastante unida. Fascinante como os poderes dos Telemachus, Spoonbenders é a hilária e comovente história de uma família de talentosos sonhadores, e as forças invisíveis que ligam uns aos outros.

Na Ponta dos Dedos
Sarah Waters
Rocco

Criada em uma casa habitada por pequenos ladrões em um beco escuro da Londres vitoriana, a órfã Sue Trinder é criada pela Sra. Sucksby com uma ternura incomum ao ambiente em que vive. Perto de completar dezoito anos, Sue é cooptada por um vigarista de infame alcunha, Sir Gentleman, a participar de um esquema ardiloso quando vai trabalhar como criada na bucólica mansão do velho Christopher Lilly, um excêntrico que vive recluso, cercado de livros, ao lado da sobrinha, a também órfã Maud. A tarefa de Sue é ganhar a confiança de Maud e persuadi-la a cair nos encantos do golpista, que, após desposá-la, pretende interná-la em um manicômio e desfrutar de sua fortuna. O que se apresenta como uma simples armação se revela uma trama cada vez mais complicada à medida que uma delicada relação se desenvolve entre as jovens órfãs. Desse encontro carregado de erotismo, tensão e jogos psicológicos, surgirá uma união que fará frente aos obstáculos que surgem no caminho de ambas ao longo de uma aventura instigante, repleta de surpresas e reviravoltas. Com diálogos afiados e provocativos e um completo domínio narrativo, Sarah Waters constrói uma trama dickensiana onde nada é o que parece ser. Na Ponta dos Dedos foi adaptado para a TV em 2005, em uma minissérie da BBC, e também para o cinema, pelo diretor coreano Park Chan-wook como A Criada, filme vencedor do prêmio BAFTA de melhor filme estrangeiro, em 2018.

Como Eu Escrevi As Guerras Zumbi
Aleksandar Hemon
Rocco

Joshua Levin mora sozinho em Chicago, em um apartamento meia-boca, tem uma família disfuncional, uma psicóloga infantil com quem namora, um senhorio, também seu vizinho, veterano de guerra com surtos psicóticos de violência sempre que ouve Guns N´Roses e um laptop com centenas de ideias de roteiros inacabados. Ideia de roteiro 12: O DJ Spinoza é um desajustado incompreendido: por seus colegas de escola, por seus amigos, por seus professores. Seu único sonho é ser DJ na noite do seu baile de formatura e detonar com todos esses babacas. Mas depois que sua performance radical e desastrosa nos pratos estraga uma festa na casa da garota (Rise) com quem pretende ficar, ele acaba sendo castigado. O que fazer para que todos dancem e Rise se apaixone por ele? Título: Espiral fora de controle. Em meio à invasão americana do Iraque, a uma paixão repentina e avassaladora por uma aluna bósnia e a seus devaneios filosóficos sobre arte, vida e morte regados a Spinoza e John Wayne, em um dia abarrotado de cafeína, Joshua tem uma ideia de roteiro de cinema que pode salvá-lo ou colocá-lo de vez no caos: Guerras zumbi. O governo americano tem um programa secreto para transformar a todos em escravos zumbis de fábricas por meio da disseminação de um vírus. “É sobre zumbis. E guerras”, assim descreve Joshua de maneira resumida e abrupta o seu roteiro ou os absurdos acontecimentos e pessoas que atravessam a sua vida. O que pode servir como uma descrição desse polifônico e hilariante romance de Aleksandar Hemon, construído como uma comédia de erros literária que esboça com acidez os ideais nobres se esfacelarem na realidade deprimente. Zumbis e guerras estão em toda parte. Mesmo dentro de nós.

Cola
Irvine Welsh
Rocco

A história de quatro garotos criados entre os conjuntos habitacionais e ruas de Edimburgo e as experiências que os ligam por três décadas, da infância à idade adulta. São eles: Juice Terry, desempregado por opção, viciado em sexo e com dedos perigosos; Billy, o boxeador amador, sempre com a cabeça no lugar e a um passo de se tornar profissional; Carl, o Garoto Milky Bar, cujo amor pela música o leva a ser um destacado DJ nos clubes locais; e Gally, aquele que tem uma couraça mais frágil que os demais e parece encontrar uma tragédia em cada esquina da cidade. Enquanto acompanhamos suas vidas desde a década de 1970 até a virada do século – do punk ao techno, das anfetaminas ao ecstasy –, vemos cada um deles tentando se libertar do condicionamento de classe e cultura, das pressões sociais e da esperança de pais e mães de que os filhos realizem mais do que eles próprios realizaram. Em meio às turbulências, dois elementos unem o quarteto: a amizade formada nos conjuntos habitacionais, na escola e pela ambição de escapar de ambos; e a lealdade forjada no código moral das ruas. Além das drogas, do sexo e da violência já marcantes na obra de Irvine Welsh, Cola traz como pano de fundo momentos-chave da história social recente da Escócia, enquanto investiga a energia irascível da classe trabalhadora escocesa no final do século XX, usando uma mistura compulsiva de dialeto lothiano, teoria socialista libertária e um irresistível humor politicamente incorreto. Com diálogos afiados, dotados de uma sentimentalidade brutal que permeia a amizade e o desespero desses homens, Welsh mais uma vez nos mostra o seu pleno domínio da técnica narrativa.

