Sete Filmes Ambientados Na Década Perdida

Atualmente, o desejo de viajar para a década de 1980, sobretudo por conta da música da época, é crescente e intenso. No cinema, essa viagem, por incrível que pareça, já começou no final dos anos 1990. De lá pra cá, foram produzidos vários filmes ambientados na década que ninguém quer esquecer – vulgo década perdida. Confiram a lista com alguns desses filmes:

Afinado no Amor (1998)

Afinado no Amor (1998)

Esse é o primeiro filme ambientado nos anos 80 de que se tem noticia e que, em fevereiro deste ano, completou duas décadas desde seu lançamento. Gira em torno de Robbie Hart (Adam Sandler), que ganha a vida como cantor de casamentos e, assim, conhece Julia Sullivan (Drew Barrymore), garçonete em uma das cerimônias animadas por ele. Hart fica atraído por ela, mas mantém distância por estar comprometido com Linda (Angela Feathestone), inclusive com casamento marcado e tudo. Robbie fica sabendo que Julia está noiva de Glenn Guglia (Matthew Glave), mas não imaginava que Linda não apareceria no casamento, deixando-o deprimido. As suas chances de conquistar Julia são pequenas, pois Glenn obteve sucesso em Wall Street. Hart ainda descobre que o cara é infiel e decide fazer o possível para conquistar sua amada. Para piorar, Linda ressurge após abandoná-lo no altar, disposta a estragar seus planos. O filme conta com uma trilha sonora fiel à década, sem contar que o o roqueiro britânico Billy Idol faz uma ponta.

Billy Elliot (2000)

Billy Elliot (2000)

É uma produção inglesa e se passa na própria terra da Rainha, na época em que o parlamento britânico era liderado pela dama de ferro Margaret Tatcher. Seu governo não foi benéfico para quem trabalhava nas minas de carvão e seus trabalhadores faziam greves constantes exigindo melhores condições. Na trama, Billy Elliot (Jamie Bell) é filho-caçula de uma família de classe média baixa e mora junto da avó paterna Nan (Jean Heywood), do pai viúvo Jackie (Gary Lewis) e do irmão mais velho Tony (Jamie Draven), os dois últimos trabalhadores das minas de carvão. Billy é colocado em uma academia de boxe, cujo espaço foi cedido também para a turma de balé da professora Sandra Wilkinson (Julie Walters). O menino sente-se atraído pelo balé e resolve se matricular nas aulas contra a vontade do pai e do irmão. Ele só conta com o incentivo do seu melhor amigo, Michael (Stuart Wells), e da avó, que vive dizendo que sonhava em ser bailarina quando mais nova.

Glittler – O Brilho de Uma Estrela (2001)

Glitter-O Brilho de Uma Estrela (2001)

O filme tem como protagonista Mariah Carey, que dá vida à cantora Billy Frank na trama. A personagem é uma jovem que foi abandonada pela mãe Lilian (Valerie Pettiford) quando criança. Agora, nos anos 80, e morando em Nova Iorque, ela entra para a música sendo vocal de apoio da cantora Sylk (Padma Lakshmi), sem contar que está em busca de seus pais biológicos. A vida de Billy muda quando ela conhece Julian “Dice” Black (Max Beesley), um DJ das boates nova iorquinas que descobre o seu talento para a música. Ele a conduz para o estrelato e os dois iniciam um relacionamento amoroso. O filme não fez sucesso e muitos levam em conta o fato de ter entrado em cartaz na semana dos ataques terroristas de 11 de setembro, ocorridos na citada cidade americana, em 2001. Dizem que Mariah Carey tentou suicídio após saber que o filme encalhou, mas a própria desmentiu.

Rockstar (2001)

Rock Star

O filme gira em torno de Chris Cole (Mark Wahlberg), que é um jovem fã do grupo de rock fictício Steel Dragon, tanto que tem até possui uma banda que presta tributo a ela e na qual é vocalista, sendo empresariado por sua namorada, Emily (Jennifer Aniston). De repente, recebe um telefonema de Kirk Cuddy, guitarrista do Steel Dragon convidando-o para ser vocalista do grupo no lugar do original, Bobby Beers. Chris muda o seu nome para Izzy, fica feliz por viver o sonho de ser um rockstar, mas depois descobre que o mundo em que está vivendo não é tão agradável assim. A película foi inspirada na história do Judas Priest, cujo vocalista, Rob Halford, foi substituído por Ripper Owens, que tocava em uma banda cover do Judas. O diretor, Stephen Herek, queria fazer um filme biográfico da banda, mas não obteve autorização e trocou o nome dos personagens. A voz de Bobby Beers e de Chris Cole cantando são, na verdade, de Jeff Scott Soto. No fictício Steel Dragon há três músicos de verdade. O baixista Jorgen foi vivido por Jeff Pilson da banda Dokken. O guitarrista Ghode foi interpretado por Zakk Wylde, que toca na banda de apoio de Ozzy Osbourne e lidera o Black Label Society. O baterista A.C. foi vivido por Jason Bonham, filho do finado baterista John Bonham do Led Zeppelin.

