Elvis Presley Comeback Special

Que Elvis Presley foi um artista icônico, todo mundo sabe. Mas mesmo os Reis enfrentam fases difíceis e são obrigados a lidar com os altos e baixos da carreira. E no universo da música pop é comum uma carreira oscilar entre sucessos e fracassos. E isso ocorre desde sempre. Nem o ídolo mais do que memorável passou incólume.

Desde a sua volta do exército, em 1960, Elvis Presley decidiu focar na carreira de ator. Seu primeiro filme, G.I. Blues (1961) foi um incrível sucesso nos cinemas e a trilha sonora se tornou mais um disco de ouro do Rei.

Até 1964, seus filmes continuaram rendendo muito dinheiro e mais discos de ouro. Mesmo com papéis fáceis de interpretar e músicas cada vez mais distantes do seu bom e velho rock’n roll, o público continuava entusiasmado com Elvis. Mas, a partir de 1964, os roteiros começaram a empobrecer e seus personagens a ficar sem noção. As músicas escolhidas para as filmagens eram ruins e Elvis estava muito descontente com o rumo de sua carreira. O astro sentia falta do contato com o público. Seu último show havia sido em 1961.

No início de 1968, seu empresário, Coonel Tom Parker, fez contato com a rede de TV NBC para um especial de TV para Elvis, na verdade um especial de Natal. A NBC contratou o produtor Steve Binder para dirigir o programa. Steve, por sua vez, não era fã da música de Elvis e muito menos de seus filmes.

Em uma conversa particular entre Elvis e Steve, o produtor explicou sobre a idéia de um especial de Natal e disse que achava a proposta um tanto infantil, além de acrescentar que Elvis estava ultrapassado para os jovens da época. Steve esperava que Elvis ficasse magoado com sua franqueza, mas o cantor disse que concordava e sentia que os jovens já nem se lembravam mais dele.

Em uma hora de reunião, Elvis e Steve ficaram amigos e acertaram que iriam deixar de lado o especial de Natal e fazer um verdadeiro especial de TV. A volta de Elvis Presley aos palcos.

O especial recebeu o título de “Comeback Special” e foi dividido em 3 partes. Uma apresentação ao vivo com a banda, considerado o primeiro acústico do rock’n roll. Outra apresentação, mas gravada, incluindo roteiro e figurino, com músicas gospel, blues, rock e jazz rock. E a parte final que compreenderia o fechamento do especial com Elvis cantando “If I Can Dream”, uma música sobre paz, contra os tempos de guerra.

A volta de Elvis aos palcos foi um sucesso mundial quando transmitida em 1968 (houve uma reprise em 1970) na TV por vários motivos. 1º trazia músicas novas e cantadas com entusiasmo por Elvis. 2º mostrou ao mundo um “novo Elvis”, vestido de couro e muito mais maduro. 3º modernizou a imagem do astro, que voltou a ser o Rei e também voltou a ser um ídolo dos jovens.

Elvis havia voltado ao lugar ao qual pertencia, havia retornado aos palcos.

Eduardo Molinar