A Sétima Ordem
Michelly Gassmann
Ser Mais

Lavínia mora na cidade de Chantal e é apenas mais uma estudante e trabalhadora dentre tantas outras, pelo menos, era isso que ela imaginava. O único fato que a diferenciava de seus amigos era não ter conhecido seus pais biológicos. Quando pequena, foi adotada por Martha, que depois de muitos anos veio a falecer, deixando o apartamento, no qual ambas moravam, para Lavínia. Ao organizar os pertences deixados pela mãe adotiva descobre-se guardiã de um livro com capa preta, recheado de símbolos. A princípio, Lavínia não encontra lógica nos desenhos representados e passa a buscar o significado deles. O que seria o objeto encontrado por ela? Um dia, em busca de livros que a ajudassem nessa missão, conhece Logan, na biblioteca de sua cidade. Não poderia imaginar que esses dois, o livro e Logan, mudariam para sempre sua vida. Cinco extinções aconteceram no planeta e a sexta está por vir. Depois dela, uma nova ordem reinará. Claro que essa informação é privilegiada e só os responsáveis por essa mudança na história da humanidade e alguns seguidores da organização secular, criada com o objetivo de estabelecer uma evolução, estão a par. “A morte não será o fim, mas sim o começo de uma nova vida, onde apenas os escolhidos exercerão o poder sobre a face da Terra, e onde a foice não os alcançará…”. Mas, o que é preciso para que essa nova era chegue? A jovem Lavínia tem papel fundamental nessa empreitada e descobrirá a história de sua família de forma dolorosa. Mesmo desconhecendo este enredo, ela carrega uma responsabilidade grande e há muitas pessoas dispostas a fazerem com que ela cumpra o seu papel para que a nova ordem aconteça. O destino se encarrega de apresentá-la ao pai e a uma irmã, mas a chave dessa narrativa é a mãe. E Logan. Sem ele, a história não teria tomado os rumos que tomou e, talvez, Lavínia tivesse vivido com sua família.

Em Queda Livre
Julie Johnson
Pausa

A jovem de 20 anos Brooklyn “Bee” Turner já conhece o luto. Depois de testemunhar o brutal assassinato de sua mãe aos seis anos, Brooklyn cresce mantendo todos à distância. Quando tropeça, literalmente, em Finn Chambers – o vocalista de uma banda local e o homem que atrai todas as mulheres do campus – ela está despreparada para a insistência dele em fazer amizade, e para a perigosa atração que começa a sentir. Porque com Finn, ela sabe que seria mais do que apenas sexo. Mais do que apenas amizade. E talvez até mais do que apenas amor. Quando uma presença sinistra do seu passado ressurge, Brooklyn é levada ao limite. Pela primeira vez em quinze anos, ela irá confrontar sua tristeza e suas memórias, enquanto joga um jogo mortal de gato e rato com um inimigo inesperado.

Overlord Vol. 01 (Livro) – O Rei Morto-Vivo
Kugane Maruyama (Autor), So-bin (Ilustrador)
JBC

Era o último dia do jogo online “Yggdrazil”. Momonga, jogador assíduo com um personagem de aparência esquelética, esperava calmamente o servidor de seu tão amado jogo ser encerrado. Porém, mesmo depois do tempo estipulado, ele não foi deslogado. Ao olhar ao redor, NPCs começaram a agir e pensar por conta própria, e a guilda parecia ter sido enviada para uma outra realidade… Para tentar desvendar esse mistério, Momonga decide se tornar o maior feiticeiro nesse novo mundo e começa a espalhar a lenda da Guilda Ainz Ooal Gown!

Memórias Póstumas De Brás Cubas
Machado De Assis (Autor), Candido Portinari (Ilustrador)
Antofagica Editora

Brás Cubas está morto. Mas isso não o impede de relatar em seu livro os acontecimentos de sua existência e de sua grande ideia fixa: lançar o Emplasto Brás Cubas. Deus te livre, leitor, de uma ideia fixa. O medicamento anti-hipocondríaco torna-se o estopim de uma série de lembranças, reminiscências e digressões da vida do defunto autor. Publicado em 1881, escrito com a pena da galhofa e a tinta da melancolia, Memórias Póstumas de Brás Cubas é, possivelmente, o mais importante romance brasileiro de todos os tempos. Inovador, irônico, rebelde, toca no que há de mais profundo no ser humano. Mas vale avisar: há, na alma desse livro, por mais risonho que pareça, um sentimento amargo e áspero. A edição da Antofágica conta com 88 ilustrações de um dos expoentes da arte no Brasil, Candido Portinari, que chegam pela primeira vez ao grande público e dão uma nova camada de interpretação ao clássico. O livro traz ainda com notas inéditas e posfácio de Rogério Fernandes dos Santos, especialista na obra machadiana, um perfil do autor escrito por Ale Santos (@savagefiction), além de uma introdução de Isabela Lubrano, do canal Ler Antes de Morrer.

Outlander Vol. 7: Ecos Do Futuro
Diana Gabaldon
Arqueiro

SÉTIMO VOLUME DA SÉRIE OUTLANDER. Com mais de 27 milhões de livros vendidos, a série se tornou um enorme sucesso mundial e foi adaptada para a TV em 2014, ganhando o BAFTA e sendo indicada ao Globo de Ouro e ao Emmy.