De Repente 30 (2004)

De Repente 30 5

Em 1987 Jenna Rink (Christa B. Allen) é uma garota que está descontente com a sua própria idade, já que seus colegas mais populares da escola não lhe dão atenção, seus pais ficam sempre no seu pé e o garoto por quem está apaixonada nem sabe que ela existe. Ela só tem amizade com Matt Flamhaff (Sean Marquette), seu vizinho. Para tentar reverter a situação, Jenna decide realizar uma grande festa para os seus 13 anos e convida os adolescentes populares. Porém, o que deveria ser a sua consagração, se transforma em um grande desastre logo após Jenna ser trancada no seu armário devido a uma brincadeira armada por Lucy “Tom-Tom” Wyman (Alexandra Kyle). Triste, Jenna volta para o armário, desejando ter 30 anos (a chamada idade do sucesso) e brilhantinas oriundas da casa de bonecas que ganhou de Matt, caem sobre ela. O pedido vira realidade e Jenna (Jennifer Garner) desperta em 2004 com 30 anos de idade e trabalhando em uma revista de moda em Nova Iorque ao lado da Tom-Tom (Judy Greer). Ela também reencontra Matt (Mark Ruffalo) trabalhando como fotógrafo e prestes a se casar.

Rock of Ages (2012)

Rock of Ages (2012)

Foi inspirado em um enorme sucesso musical da Broadway. Rock of Ages nasceu do livro escrito por Chris D’Arienzo, depois foi levado para o teatro e, enfim, para as telas do cinema nas mãos de Adam Shankman. Hollywood, 1987. A película gira em torno da jovem Sherrie (Julianne Hough), que chega de ônibus a Los Angeles. Ela sonha se tornar uma cantora de sucesso, mas pouco após a sua chegada, sua mala é roubada. Quem ajuda é Drew (Diego Boneta), que consegue para ela uma vaga como garçonete na famosa casa de shows Bourbon, ícone do cenário roqueiro da cidade. Drew também trabalha no lugar e não demora muito para que eles engatem um namoro. Só que a Bourbon enfrenta problemas financeiros e seu dono, Dennis Dupree (Alec Baldwin), junto de seu braço direito, Lonny Barnett (Russell Brand), acreditam que a salvação pode estar no último show de Stacee Jaxx (Tom Cruise) como vocalista da banda Arsenal, já que o ultimo pretende se lançar em carreira solo. Entretanto, a esposa do prefeito da cidade (Bryan Cranston), Patricia Whitmore (Catherine Zeta-Jones), pretende fazer o que estiver ao seu alcance para fechar a Bourbon, já que a considera um antro de perdição para os jovens.

Califórnia (2015)

Califórnia

A maior parte dos filmes brasileiros ambientados na década de 1980, são biográficos. A exceção fictícia é Califórnia, que foi escrito e dirigido por Marina Person. A película conta a história da adolescente Estela (Clara Galo), que vive os conflitos típicos da idade, de identidade, amizade e amor. A jovem mora com os pais Cris (Virginia Cavendish) e Beto (Paulo Miklos), além do irmão mais novo. Ela tem como ídolo o tio Carlos (Caio Blat), jornalista musical que vive nos Estados Unidos, e o seu maior sonho é visitá-lo durante as férias. Porém, Clara descobre que ele está voltando para o Brasil, debilitado devido às complicações acarretadas pelo vírus HIV. No decorrer da história, ela namora com Xande (Giovanni Gallo), o surfista popular da escola, mas fica interessada em JM (Caio Horowicz), que é tido como estranho e curte The Cure e David Bowie tanto quanto ela. Mas os colegas de escola insinuam que JM seja gay e Clara passa a acreditar que ele seja portador do vírus HIV, assim como seu tio.

Desculpem-me se eu me esqueci de algum. Se recordarem algum outro filme ambientado na emblemática década de 1980, comente aqui.

Windson Alves

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s