“Tudo que você poderia esperar de Gabaldon: aventura, história, romance e fantasia.”The Arizona Republic

“Gabaldon é um fenômeno literário.”The Scotsman

UMA HISTÓRIA SOBRE FAMÍLIA. 1777, Carolina do Norte. Em meio à Revolução Americana, o ex-jacobita Jamie Fraser e sua esposa Claire precisam decidir de que lado sua família estará. A escolha deveria ser fácil, já que Claire nasceu no século XX. Mas as coisas nunca são simples para os Frasers. Jamie preferiria morrer a ter que enfrentar seu filho ilegítimo, um jovem tenente do Exército Britânico. Enquanto isso, na relativa segurança do século XX, a filha de Jamie e Claire, Brianna, e seu marido, Roger MacKenzie, estão vivendo em uma histórica casa escocesa onde, através de um abismo de dois séculos, o drama da história dos pais de Brianna vem à tona através de uma pilha de cartas de Claire. Essas frágeis páginas revelam o amor e a jornada dos dois saindo da Carolina do Norte pelo mar, onde encontram corsários e batalhas no oceano. Até agora, o amor do casal sobreviveu a todos os perigos que a história colocou em seu caminho, mas, no caos da guerra, com famílias divididas, o pior está prestes a acontecer. Com a participação de personagens históricos, como Benjamin Franklin, Ecos do Futuro é uma obra-prima de imaginação e aventura. Um romance que ecoará na mente do leitor por muito tempo depois que a última página for virada.

Nós, Os do Makulusu
José Luandino Vieira
Kapulana

Após anos fora das livrarias brasileiras, a Kapulana apresenta uma nova publicação deste grande clássico da literatura angolana: Nós, Os do Makulusu, de José Luandino Vieira. O romance traz uma narrativa que, não se rendendo a qualquer simplismo, aposta em uma composição cuja complexidade é capaz também de sofisticar a compreensão não apenas de determinado momento da história angolana, mas também de nossa trajetória coletiva como seres humanos. O protagonista, Mais-Velho, se junta a outras três personagens que cresceram juntas no Makulusu, bairro pobre de Luanda: Maninho, Paizinho e Kibiaka. O enredo, ambientado em um momento agudo da luta de libertação nacional, demonstra como a violência do colonialismo obriga os companheiros de aventuras infantis a escolherem caminhos inconciliáveis, alguns se envolvendo na luta armada e sendo presos, outros omitindo-se ou atendo-se ao trabalho clandestino. A obra foi escrita em 1967, quando o autor estava preso no Campo de Concentração do Tarrafal, na ilha de Santiago, em Cabo Verde. Sem dúvidas, este clássico, classificado entre os melhores romances do século XX nos rankings internacionais, é obra marcante da literatura universal.

Os Rokesbys 3: Um Cavalheiro a Bordo
Julia Quinn
Editora Arqueiro

TERCEIRO VOLUME DA SÉRIE OS ROKESBYS. Julia Quinn já vendeu mais 1 milhão de livros pela Editora Arqueiro.

“O terceiro volume dos Rokesbys apresenta um dos casais mais encantadores até agora. Os diálogos inteligentes de Julia Quinn fazem os personagens brilharem. Um verdadeiro presente para os fãs e para qualquer pessoa que adore romances de época.”Publishers Weekly

Ela estava no lugar errado… Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna. Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão. Ele a encontrou na hora errada… Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico. No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem dúvida sua imaginação está lhe pregando peças. Mas, não, ela é bastante real – e sua missão para com a Coroa o deixa preso a ela. Será que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos? Quando Andrew descobre que Poppy é uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo. Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, será que ele conseguirá conquistar o coração dela?

Pais e Filhos
Ivan Turguêniev
Companhia das Letras

Com tradução direta do russo feita por Rubens Figueiredo e posfácio de Henry James, nova edição do clássico da literatura russa chega ao Brasil. Quando o jovem estudante Arkádi Nikolaitch retorna para casa, está acompanhado de um amigo e mentor, que causa imenso desgosto ao seu pai e seu tio. O companheiro, Bazárov, despreza qualquer autoridade, é antissocial e se proclama niilista. O conflito geracional que se segue é ímpar na literatura. Publicado em 1862, Pais e Filhos continua a refletir o confronto entre gerações e as expectativas de um tempo anterior que se choca com as atitudes e os ideais dos momentos seguintes, esquecendo-se da potência transformadora da juventude. Com tradução direta do russo para o português, este clássico protagonizou uma das maiores polêmicas da literatura russa: Ivan Turguêniev foi acusado de ser responsável por atos criminosos cometidos por radicais influenciados por sua obra. De acordo com Rubens Figueiredo, tradutor do romance, “é mais do que provável que o leitor atual chegue ao fim de Pais e Filhos sem um julgamento conclusivo não só a respeito de Bazárov como também dos demais personagens. Mas sem dúvida terá gravadas no pensamento figuras humanas sem nada de vago ou de nebuloso”. Aqui, Turguêniev faz um sutil elogio à incerteza e não esquiva o leitor de se posicionar, simultaneamente, como pai e filho diante dos problemas de nossa época.

Cordialmente Cruel
Maureen Johnson
HarperCollins

O Instituto Ellingham é um famoso colégio privado em Vermont. Fundado por Albert Ellingham, um magnata do início do século XX, é um local maravilhoso, repleto de charadas, caminhos mirabolantes e jardins. “Um lugar”, nas palavras de seu criador, “onde aprender é um jogo.” Porém, em 1936, logo após a abertura da escola, a esposa e a filha de Ellingham são sequestradas. A única pista digna de ser seguida é uma debochada carta listando métodos para cometer um assassinato, assinada com o pseudônimo “Cordialmente, Cruel”. A polícia não consegue resolver o crime, que se torna um dos grandes enigmas da história dos Estados Unidos. Algo como aquilo jamais poderia acontecer novamente, é claro. Anos depois, Stevie Bell, aluna e detetive amadora, está pronta para começar seu primeiro ano no Instituto Ellingham, e tem um plano ambicioso: solucionar esse antigo caso. Isto é, depois de lidar com sua exigente vida escolar, seus deveres de casa e seus excêntricos colegas de classe. Mas algo estranho acontece. Cordialmente Cruel faz um retorno surpresa e a morte revisita a escola. O passado ressurge das cinzas. Alguém que se safou de um assassinato ainda está vivo. Será que Stevie e seus amigos vão conseguir desvendar a identidade do dono da assinatura? Primeiro livro de uma trilogia, Cordialmente Cruel mostra todo o talento e o amor que a escritora Maureen Johnson tem pela literatura policial, mas sem esquecer do seu público fiel, o que torna este livro uma obra rara, que mistura dois gêneros de maneira inesquecível.

A Família O’Brien
Lisa Genova
HarperCollins

Joe O’Brien é um policial de 44 anos que faz parte da comunidade irlandesa católica de Charlestown, Massachusetts. Ele é um marido presente, pai orgulhoso de quatro jovens e um respeitado oficial da lei. Quando Joe começa a sofrer com episódios de confusão mental, mudanças de humor e impulsos involuntários, ele atribui os episódios ao envelhecimento, ao cansaço e ao estresse do trabalho. Porém, conforme os sintomas pioram, ele é convencido por sua esposa a procurar um médico. O diagnóstico mudará sua vida e a de sua família para sempre: ele tem doença de Huntington. A doença é letal, neurodegenerativa, sem tratamento e genética. Cada um dos filhos de Joe tem 50% de chance de herdá-la e um simples exame pode revelar seus destinos. À medida em que observam seu possível futuro no avanço dos sintomas do pai, eles pensam sobre como suas vidas serão atingidas. Katie, a mais nova dos O’Brien, se preocupa em cuidar do pai e manter a família unida enquanto precisa lidar com as próprias questões: ela quer saber o resultado? E se seu gene for positivo? Ela consegue viver com a constante ansiedade de não saber a resposta? Conforme os sintomas pioram e Joe é afastado do trabalho, ele luta para manter sua identidade e propósito. Como encontrar coragem sem o colete e a arma? Preocupado com o que pode transmitir para seus filhos além de uma doença fatal e o exemplo que quer dar a eles, Joe lida com a realidade da morte e da culpa enquanto descobre a honra de viver e morrer com a doença de Huntington.

Voe Comigo ou Devolva Minhas Asas
Daniel Daarte
Companhia Editora Nacional

Voe Comigo ou Devolva Minhas Asas é baseado em fatos da vida do autor. É a relação entre o poeta e a sua musa e diálogos que ocorrem por entre os versos. Uma verdadeira viagem artística com poesias e desenhos sobre paixão, sexo, amor próprio, amor materno, relacionamento abusivo, morte e saudade. Uma verdadeira viagem poética pelos sentimentos e emoções humanas. O livro foi produzido com letras apropriadas para ajudar as pessoas com dislexia. São letras que permitem a leitura de todos. É impossível não se emocionar.

Box – Seja Imbatível
Jacob Petry
Faro

Um box completo para você se tornar Imbatível! As 16 Leis do Sucesso é um curso prático extraído de A Lei do Triunfo, que reúne as 16 poderosas lições que são as bases de toda filosofia de Napoleon Hill, o maior gênio na área da realização pessoal e psicologia aplicada de todos os tempos.Nesta edição moderna e revisada do clássico original, Jacob Petry, absorver e empregar as 16 poderosas leis para a criação do sucesso e da riqueza em sua vida. Provocativo e inspirador… SEJA SINGULAR trata das maiores questões envolvendo a transformação pessoal. Muitas pessoas jamais experimentam o imenso potencial que tem dentro de si, mesmo em grau moderado. Elas foram treinadas e educadas dentro de uma cultura defensiva e limitadora, para crer que não dignas nem capazes. Este livro é o rompimento com essa cultura. Prepare-se para uma realidade nova e completamente libertadora.

Entre Espelhos e Fumaça
Vinicius Gomes Melo
Letramento

Em 2003, na iminência da invasão do Iraque, duas jornalistas recebem uma informação que pode alterar o curso da futura guerra, enquanto lidam com a sua relação de mãe e filha. Nos últimos meses de 1963, um ex-espião busca a redenção de seus pecados, mas se vê no meio de uma conspiração de assassinato que pode incendiar a Guerra Fria. Durante a Segunda Guerra Mundial, nas sufocantes selvas do Pacífico, um jovem soldado luta não só contra o inimigo, mas também por sua humanidade em meio um cenário de morte e caos. Entre Espelhos e Fumaça mistura ficção histórica com thriller de espionagem, onde tramas paralelas em diferentes épocas se entrelaçam em uma narrativa com vários elementos de ação e suspense.

Não, Não é Bem Isso
Reginaldo Pujol Filho
Não Editora

Neste conjunto de experiências narrativas, Reginaldo parece querer começar do zero após cada ponto final. E, diante de um mundo onde dizem que tudo já foi dito, já foi tentado, a cada novo texto, segue a busca por uma forma diferente. O resultado é uma diversidade de formatos e estilos, que vão desde uma narradora criança a uma página de Wikipédia, de um monólogo teatral a uma nova visão sobre a Arca de Noé, do humor à reflexão. Como um ator que se transfigura a cada papel, Reginaldo muda de voz de uma narrativa para outra. Uma voz que já não é feita só de palavras e frases, mas também da disposição delas na página e da própria página. E, a cada tentativa, pensar que não, não é bem isso. Que é preciso seguir escrevendo em busca de outra forma, de outra história, de outra voz.

O Mapa Que Me Leva Até Você
por J. P. Monninger (Autor), Andréia Barboza (Tradutor)
Verus

Um romance de tirar o fôlego sobre amor, perda e planos que, quando menos se espera, valem a pena ser alterados. Cada vez mais próxima da vida adulta, Heather Mulgrew tem toda a sua trajetória mapeada. Ela planejou uma viagem pela Europa com as amigas depois da formatura na faculdade e então o início da próspera carreira no Bank of America, sempre em direção a uma vida estável em que tudo é muito bem pensado. Mas todos os caminhos mudam quando, em um trem, Heather conhece Jack, o apaixonante aventureiro que altera o curso da viagem e da vida dela. Lançando o cuidadoso itinerário de Heather ao vento, eles acompanham o diário do avô de Jack em sua viagem pela Europa após a Segunda Guerra Mundial: Viena, Budapeste, Turquia ― lugares exóticos que servem para aproximar os dois ainda mais. Quando o fim da viagem se aproxima, Jack pede a Heather para ficar com ele e continuar viajando, deixando de lado os planos que ela traçou com tanto cuidado. Porém ela o convence a voltarem juntos para os Estados Unidos. A questão é que Jack tem um segredo que pode mudar tudo. E o mundo de Heather está prestes a ser abalado por completo.

Bruto e Seduzido: 2
Janice Diniz
Harlequin Books

Um cowboy ambicioso e uma garota hippie envolvidos em uma paixão brutalmente tórrida! Depois de perder os pais e a memória em um acidente, Ramona tornou-se uma hippie orgulhosa e independente. Aos 21 anos, mora em um sítio detonado e vive do pouco que recebe vendendo miçangas na beira da estrada. Sua pacata rotina muda quando seu controlador tio-avô, um poderoso juiz que não tolera o estilo de vida da jovem, convence-a a aceitar um guarda-costas para protegê-la dos perigos da estrada. O homem para o trabalho é Thomas Lancaster, um caubói de 32 anos impulsivo e cabeça quente, obstinado em ganhar dinheiro para salvar a fazenda da família. Apesar da diferença de idade, a química entre os dois é impossível de ignorar, e eles logo se envolvem em um intenso jogo de sedução. Mas será que os sentimentos de Thomas são verdadeiros? Ou ele só pensa no dinheiro que poderia ganhar em um eventual casamento com a sobrinha-neta do poderoso juiz? Bruto e Seduzido é o segundo volume da série Irmãos Lancaster, uma história de amor que vai fazer você perder o fôlego.

O Livro dos Sonhos
Nina George
Record

Uma história de esperança, amor e coragem em meio a encontros e desencontros. Da autora de A Livraria Mágica de Paris. Em Londres, a caminho da escola do filho adolescente que até então não conhecia, o bretão Henri Skinner, ex-repórter de guerra, é atropelado. Levado às pressas ao hospital, Henri paira em coma em um mundo de sonhos, revivendo os momentos críticos do passado e o segredo que norteou sua atitude-padrão durante a vida: fugir. Após o acidente, Sam ― um menino sinestésico e prodígio (integrante da Mensa) de treze anos ― passa horas junto ao leito do pai na UTI, todos os dias, à espera de um milagre. E é no hospital que ele conhece Eddie Tomlin, a ex-namorada de Henri que descobre ter sido designada por Henri em seu testamento vital como responsável pelas decisões médicas a serem tomadas enquanto ele estiver inconsciente, além de uma bailarina de doze anos chamada Madelyn Zeidler, também em coma e única sobrevivente do acidente de carro que matou sua família de Oxford. Enquanto esses quatro seres bem diferentes lutam ― por esperança, por paciência, pela vida ―, acabam unidos de forma indissociável, enfrentando juntos as forças arrebatadoras da perda e do primeiro amor. Uma história verdadeiramente humana, protagonizada por personagens extremamente cativantes, que examina o que consideramos grave e doloroso em contraste com o que vemos como leve e irrisório, O Livro dos Sonhos é uma delicada contemplação da memória, da transitoriedade e da empatia, questionando com leveza e seriedade o que cada um de nós veria como realmente relevante na vida quando diante da morte.

Feitos De Sol
Vinícius Grossos
Faro

Faça sua lista de filmes para alugar no fim de semana, prepare as músicas para gravar na sua mixtape e faça uma viagem no tempo diretamente para 1999. Feitos de Sol é nostálgico, recheado de cultura pop, e tem aquele sabor de primeiro amor que a gente sente, independentemente da época. Final da década de 90… Cícero é um nerd de quinze anos, fã de quadrinhos e que acredita que o mundo vai acabar na virada de 1999, por causa do bug do milênio — quando os computadores de todo o planeta iriam se descontrolar por não terem sido programados para entender a mudança das datas. Hoje pode parecer loucura, mas muita gente acreditou nesse risco. E ele não estava sozinho. Na busca pela última edição da revista do seu herói favorito, ele conhece Vicente, um garoto de família religiosa com quem ele logo se identifica. Vicente também acredita no fim do mundo, mas por outro motivo: o Apocalipse. Com suas diferenças, crenças e afinidades, Cícero e Vicente vão juntos desbravar um mundo além do que conheciam e, no caminho, descobrir mais sobre si mesmos. Dois jovens com histórias de vida cheias de adversidades e reviravoltas, em uma época em que tudo era ainda mais complicado… É quando aparece, sem avisar, o amor…

O Reformatório Nickel
Colson Whitehead
HarperCollins

Conforme o movimento pelos direitos civis alcança os negros de Frenchtown, na segregada Tallahassee, Elwood Curtis leva as palavras de Martin Luther King em seu coração: ele é “tão bom quanto qualquer outro”. Abandonado pelos pais, mas mantido na linha pela avó, Elwood está prestes a se matricular na faculdade para negros da região. Porém, para um garoto negro no Sul dos Estados Unidos no início dos anos 1960, um erro inocente é suficiente para destruir seu futuro. Ele é sentenciado a um reformatório chamado Nickel, que oficialmente diz promover “desenvolvimento físico, intelectual e moral” para que seus internos se tornem “homens honrosos e honestos”. Na realidade, o reformatório Nickel é uma grotesca câmara de horrores onde os sádicos funcionários batem e abusam sexualmente dos estudantes, onde oficiais corruptos roubam comida e suprimentos e onde qualquer menino que se rebele corre o risco de desaparecer. Perplexo por se encontrar em um ambiente tão corrompido, Elwood tenta se apegar à ressonante afirmação de Martin Luther King: “Podem nos colocar na cadeia, e ainda amaremos vocês.” Seu amigo Turner, no entanto, pensa que ele é inocente demais, que o mundo é torto e que a única forma de sobreviver é fugir e evitar problemas. A tensão entre os ideais de Elwood e o ceticismo de Turner os leva a uma decisão cuja repercussão vai ecoar por décadas. Eles têm duas opções: fugir ou acabarem no cemitério onde os outros meninos que tentaram fazer algo contra as autoridades do reformatório se encontram. Entre os detalhes desumanos e indizíveis das leis Jim Crow, que coloca os negros à mercê das decisões racistas dos brancos, o destino desses meninos será determinado pelo que eles aguentaram no Nickel.

Controle
Natalia Borges Polesso
Companhia das Letras

Autora vencedora do Jabuti na categoria contos, Natalia Borges Polesso estreia no romance com um livro sobre o amor e a amizade entre duas mulheres. Conhecida por sua escrita ritmada, informal e envolvente, Natalia Borges Polesso apresenta, em Controle, uma narrativa impactante sobre relações homoafetivas entre mulheres, o poder do desafio e, acima de tudo, as escolhas que precisam ser feitas para que as pessoas se tornem quem elas querem ser. Mesclando citações de letras da banda New Order em seu texto, a autora escreve um romance geracional que permanecerá na mente do leitor. A protagonista, Nanda, é epilética. Descobriu o transtorno ainda na infância, depois de uma queda de bicicleta, e sua vida nunca mais foi a mesma. Cercada de cuidado pelos pais, com medo de crescer e sair da casca protetora fornecida por sua condição, ela evita ao máximo o contato humano ― exceto pela amiga, Joana. Mas compartilhar o que acontece na vida de outra pessoa não é como viver junto dela. Nanda se pergunta até quando conseguirá manter a rotina morna que leva. Porém, seu dia a dia será posto em xeque quando ela finalmente se der conta de que não viveu.

“Raros escritores transitam com a mesma desenvoltura entre o conto e o romance. Natalia Borges Polesso é um desses casos. Autora do premiado Amora, ela faz em Controle a sua primeira incursão pelo romance, e o resultado é uma narrativa bela, potente e transformadora.”Carola Saavedra

O Muro no Meio do Livro
Jon Agee
Pequena Zahar

Uma mensagem atemporal sobre preconceito e a forma como enxergamos o outro. Tem um muro no meio deste livro. E um pequeno cavaleiro está confiante de que o muro protege o seu lado bom do livro dos muitos perigos do outro lado – um tigre faminto, um rinoceronte gigante, além do pior de todos, um ogro terrível que seria capaz de comê-lo com uma só mordida. Mas nem tudo é o que parece… Com gentileza e humor, O Muro no Meio do Livro, do aclamado autor-ilustrador americano Jon Agee, mostra que em vez de muros precisamos construir pontes! Sucesso de vendas e de críticas, recebeu as seguintes menções:

New York Times Book Review Editor’s Choice
New York Times Book Review Notable Books
Boston Globe Best Children’s Books of the Year
Chicago Tribune Best Children’s Books of 2018
Publishers Weekly Best Books of 2018
People Magazine Best Gift Books for Kids
Booklist Editors’ Choice

A Revolta De Atlas
por Ayn Rand
Arqueiro

Best-seller há mais de 50 anos, com 11 milhões de exemplares vendidos no mundo inteiro, A Revolta de Atlas – publicado no Brasil na década de 1980 com o título Quem É John Galt? – desafia algumas das crenças mais arraigadas da sociedade atual. Sua mensagem transformadora conquistou uma legião de leitores e fãs: cada indivíduo é responsável por suas ações e por buscar a liberdade e a felicidade como valores supremos. Na mitologia grega, o titã Atlas recebe de Zeus o castigo eterno de carregar nos ombros o peso dos céus. Neste clássico romance de Ayn Rand, os pensadores, os inovadores e os indivíduos criativos suportam o peso de um mundo decadente enquanto são explorados por parasitas que não reconhecem o valor do trabalho e da produtividade e que se valem da corrupção, da mediocridade e da burocracia para impedir o progresso individual e da sociedade. Mas até quando eles vão aguentar? Considerado o livro mais influente nos Estados Unidos depois da Bíblia, segundo a Biblioteca do Congresso americano, A Revolta de Atlas é um romance monumental. A história se passa em uma época imprecisa, quando as forças políticas de esquerda estão no poder. Último baluarte do que ainda resta do capitalismo em um mundo infestado de repúblicas populares, os Estados Unidos estão em decadência e sua economia caminha para o colapso. Nesse cenário desolador em que a intervenção estatal se sobrepõe a qualquer iniciativa privada de reerguer a economia, os principais líderes da indústria, do empresariado, das ciências e das artes começam a sumir sem deixar pistas. Com medidas arbitrárias e leis manipuladas, o Estado logo se apossa de suas propriedades e invenções, mas não é capaz de manter a lucratividade de seus negócios. Mas a greve de cérebros motivada por um Estado improdutivo à beira da ruína vai cobrar um preço muito alto. E é o homem – e toda a sociedade – quem irá pagar. Ayn Rand traça um panorama estarrecedor de uma realidade em que o desaparecimento das mentes criativas põe em xeque toda a existência. Com personagens fascinantes, como o gênio criador que se transforma em um playboy irresponsável, o poderoso industrial do aço que não sabe que trabalha para a própria destruição e a mulher de fibra que tenta recuperar uma ferrovia transcontinental, a autora apresenta os princípios de sua filosofia: a defesa da razão, do individualismo, do livre mercado e da liberdade de expressão, bem como os valores segundo os quais o homem deve viver – a racionalidade, a honestidade, a justiça, a independência, a integridade, a produtividade e o orgulho.

Dama de Paus
Eliana Cardoso
Nova Fronteira

Em Dama de Paus, Eliana Cardoso constrói a história de uma família por meio das relações afetivas de três gerações de mulheres. O suicídio da neta e os escritos por ela deixados, junto a suposições reveladas em uma mesa de jogo de cartas, fazem com que Damiana, a protagonista, revisite episódios do passado em que precisa lidar com culpa, compreensão e aceitação. Um romance intenso e delicado que envolve e surpreende o leitor.

Serotonina
Michel Houellebecq
Alfaguara

Niilista lúcido, Michel Houellebecq constrói um personagem obsessivo e autodestrutivo, que analisa a própria vida e o mundo que o rodeia com um humor ácido e virulento. Serotonina mostra que o autor continua sendo um dos mais perspicazes analistas do século XXI. Florent-Claude Labrouste tem 46 anos, detesta seu nome e toma antidepressivos que liberam serotonina e causam três efeitos colaterais: náusea, falta de libido e impotência. Seu périplo começa em Almeria (Espanha), segue por Paris e depois pela Normandia, onde os agricultores estão em luta. A França está afundando, a União Europeia está afundando, a vida de Florent-Claude está afundando. O sexo é uma catástrofe. A cultura não é mais uma tabua de salvação ― nem mesmo Proust ou Thomas Mann são capazes de salvá-lo. Nesse contexto, Florent-Claude descobre vídeos pornográficos assombrosos em que sua atual companheira aparece, e isso é a gota d’água para que ele deixe o trabalho e passe a viver em um hotel. Perambula pela cidade, visita bares, restaurantes e supermercados. Repassa suas relações amorosas, marcadas sempre pelo desastre, que transitam entre o cômico e o patético. Ao se reencontrar com um velho amigo aristocrata, que parecia ter uma vida perfeita, mas que foi abandonado pela esposa e se vê falido, Florent-Claude aprende a manejar uma arma de fogo ― que vai mudar sua vida para sempre. Em um espiral de problemas, Florent-Claude se torna um hábil analista da contemporaneidade, de seus anseios, inseguranças e problemas. Sua vida, um reflexo do desinteresse pelo mundo, será o espelho das mais cruéis agruras da vida.

“Se há qualquer um hoje em dia, não só na literatura francesa, como na mundial, que reflita sobre a enorme mutação em curso que todos nós sentimos, e que não sabemos como analisar, esse escritor é Houellebecq.” Emmanuel Carrère, Le Monde.

Um Lugar Bem Longe Daqui
Delia Owens
Intrínseca

Fenômeno editorial, com mais de 2 milhões de cópias vendidas, Um Lugar Bem Longe Daqui figura nas listas de best-sellers dos Estados Unidos desde seu lançamento original, em agosto de 2018. Por anos, boatos sobre Kya Clark, a “Menina do Brejo”, assombraram Barkley Cove, uma calma cidade costeira da Carolina do Norte. Ela, no entanto, não é o que todos dizem. Sensata e inteligente, Kya sobreviveu por anos sozinha no pântano que chama de lar, tendo as gaivotas como amigas e a areia como professora. Abandonada pela mãe, que não conseguiu suportar o marido abusivo e alcoólatra, e depois pelos irmãos, a menina viveu algum tempo na companhia negligente e por vezes brutal do pai, que acabou também por deixá-la. Anos depois, quando dois jovens da cidade ficam intrigados com sua beleza selvagem, Kya se permite experimentar uma nova vida — até que o impensável acontece e um deles é encontrado morto. Ao mesmo tempo uma ode à natureza, um emocionante romance de formação e uma surpreendente história de mistério, Um Lugar Bem Longe Daqui relembra que somos moldados pela criança que fomos um dia e que estamos todos sujeitos à beleza e à violência dos segredos que a natureza guarda. A obra foi incluída no clube de livros de Reese Witherspoon, que posteriormente adquiriu os direitos de adaptação cinematográfica e vai produzir o filme com a Fox 2000.

O Último Dia da Inocência
Edney Silvestre
Record

Do autor do best-seller Se Eu Fechar Os Olhos Agora. Em meio às tensões do dia do comício de João Goulart na Central do Brasil, um jovem jornalista – indiferente às conspirações políticas à sua volta – se vê testemunha de um assassinato, do qual se torna o principal suspeito. Enquanto tropas do Exército, conspiradores e manifestantes vão se juntando no centro do Rio de Janeiro, o jovem – que não se recorda de ter cometido o crime – busca, por diversos pontos da cidade, desesperadamente, quem possa ajudar a inocentá-lo. Inteiramente passado em 13 de março de 1964, O Último Dia da Inocência mistura situações e personagens reais a criações fictícias. A primorosa reconstrução do ambiente político brasileiro tem papel decisivo no desfecho da trama. Também primorosa é a recriação do Rio de Janeiro. Nessa obra-prima de recomposição de uma topografia afetiva, fruto de pesquisa meticulosa, o autor costura ficção de primeiríssima grandeza, em que se descortinam personagens destinados a permanecer na memória do leitor.

Objetos Sobrenaturais
Stacey Graham
Darkside

Encontrar uma bela boneca antiga em uma venda de garagem é uma sensação incrível, até você levá-la consigo e ela decidir caminhar pela casa após a meia-noite. Antiquários, feirinhas de rua, heranças de família: os objetos assombrados estão em todos os lugares e invadem nossas vidas de uma maneira discreta, quase acidental. Será mesmo? Objetos Sobrenaturais, mais um lançamento da DarkSide® Books chega através de nossa linha direta com o além. Tão instigante e surpreendente quanto o casal Ed & Lorraine Warren, a caça-fantasmas Stacey Graham convida você a repensar o uso da prataria de sua avó. Ou a olhar com outros olhos aquela caixinha de joias que sempre parece mudar de lugar. Ao folhear as páginas tenebrosas e ricas em detalhes, os leitores irão conhecer uma seleção variada de itens assombrados e amaldiçoados, desde crânios que gritam até bonecas demoníacas ― e entender como eles afetam as vidas de seus respectivos donos. Com uma prosa divertida e objetiva, Stacey Graham traz respostas para diversas perguntas, dá conselhos e discute teorias sobre os tipos de fantasma que existem. Você já se perguntou por que nos sentimos atraídos por histórias que envolvem objetos assombrados? Ou como um objeto se torna assombrado? Será que um fantasma se espremeu entre as moléculas e ficou incrustado no objeto pelo medo do desapego? Só lendo para descobrir. E, de preferência, mantendo as luzes ou velas acesas. A edição traz em sua capa as peças criadas pela artista plástica Dianne Hoffman, e se tem uma coisa que ela mostra é que nunca se sabe o que pode se estar escondido na escuridão. Ou na prateleira do seu quarto. Depois de mostrar como a realidade pode ser ainda mais assustadora que a ficção com títulos como Ed & Lorraine: Demonologistas, 1977: Enfield e Exorcismo, a editora mais sombria do Brasil preparou uma edição à prova de entidades sobrenaturais. Objetos Sobrenaturais é mais um livro da Coleção Sobrenatural que chega para deixar as estantes dos leitores possuídos um pouco mais assustadoras ― quer você acredite no outro lado ou não.

Andrizy Bento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s